12 agosto 2010

Fantasia feminina: ser presa por um polícia

Pedi-lhe os documentos de identificação. Veio com a estafada desculpa de que se esquecera deles em casa. Apliquei-lhe logo ali a coima máxima. Ela gritou, barafustou e tentou agredir-me. Disse-lhe que iria ser presa por desacato da ordem pública e agressões à Autoridade.

Esperneou, gritou feita histérica, mas, por fim, consegui algemá-la. Ordenei-lhe que se debruçasse no banco do carro. Levantei-lhe a saia, desci-lhe as calcinhas e aprontei o cacetete.

Finalmente, começou a sentir toda a força da Autoridade.

- No fundo, bem no fundo! - gritou ela. Era isso que eu queria!

5 comentários:

Imperator disse...

pois, agora com as regras de pagamento imediato das contra ordenações.

cuidado com a consignação em depósito para posterior reclamação.

:P

Anónimo disse...

Rsrsrsrs


Não haja dúvida, isso é que é um castigo daqueles...ui, ui!!
de dar a mão à palmatória...:):):)
Adorei.

Como gostaria de encontrar esse agente da autoridade, para me aplicar tão severo castigo!!

Hummmmmmmm

Bj

Paula

duda disse...

nós, as mulheres, sempre sabemos o que queremos...

Isabela Figueiredo disse...

Andas a inspirar-te muito na minha vida, ó Trolha.
Mas olha que há polícias, com a farda aprumada, as botas até ao joelho, que também mereciam que eu também os autuasse sem dó nem piedade.

Isabela Figueiredo disse...

Andas a inspirar-te muito na minha vida, ó Trolha.
Há aqui uns polícias na esquadra de Almada, altos, bem fardados, com as botas lustrosas até ao joelho, que bem mereciam que eu os autuasse sem dó nem piedade.