29 dezembro 2006

Broken Hearts

A_Doce: perguntaram-me se eu sabia quem tu eras
O_Trolha: conta
A_Doce: eu disse que n sabia quase nada
O_Trolha: quem te perguntou?
A_Doce: uma amiga de outra amiga
O_Trolha: diz-me, quem te perguntou por mim?
O_Trolha: diz
A_Doce: tu és o sexy simbol da net
A_Doce: já foi há muito tempo
A_Doce: eu n ligo a essas coisas
O_Trolha: ohhhhhhh...
O_Trolha: não queres é dizer
O_Trolha: diz o q sabes tu
A_Doce: que pões as meninas do irc todas molhadinhas
A_Doce: tu fazes as mulheres apaixonarem-se por ti
O_Trolha: ai sim!!!???
A_Doce: e depois desapareces.

28 dezembro 2006

FLORIBELLA


Minhas Calcinhas

Minhas calcinhas
bem as dispensaria
pois quando as tenho
estou em calmaria.

Melhor mesmo
é não tê-las
Seja com rendas
ou sem elas.

Na minha vaidade e luxúria
quero que meu homem
das rendas e transparências
fizesse tirinhas.

Rasgando-as
entre dentes e urros
numa plena demência
(..........................)

E que minhas calcinhas
sejam sempre
motivos de muita folia

Vanderli Medeiros

Vamos falar de sexo

(retirado da Revista Maria)


Posted by Isabela

23 dezembro 2006

É NATAL



Festas Felizes no corpo todo e ... não sei mais quê .... nesta época de Paz e de Amor.



São os Votos da Sinuosa e do João_Trolha.

22 dezembro 2006

Vamos falar de sexo

VICIADO/A EM SEXO VIRTUAL?

O sexo virtual está a tornar-se uma epidemia com consequências trágicas: separa casais e cria transtornos obssessivo-compulsivos perigosos que afecta por igual pacatas donas de casa (quem diria?) a executivos de topo, passando obviamente por trolhas e aparentados.

O anonimato e o prazer imediato proporcionado pela Internet têm sido os factores determinantes para o grande número de novos viciados em sexo virtual, que se pratica quer nas salas de chat quer através de imagens/fotos eróticas (via web cam no MSN).


As mulheres

Interessante é constatar que as as mulheres preferem as salas de chat (50% ) às imagens/fotos eróticas (23% ).

Isto porque elas preferem a segurança de falar com alguém, sem se mostrar, e necessitam do contacto com o outro.

Os homens

Os homens preferem as fotos eróticas e as fantasias sexuais. Estão mais focados no corpo e no momento em si.

Cerca de 15% dos cibernautas já visitaram salas de chat sobre sexo ou sites pornográficos. E
9% das pessoas que usam a Internet com fins sexuais, passam mais de 11 horas por semana navegando em sites de conteúdo erotico-pornográfico.

O maior perigo, segundo os epecialistas, é quando a pessoa começa a mentir para o seu parceiro em relação às suas aventuras virtuais.

Igualmente se constatou um elevado número de homosexuais à procura de sexo virtual ( gays e lésbicas).


E tu és viciado/a em Sexo Virtual ?

18 dezembro 2006

HOMENS

O BANHO

O_Trolha: sonhei contigo
Casada_40: lol
Casada_40: conta lá o sonho
O_Trolha: sonhei q nos encontrámos num elevador...
Casada_40: das obras?
Casada_40: lol
Casada_40: e depois?
O_Trolha: e eu apalpei-te as coxas sem q ninguém se apercebesse
O_Trolha: e apalpei-te o rabo
Casada_40: que malandro!Casada_40: e eu não te dei um estalo?
O_Trolha: não. Sorriste-te para mim
Casada_40: sorri? mas que bem!
Casada_40: lol
O_Trolha: e empinaste o rabo todo
Casada_40: e tu que fizeste?
O_Trolha: e eu enfiei-te a mão por debaixo da saia q trazias muito sedosa
O_Trolha: e toquei nas tuas calcinhas de renda
Casada_40: hummm
Casada_40: mas que bem!
O_Trolha: depois ... afastaste-te
O_Trolha: e repente ficamos os dois sozinhos no elevador
O_Trolha: tinham saído todos
Casada_40: que medo!
Casada_40: lol
O_Trolha: eu olhei para ti
O_Trolha: e tu olhaste para mim
O_Trolha: tu estavas a tremer
O_Trolha: e eu perguntei-te se tinhas frio
Casada_40: a tremer? e não tinha medo?
O_Trolha: e tu disseste-me q sim q tinhas frio
Casada_40: e depois?
O_Trolha: então eu tirei o meu casaco e coloquei-o sobre ti
O_Trolha: e tu abraçaste-me contra ti
Casada_40: mas que simpático
O_Trolha: e começaste a chorar
Casada_40: porquê?
O_Trolha: contaste q o teu marido andava com outra
Casada_40: foi?
O_Trolha: estavas muito nervosa
Casada_40: olha a minha sorte!
Casada_40: lolol
O_Trolha: de repente estavamos os dois num quarto de hotel
Casada_40: assim? sem mais nada?
O_Trolha: e fomos tomar banho..
O_Trolha: as cenas passavam depressa e sem nexo
O_Trolha: fomos os dois tomar banho
Casada_40: tomar banho?
Casada_40: muito bem
O_Trolha: eu enchi-te de espuma
Casada_40: havia sais?
Casada_40: lolol
O_Trolha: toda tu eras espuma
O_Trolha: toda branca de espuma
Casada_40: lolol
Casada_40: cuidado com a espuma nos olhos
O_Trolha: pediste-me para te lavar as costas
O_Trolha: e eu passei uma esponja nas tuas costas
Casada_40: mas que delicado
O_Trolha: hummmm
O_Trolha: esfreguei-te o pescoço
Casada_40: lol
O_Trolha: passei o sabonete nos teus seios erectos
O_Trolha: tu estavas muito excitada
O_Trolha: com os mamilos enormes ..grossos
O_Trolha: e eu passei ao de leve o sabonete nos teus mamilos
O_Trolha: tu quase não te seguravas de pé
O_Trolha: os teus joelhos tremiam
O_Trolha: e então agarraste-te a mim
O_Trolha: beijamo-nos com muita paixão
O_Trolha: e eu continuei a passar-te o sabonete nas ancas.
O_Trolha: massajava com a esponja o teu rabo
O_Trolha: e tu cada vez me abraçavas mais contra ti
Casada_40: abraçava-te???
O_Trolha: simmmmmmmmmm
Casada_40: mas só mesmo em sonho
O_Trolha: foi lindo o sonho!
O_Trolha: olha, de manhã tinha a cama toda molhada.

17 dezembro 2006

Americanices


6% dos homens e 11,2% das mulheres dos EUA

admitem ter tido contactos sexuais com pessoas do mesmo sexo.

(Fonte: Diário Digital)

Afinal aquilo que eu suspeitava há muito tempo confirma-se. Há mais mulheres homossexuais do que homens.

E se na terra do tio Sam é assim, aqui não será muito diferente.

E estas são as que o admitem publicamente.

16 dezembro 2006

Os homens e os autocarros

O homem é como o autocarro: perdemos um mas aparece logo outro!

(lido por aí)

A profunda verdade que se esconde por detrás desta frase singela.

13 dezembro 2006

Aos detractores deste blog


Um testemunho


... não me perguntas o que eu acho do teu blog mas vou dizer-te:

tem muita qualidade estética, está bem feito;
quanto aos temas...são as escolhas dos criadores e quanto a isso há pouco a opinar;
tem uma especificidade que permite analisar o mundo dos chats...os logs, e isso dá-lhe
uma característica única;
as imagens são normalmente muito bonitas;
há um aspecto da sociologia histórica chamado «história conjugada no presente» ... que
é mais ou menos o caracterizar o universo social através de testemunhos do presente -
é uma corrente mais americana;
e a reprodução dos logs permite fazer esse estudo, caracterizar um dado universo;
há um sociológo americano que fez um estudo muito giro sobre uma família no México...
utilizando este método.

12 dezembro 2006

Mulheres Ejaculadoras


Os Fluidos

As mulheres «ficam molhadas». Isso não deve constituir novidade para ninguém.

Salvo razões de natureza psicossomática, a precisar de acompanhamento médico ou psiquiátrico, se tu não conseguires deixar uma mulher molhada, acredita que não estás a sair-te bem no teu desempenho de macho. Tens mesmo de ir, com urgência, para um curso de formação especializado.

Os fluidos femininos são em número de três.

O primeiro, chama-se ciprina e aparece muito rapidamente com o desejo e a excitação. A sua função é lubrificar a vagina. Podes verificar facilmente a sua presença introduzindo o dedo ou os dedos na vagina ou passando a mão nas cuequinhas dela.
Se a sentires húmida podes estar ciente de que ela está excitada e a sentir prazer.

O segundo fluido surge no momento do orgasmo.
Ele pode ser mais abundante e prova sem dúvida que a tua companheira gozou. Isto é muito bom para a desmascarares principalmente se ela for daquelas que gostam de simular o orgasmo.

O terceiro desses fluidos embriagadores pode literalmente «jorrar» do ponto G.
Mas o fenómeno é raro. Abundante, entretanto, em algumas mulheres, ele é comumente comparado à ejaculação masculina.

As teorias a esse respeito têm-se multiplicado, mas ainda não se sabe de onde ele vem, como é constituído e onde fica armazenado. Diz quem já experimentou (e eu q o diga!!!!) que vais sentir uma misto de estupefacção e orgulho na tua primeira vez.

Mas escusas de pensar que o fenómeno aconteceu em razão do teu melhor desempenho ou perfomance. Isso não depende de ti mas dela. Simplesmente estas coisas acontecem ou não acontecem. E com algumas mulheres acontecem sempre ou quase sempre quando atingem o orgasmo.

E se contigo nunca aconteceu vou dar-te um conselho. Tenta a sorte noutras paragens. Quem sabe se num dias destes não tens a dita de sentires o jorro quente de uma mulher ejaculadora?

Acredita. Há mesmo mulheres ejaculadoras. Isto não é fita, contariamente ao que dizem as detractoras deste fenómeno (chamado de mito por muitas mulheres que nunca o experimentaram).

Mulheres ejaculadoras de todo o mundo dêm aqui o vosso testemunho!

10 dezembro 2006

PALAVRAS PARA QUÊ???

Sexo Virtual


PRESTE ATENÇÃO

O meu trabalho é exclusivamente VIRTUAL, não saio com clientes, não aceito convites para encontros pessoais e não faço exibições de graça.

SEXO VIRTUAL é o meu trabalho, faço tudo com muito prazer , porém somente após o seu pagamento.

Não dou amostras pela WEBCAM.

As fotos publicados no meu SITE são mais do que suficientes para que possa avaliar se quer ou não os meus serviços.

RESPEITE


Ai, fdx!!!!

Com umas mamas destas não andava o dia todo, de sol a sol ou de chuva a chuva, a acartar tijolos, a pôr estuque e a mexer o cimento. Ai não andava não !!!!
Estas mamas são um verdadeiro tesouro. Por mim erigia-as em Monumento Nacional.

Reparem, só, nesta preciosidade: «faço tudo com muito prazer , porém somente após o seu pagamento».

Palavras para quê? É uma artista portuguesa (de Lisboa!!!).

08 dezembro 2006

BRICOLAGE


ORGASMOS VIBRANTES

Faça você mesmo

Hoje, noite de lua cheia, apetece-te deixá-la com o sexo em fogo ... e em água.
Vai buscar o vibrador eléctrico, guardado na mesinha de cabeceira.
Verifica se as pilhas estão em condições. Depois de a estenderes na cama liga-o e passa a ponta do vibrador ao de leve sobre o monte de Vênus dela.
Deixa-a escorregar até à parte exterior dos lábios vaginais fazendo-a correr ao longo das entradas daquela gruta húmida.
Aproxima-te vagorosamente do clítoris. Experimenta o jogo da aproximação perigosa. Quando a sentires já muito ansiosa e com ar de «sofrimento» detém-te no clítoris. Volta a descer até a vagina.
Penetra-a para o humedecer. E volta ao clítoris.
Passa muito suavemente a ponta do vibrador no períneo - aquela zona que liga a vagina ao ânus. Sente-a a vibrar toda e faz, igualmente, o jogo da aproximação perigosa agora no ânus dela.
Passa a ponta do vibrador ao longo do rego e vê como o ânus se fecha e abre ao ritmo das contracções. Insiste sobre o sacro, até acima do cóccix, onde começam as ancas.
Vais vê-la a curvar-se para trás aos saltos.

06 dezembro 2006

As gajas querem é nabo!

Há dias ouvi uma amiga minha dizer que tem um fascínio por homens com fardas*.
Já não foi a primeira vez que ouvi uma mulher a dizer isto, o que me leva a crer que não será uma situação assim tão rara.
E faz sentido, porque os tipos fardados (por exemplo: marinheiros, exército) têm actividades que proporcionam grandes ausências, o que faz com que no regresso à civilização, digamos assim, proporcionem nabo forte e feio (até mesmo os mais fraquinhos).
Por outro lado, essas ausências permitem também que elas tenham mais facilidade em chegar a uma maior variedade de nabos.
Por isso, não se iludam quando elas dizem que gostam de homens fardados, porque na verdade, as gajas não gostam de farda, gostam é de enfardar.

Posted by Tó Canelas

* vide post sobre as 1o maiores fantasias delas, infra

05 dezembro 2006

As Causas das Cousas


Olha, Sinuosa, faz contas comigo:

em 100 mulheres serão sexualmente activas 60;
destas 33% apresentam desejo sexual claramente deficitário - restam 40;
destas, 33% são assumidamente lésbicas - restam pouco mais de 20;
destas, um terço tiram-nos o pouco tesão que possamos ter por serem morfologicamente ineptas e inaptas para a função.

Quantas sobram?


E agora diz-me: há objectivamente razões pra andarmos por aí entesuados o dia inteiro?

03 dezembro 2006

PROPOSTA INDECENTE

Mulher_Casada: eu n mordo! ou como ou não como.
Trolha: comes???
Trolha: vontade tens tu de comer
Trolha: mas acho q andas a passar muita fome
Mulher_Casada: isso é o q tu pensas...e por vezes qdo se tem fome, come-se de melhor vontade
Trolha: quando se tem fome a comida até nos parece mais apetitosa
Mulher_Casada: é
Trolha: mas tu és mulher de pouco alimento
Trolha: alimentas-te muito mal
Trolha: passas muita fome
Mulher_Casada: contento-me com pouco
Mulher_Casada: mas estou bem...
Trolha: mas o q tu gostas mesmo é de abrir o apetite aos outros
Trolha: e vê-los a salivar
Trolha: isso deve dar-te um prazer indescritível
Mulher_Casada: achas??
Trolha: acho
Trolha: acho mesmo
Trolha: e acho isso uma forma refinada de sadismo
Mulher_Casada: ora ora, desconhecia essa minha faceta...
Trolha: isto aqui é como um consultório de psicanálise
Mulher_Casada: eu gosto de escolher o q como
Trolha: és engraçada
Mulher_Casada: sou?
Trolha: gostas de escolher o q comes ..mas acabas por não comer nada
Trolha: tu gostas é de não comer
Mulher_Casada: se és tu a dizê-lo......
Mulher_Casada: fugiste??
Trolha: não
Trolha: estou aqui
Trolha: queres comer-me é?
Mulher_Casada: lol
Trolha: nunca me pareceu q me quisesses comer
Trolha: infelizmente
Mulher_Casada: infelizmente??
Trolha: claro
Trolha: duvidas disso?
Mulher_Casada: n vejo o pq do infelizmente
Trolha: homessa
Trolha: diz-muma coisa
Mulher_Casada: se souber
Trolha: qual o homem q não adorava comer-te ou ser comido por ti?
Trolha: diz-me!!!!!
Mulher_Casada: eu é q sei...
Trolha: és a quarentona mais tesuda e apetitosa q eu conheço
Trolha: e não te entregas a qualquer um
Trolha: e fazes bem
Mulher_Casada: :)
Trolha: olha, vou ser ordinário contigo
Mulher_Casada: vais??
Mulher_Casada: mereço??
Trolha: apetece-me ser ordinário contigo hoje
Trolha: não mereces, não
Trolha: mas a mim apetece-me
Trolha: qual o teu preço?
Trolha: diz-me o teu preço
Trolha: a ver se eu posso pagar o teu preço
Mulher_Casada: n tenho preço, mas eu mereço q sejas ordinário comigo??
Mulher_Casada: n tenho preço! cuidado n quer dizer q seja cara, nem muito nem pouco
Mulher_Casada: mas já agora ...
Trolha: diz
Mulher_Casada: posso fazer-te uma pergunta?
Trolha: podes
Mulher_Casada: entrando no teu jogo ...
Trolha: sim
Mulher_Casada: até onde estarias disposto a ir?
Mulher_Casada: isto é ...
Mulher_Casada: qto pagarias para me comeres?
Trolha: muito dinheiro
Trolha: muito mesmo.
Mulher_Casada: qto? Diz-me até quanto pagarias por mim.
Trolha: Digo?
Mulher_Casada: diz.
Trolha: 1000 Euros.
Mulher_Casada: lollllllllllllllllllllllllllllll
Mulher_Casada: lolllllllllllll
Trolha: e olha q era um bom preço
Trolha: por 50 Euros já se dá uma boa queca
Mulher_Casada: demais, seria um autêntico disparate
Trolha: por isso vê tu a consideração q tenho por ti. Aceitas a minha proposta?
Mulher_Casada: nada disso. Ou me entrego pelo simples prazer...ou nada feito.
Mulher_Casada: e .. tb sei q nunca darias 1000 euros por uma queca comigo
Trolha: olha se te entregares por prazer ...
Mulher_Casada: s?
Trolha: melhor. É ouro sobre azul
Trolha: vou deixar-te a matutar
Trolha: vou deixar-te a pensar nisso
Trolha: a pensar na minha proposta
Trolha: a proposta é válida
Trolha: por tempo ilimitado
Mulher_Casada: lol
Trolha: lolololol
Trolha: sine die
Trolha: boa noite
Trolha: dorme bem

POESIA EXPERIMENTAL


A sida mata. Pratica Sexo Virtual.

01 dezembro 2006

As10 maiores fantasias delas

1.º Prostituta;
2.º Escrava sexual (cenas sado-maso);
3.º Violação (inclui a violação por um trolha q as agarra e as leva para um sítio recatado da obra em construção);
4.º Fazer sexo com estranhos (incluindo com estranhas criaturas, desde vagabundos a fardas);
5.º Sexo em grupo (com 2 ou mais homens e ou mulheres);
6.º Sexo em locais públicos (inclui cenas ousadas):
7.º Sexo com outras mulheres;
8.º Dominatrix (cenas sado-maso e humilhação incluindo o uso de strap_on);
9.º Cross Dresser;
10.º Fazer sexo com um desconhecido, vendada .

29 novembro 2006

O Meu Blind Date

Paradoxos das estratégias de aproximação sexual


Por imperativos de natureza profissional ela viria ao Porto.
Combinámos ambos reservar uma tarde para nos conhecermos.
Estava hospedada num hotel de referência da cidade. À hora marcada estava eu no hall do hotel. Primeira surpresa: ela apresentou-se-me acompanhada de 3 amigas.
E logo ali me encostou à parede. «Não te importas, pois não, que elas vão connosco
Que ia eu responder? «Claro que não. Não me importo nada.»
E lá fomos a uma esplanada, virada para uma paisagem deslumbrante, tomar uma bebida.
Muita bebida e muito boa disposição a ouvirem as últimas anedotas do trolha. Riam a bandeiras despregadas.
Até que surge o desafio: «E se fôssemos a uma sex shop aqui em frente?»
Nenhuma delas quis dar sinal de fraqueza. E lá fomos todos, bem bebidos, em alegre comitiva até à sex shop.
Risinhos nervosos no início. Frenesim das compras logo a seguir. Eu pensava com os meus botões: marinheiro desembarcado avia-se em terra.
Para não fazer figura de pobretanas lá comprei uma caixinha de preservativos coloridos com sabores.
O carro estava estacionado num parque pouco iluminado e quase deserto àquela hora da tarde. Ao entrarmos no carro elas riam e cochichavam entre si feitas baratas tontas.
Então propõe-me a minha amiga: «João, porque não pões uma camisa de cada sabor e nós fazemos a prova já aqui?»

28 novembro 2006

Obreiros da construção civil

CARMELLA said...

Ora por favor, me digam uma coisa:

- qual a mulher que não gosta de ser olhada?
- não existe.
- e qto ao fato de serem executivos ou vendedores ambulantes não tem nenhuma importância, sabem pq?
- pq os maiores entendidos sobre mulheres são os caminhoneiros e os obreiros da construção civil.
- pobre da mulher que nunca ouviu um FIU FIU da categoria.

EU GRAÇAS A DEUS CONTINUO OUVINDO!



E mais nada!!!
É assim mesmo. Força Carmella.

26 novembro 2006

Money, money, money

Quis a sorte ou o destino conhecer e privar, de forma ocasional, com um dos homens mais ricos de Portugal.

Além das entediantes conversas dos seus milhões e de como se ganham milhões (intuição para o negócio misturada com muita sorte, diz ele), repete-me, vezes sem conta, que a sua vida amorosa dava um filme.

E um dos conselhos que me deu foi este: «Meu caro, não fique aí sentado à espera. Se quer conquistar uma mulher, vá ao encontro dela. Não mantenha uma atitude passiva. Mas um comportamento proactivo».

E eu acabo por concordar com ele.
Não é que o filho da puta anda a bater-se* às mesmas gajas que eu ? Mulheres com metade da sua idade e que podiam ser suas netas. Acenando-lhes com promessas mirabolantes (segundo ouço das próprias).

* Em linguagem de trolha: papar, comer, foder.

25 novembro 2006

Maria Madalena

Conheci, ontem, uma rapariga que tinha acabado com o namorado.
Até parecia que o mundo inteiro estava contra ela.
Chorava, copiosamente, como uma Maria Madalena.

Resultado?

Fiquei com Ele cheio de lágrimas.

Jogos de Sedução

(Relato verídico de uma aventura. «Just in time»).


Domingo, 19-11-2006

Onze horas da manhã. O café completamente cheio. Tu estavas sentada com a minha amiga, tal como eu já imaginava, numa mesa ao canto virada para a porta de entrada. Viste-me entrar e sorriste-me. Com um sorriso franco e bonito. Eu não tinha alternativa. Não havia qualquer mesa livre, por isso pedi licença e sentei-me na vossa mesa.
Cumprimentei a minha amiga com um beijo. E ela apresentou-te. Tu, de imediato, levantaste-te e deste-me um beijo em cada face mostrando a maior naturalidade do mundo.
Cedo me apercebi, estupefacto, que sabias muitas coisas a meu respeito. Sossegaste-me dizendo que eras a tia da maior amiga da minha filha.
Eu sei. Elas são amigas inseparáveis desde a infância. E a tua sobrinha é amorosa. Eu sempre gostei muito dela. E ela tem por mim um afecto especial. Deve achar-me um eterno adolescente. Foi isso que ela te disse?
Conhecias, com certeza, o novo rumo da minha vida. E que eu era agora um homem só e descomprometido. E tu disseste-me em jeito de consolação: «Deixa pra lá, cada vez há mais divorciados e divorciadas».
Falámos de vinhos e tu disseste-me que gostavas mais dos brancos gelados. Falámos de prendas do Natal e da carestia de vida. De porcelanas finas. E tu ficaste espantada ao perceberes que eu tinha uma fixação por porcelanas finas. E que era um «connosseur». Exagerei um pouco. Queria impressionar-te.
«Admiro homens sensíveis à arte e ao belo», disseste-me tu. E eu sorri.
Defendeste os metrossexuais e eu brinquei com isso. E tu riste-te da minha definição de metrossexuais.
De repente, estávamos os dois sozinhos nos café. E a conversa descambou, como não podia deixar de ser, para o sexo.
Pagaste-me o café e saímos.
Terá sido impressão minha ou quase me beijaste os lábios na despedida?

(continua)

Jogos de Sedução

(Relato verídico de uma aventura. «Just in time»).


Sábado. 18-11-2006.

Estavas sentada numa mesa do café. A conversar animadamente com uma amiga minha. Cumprimentei-a com um «Olá, como estás?» .
E tu olhaste-me com os teus bonitos olhos castanhos. A forma como me olhaste não admitia segundas interpretações. Eu li nos teus olhos: desejo, mistério e loucura.
Por uma questão de delicadeza (ou por me sentir intimidado?), fui sentar-me noutro local. Mas reparei que olhaste de soslaio na minha direcção.
Os nossos olhares cruzaram-se. Nenhum dos dois esboçou o menor sinal de fraqueza: não sorriste para mim nem eu sorri para ti.
Tomei o café e chamei o empregado para pagar. Passei na tua frente. Ignorei-te de forma intencional. Despedi-me da minha amiga com um «Até um dia destes» e saí do café.

(continua)

Gata no cio

O_Trolha: com aquela voz de gatas no cio
A_Gata: que voz é essa?
O_Trolha: elas até mudam de voz
A_Gata: será?
A_Gata: nunca reparei que mudasse de voz ...
O_Trolha; ficam com uma voz diferente .. mais submissas, de mulheres prestes a entregarem-se
A_Gata: ah
A_Gata: é natural
A_Gata: é voz de carinho
A_Gata: eu sou muito carinhosa
O_Trolha: tu não reparas quando estás prestes a entregar-te como ficas?
O_Trolha: não é so carinho
O_Trolha: é mais submissão
O_Trolha entrega
A_Gata: já percebi
A_Gata: e não gostas?
O_Trolha: elas ficam indefesas ... parecem indefesas
O_Trolha: nunca reparaste nisso?
A_Gata: e não gostas de mulheres assim?
O_Trolha: adoro
A_Gata: é o amor
O_Trolha: mulheres q ficam meio aparvalhadas e indefesas
O_Trolha: nem sabem onde se hão-de meter

23 novembro 2006

O Trolha_Bombeiro

O_Trolha: descreve-te fisicamente
A_Sirene: simpática
A_Sirene: bonita
A_Sirene: sexy
A_Sirene: meiga
A_Sirene: carinhosa
A_Sirene: lololol
A_Sirene: caías aos meus pés
O_Trolha: hummmmmmmmmmmm
A_Sirene: na hora
A_Sirene: lolol
A_Sirene: hummm
O_Trolha: simmmmmmmmmmmm
A_Sirene: olhos castanhos ...
O_Trolha: hummm
A_Sirene: sorriso lindo ...
A_Sirene: lolol
O_Trolha: mulher quente ...
A_Sirene: não muito alta ...
A_Sirene: bem feita.
A_Sirene: lolol
O_Trolha: isso de bem feita como é???
A_Sirene: como imaginas.
A_Sirene: tudo no lugar.
A_Sirene: lol
O_Trolha: quero q me descrevas o teu corpo.
A_Sirene: hummm
A_Sirene: não dá
O_Trolha: anda lá ... descreve tudo em pormenor
A_Sirene: só em braille
A_Sirene: lol
O_Trolha: nãooooooooooo
O_Trolha: anda lá
A_Sirene: nãoooooooooooo
A_Sirene: lol
A_Sirene: é como tu imaginas
O_Trolha: olha
O_Trolha: começa nas pernas
A_Sirene: sou uma mulher quente e sensual
A_Sirene: esguias
A_Sirene: lol
A_Sirene: bem contornadas
O_Trolha: e...
O_Trolha: sim....
A_Sirene: grossas
A_Sirene: lol
O_Trolha: e as ancas?
A_Sirene: tudo bom
A_Sirene: lol
A_Sirene: bem vincadas
O_Trolha: as maminhas como são?
A_Sirene: boas
A_Sirene: direitinhas
O_Trolha: boas como?
A_Sirene: lol
O_Trolha: empinadas?
A_Sirene: sempre
O_Trolha: e o mamilos?
A_Sirene: rosados
O_Trolha: grossos ou finos?
A_Sirene: duros e firmes
A_Sirene: grossos
O_Trolha: hummmm
A_Sirene: lolol
O_Trolha: dá pra chupar bem?
A_Sirene: muito
A_Sirene: lolol
O_Trolha: agarrar bem com os lábios e morder?
A_Sirene: muito
A_Sirene: tás quase maluco
O_Trolha: pois estou
O_Trolha: estou com um tesão q nem te digo
O_Trolha: todo entesuado
A_Sirene: com tão pouco?
A_Sirene: fracote
A_Sirene: lolol
O_Trolha: eu reajo, assim, de imediato
O_Trolha: estou com ele todo duro, já
A_Sirene: tipo bombeiro …
A_Sirene: toca a sirene e tás logo pronto.

22 novembro 2006

Faixa de Gaza

- Pai, sabes como se chama aquele bocadinho de barriga que as mulheres costumam mostrar?
- Não.
- É a Faixa de Gaza.
- Hã???
- A norte estão os Montes Golã e a sul a Terra Prometida.




(do meu filho de 15 anos)

Uma Noite sem Preservativo

Uma Noite sem Preservativo

Autor: João Alves da Costa
Editora: Âncora
Colecção: Âncora
Edição: Julho de 2003
ISBN 972 780

Uma aventura nos jogos do prazer e da dor em capítulos de fantasias sexuais fetichistas, desejos obsessivos sadomaso, volições secretas lesbo e assédios fantasmáticos.

O regresso de uma Escrita urgente e descomplexada.

Uma corrida desassombrada às taras de africanas dominadoras que vendem escravos europeus, de olhos azuis e verdes, para Angola e África do Sul, para mero prazer sexual numa política de submissão, humilhação e pura escravatura enquanto outras confessam administrar afrodisíacos intensivos.

Um homem submisso em casa, escravo na cama, humilhado por uma mulher dominadora, entra numa série de peripécias de jogos sexuais em voz alta e de fantasias lésbicas com as amigas de sua esposa, todas elas saídas do ginásio, de porte atlético, esbelto e musculado, cabeças arejadas de loiro e moreno para um novo tipo de romance.

E começa a aventura nos jogos do prazer e da cor em capítulos fetichistas, desejos sadomasoquistas, assédios de fantasmas que o levam a fazer amor com ínumeras parceiras, uma das quais está contaminada com HIV, ele sem saber quem.

«Uma noite sem preservativo» aborda, pela primeira vez, entre nós, o tema da troca de parceiros num clube da especialidade, com mulheres travestidas de homens, numa nova abordagem da sociedade portuguesa em mutação social veloz, num Portugal assolado pelos escândalos.

21 novembro 2006

Pensamento do dia (de trolha)

As trintonas suspiram por ter um velho rico e dois a três amantes novos.

O velho rico para lhes pagar as con_t_as escaldantes.
E os amantes novos para lhes a_pagar (o fogo) das conas ardentes.


PS: sei que isto até pra trolha é ordinário, mas foi o desabafo (ou desafio?) que ouvi ontem de uma amiga no cinema.

19 novembro 2006

Amputado da guerra

Diálogo de um amputado da guerra da Libéria:


- Depois de me terem amputado a perna tive o Samuel.
- Tive medo que o Samuel nascesse, assim, amputado como eu.
- Mas, felizmente, nasceu com as duas pernas completas.
- E eu sei porquê.
- Porque Deus tem a radiografia da minha imagem completa.
- Para muita gente eu não passo de uma amputado da guerra.
- Mas para Deus eu ainda tenho as duas pernas completas.

18 novembro 2006

POR PRAZER

Vendo-te e prendo-te as mãos com algemas , porque sempre gostaste e tiveste curiosidade acerca do desconhecido e doloroso papel de homem submisso.

Vesti-me de propósito para a ocasião: meia de ligas e botas altas de salto agulha, pretas. A lingerie não é de renda, desculpa, mas detesto renda, por isso escolhi lycra. Preta. Para o que é basta e estou mais cómoda.

Ainda estás de pé, tentas relaxar, mas ficas alerta, pois é a primeira vez que o fazemos. A tua cabeça movimenta-se para onde ouves o som dos meus saltos.

- De gatas, já!!! - ordeno-te.
- É assim que gostam mais de nos comer, não é? Mas hoje é a minha vez.
- Lindo menino...ficou logo de gatas para a mamã. Achas graça à nossa brincadeira? Por ser a primeira vez, nem sei bem o que te faça, mas que vais sofrer, vais, meu amor!!!.

Passeio as minhas unhas nas tuas costas, para que me sintas e monto-te.

- Dás um belo cavalo...ou burro, dependendo do resultado da montaria» - e nesse momento tu ouves “click” e noto na tua cara a expressão de medo, quase pânico.
- Que lindo que ficaste quando ouviste a navalha a abrir... nada a ver com a expressão que fazes quando me sodomizas....é o reverso da medalha, meu amor!

E a ponta da navalha inicia a sua viagem: percorre o teu braço, começando nos teus dedos, subindo até ao ombro e acabando na tua orelha, onde eu coloco a minha boca e te sussurro:

- Serias capaz de morrer por prazer?.

E tu empalideces, porque sabes que sou capaz de muita coisa. A ponta da navalha passeia pela tua cara...que lindo rosto...eu não te quero magoar, mas quero fazer-te sofrer. Vou mostrar-te com quantas letras se escreve o meu nome.

A pressão da ponta da navalha deixa-te marcas no rosto, mas eu poupo-te dos arranhões. E tu transpiras ....

- Meu amor...quando me comes nunca transpiras tanto, porquê isso agora? _

E tu nem me respondes...a tua respiração está irregular, apenas esperas...e rezas para que nada te aconteça.

Levanto-me.

- Deita-te já, meu cabrão...barriga para cima.

E sento-me em cima de ti, na mesma posição em que noutras ocasiões tanto gozei....quer dizer, hoje também vou gozar, mas não da mesma forma. E tu atreves-te:

- O que me vais fazer?

- Cala-te já, meu estúpido, quem é que manda?

E a ponta da navalha passeia pelo teu pescoço, pela tua maçã de Adão e desce, numa descida sinuosa, pressionando a ponta dos teus mamilos e desce pela tua barriga, pressionando e marcando a viagem. Em alguns pontos a pele fica muito vermelha, assegurando que estou a desempenhar bem o meu papel.


Mas eu não tenho muita paciência para isto, por isso decido acabar em grande.

- Levanta-te e debruça-te sobre a mesa!

E eu ajudo-te, pois não vês um corno à frente e roço-me em ti. Encosto a navalha ao teu membro...

- Ai ... ficou assustadinho, o menino !...

E a ponta da navalha percorre as tuas pernas, sobe pelo seu interior ...

- Abre as pernas! - e tu resistes.
- Pára com isso, que vais fazer?
- Cala-te !

E pontapeio os teus pés para que abras as pernas. E a ponta da navalha brinca nas tuas nádegas, contorna o teu ânus e tu retrais-te, ficas impaciente.

- Pára!

- Paro quando EU quiser!
E a navalha continua a rodear o teu ânus e nessa altura ouço-te fungar, as lágrimas a serem absorvidas pela venda...

Choras, meu amor, choras...e eu nem te cheguei a fazer nada. “Click” e a navalha recolhe.

- Acabou? - perguntas ainda vendado.
- Acabou mesmo? Desata-me as mãos. Fogo, estava a ver que te passava alguma coisa má pela ideia!….

- Cobarde.... jogos sexuais? Para ti jogos sexuais são só aqueles em que os meus buracos é que são preenchidos ... não me mereces ... não és corajoso o suficiente para me continuares a comer...tanto te dei sem nunca pedir nada em troca, só pelo prazer de te ter, mas tu, a primeira vez que te peço um sacrifício, choras que nem um bebé ... serás sempre um menino mimado.

Serás sempre um Burro cobarde, que não deu montada de jeito a uma amazona .....


(Posted by «A Amazona»)

Foi feitiço



Eu... não sei o que me aconteceu
Foi feitiço!
O que é que me deu?
para gostar tanto assim
de alguém como tu.

Como tu...

Eu... não sei o que me aconteceu...


(André Sardet)

17 novembro 2006

Primeiras impressões

- calmo, carinhoso, meio bruto, bem disposto, meio trolha :)
- pois...
- eu também devo ser assim, mais coisa menos coisa

15 novembro 2006

SABES DAR UM BEIJO?

Sabes dar um beijo, ao menos?
sabes deixar-me louca de desejo?
num beijo lento, interminável, com a língua a moldar-me, a lamber-me ao redor da minha boca, sugando-a de mansinho, a deixar-me a pele e o sexo mornos e molhados?
deixar-me a querer-te cada vez mais?

E se planeássemos apenas
tocarmo-nos
com as mãos...
com as bocas
com as línguas
depois de já nos termos tocado com olhares
depois de já nos ter apetecido mergulhar os nossos rostos nos nossos pescoços
depois de já ter desejado imensamente beijar sem beijar as nossas orelhas
se planeássemos...
apenas...
chuparmos os nossos dedos...
tocar ao de leve com a língua nas nossas pálpebras...
na pontinha do nariz...
contornar ao de leve com a língua, os nossos lábios?
e voltarmo-nos a afastar um pouco um do outro
de mãos agarradas...
com medo...
que um ou o outro possa desviar-se para demasiado longe?
sim?
ficaríamos com um tesão filho da puta!!!

E vagarosamente
vou senti-la dura
por cima das tuas calças
tocar-me as coxas...
procurar o meio das minhas coxas
dura...
vou desejar
que me puxes a cabeça para baixo
com uma mão
enquanto que com a outra te desapertas
devagar...
para eu te desejar cada vez mais...
para me ouvires gemer de desejo...
sim
ouve-me
ouve o meu desejo
ai

(post remetido por mail)

O SEXO É NATURAL

Ao vivo e a cores, ao telefone, por mail, pelo msn... acompanhado(a) ou sozinho(a), pratique-se. Faz bem à pele, à alma, ao humor e ao amor.


Li e gostei do que li.
Nem sempre isso acontece.
Recomendo. De leitura obrigatória.

14 novembro 2006

Acabaram-se as desculpas

- Ainda te demoras muito? Quero dormir.
- Aqui estou eu, querida.
- Olha, não, estou com dor de cabeça.
- Calha mesmo bem, amor.
- Como assim?
- Polvilhei o COISO com aspirina em pó.
- Hã .... ???????
- Como queres tomar a aspirina? Por via oral ou em supositório?

12 novembro 2006

CANÇÃO DE AMOR


Ensinei o meu pénis a dizer
o teu nome. Só ele é capaz

de soletrá-lo de trás para a
frente e da frente para trás

indiferentemente.

Só ele fala como falo.

Jorge de Sousa Braga in "Porto de Abrigo"

11 novembro 2006

Garota de Programa

Madre_Teresa: conheci um blog de uma Garota de Programa/ Amante Profissional, que te deve interessar ...
Madre_Teresa: assim, tipo cultura geral, claro …
O_Trolha: diz
Madre_Teresa: conheces o blog?
O_Trolha: uma profissional, agora, vinha mesmo a calhar. Estou farto de amadorices.
Madre_Teresa: aproveita!
Madre_Teresa: manda-lhe um email a marcar um encontro.
O_Trolha: como?
Madre_Teresa: vai ao blog. Ela tem lá o endereço
O_Trolha: ela está a oferecer-se de borla?
Madre_Teresa: é profissional e faz tudo pelo bem da humanidade, como qualquer um de nós o faz nos nossos empregos.
O_Trolha: olha, eu não tenho dinheiro para isso, só se fores tu a pagar-me.
Madre_Teresa: vai-te lixar !!!!
O_Trolha: a sério….
Madre_Teresa: ok
Madre_Teresa: pago-te. Ok, pago-te um encontro com ela.
O_Trolha: pagas-me uma com ela? Óptimo.
Madre_Teresa: eu acho que mereces imensamente. Marca com ela.
O_Trolha: vou lá espreitar
O_Trolha: sim. Olha, ela respondeu-me a dizer q um programa de 4 horas são 200 Euros. Mas que me dá 8 oportunidades (tantas oportunidades deitadas ao lixo. Que se lixe!)
Madre_Teresa: Ok, mando-te o dinheiro.
O_Trolha: é pagamento antecipado ou postcipado?
Madre_Teresa: já tens que levar o dinheiro. Pensas que é fiado?
O_Trolha: então, despacha-te a fazer a transferência dos 200 Euros. Deve ser uma bela foda!
Madre_Teresa: acredito q sim … com alma ….
Madre_Teresa: lol
Madre_Teresa: é uma profissional …. não faz outra coisa na vida … só pode ser do melhor … ou perto do melhor.
Madre_Teresa: nada do que eu possa, por exemplo, ser um dia...
Madre_Teresa: porque me dedico a mais actividades além de sexo :)
O_Trolha: mas podias treinar com ela
Madre_Teresa: não
Madre_Teresa: se precisasse ou tivesse optado por essa maneira de ganhar o meu sustento, só me faria bem aprender ...
Madre_Teresa: mas quase nada depende disso na minha vida.
O_Trolha: quase???
O_Trolha: hummmmmmmmmmmmmmm
Madre_Teresa: sou amadora, lol
O_Trolha: pois… entendo …
O_Trolha: amas a coisa apenas pelo amor da coisa.
Madre_Teresa: vamos apreciando o que vamos fazendo …..
Madre_Teresa: sem criar grandes expectativas .
O_Trolha: ora
Madre_Teresa: aliás …
Madre_Teresa: eu se quiser satisfazer expectativas, tb saio com um pofissional do sexo
Madre_Teresa: como é lógico!
O_Trolha: mas tens de pagar.
Madre_Teresa: e?
Madre_Teresa: pagamos tudo na vida
O_Trolha: e se tens quem te faça de borla para porquê pagar?
Madre_Teresa: há alguma coisa que não se pague??????????????????
O_Trolha: sei lá …
Madre_Teresa: borla?
Madre_Teresa: borla?
Madre_Teresa: borla?
O_Trolha: não há pequenos almoços grátis … dizem
Madre_Teresa: sai-te mais barato que teres uma mulher 24 horas por dia em casa, todos os dias, para dares uma queca por semana com ela!
Madre_Teresa: sabias?
O_Trolha: então não sei ...
O_Trolha: sei isso muito bem.
O_Trolha: sou trolha mas não sou trouxa
Madre_Teresa: ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
O_Trolha: ahhhhhhhhhhhhh
O_Trolha: até fico cheio de tusa só de pensar na carícia dela …… ..sabendo q és tu a pagar
Madre_Teresa: :)
O_Trolha: isso até me dá mais tusa
Madre_Teresa: óptimo
Madre_Teresa: gosto
Madre_Teresa: de te ouvir dizer
Madre_Teresa: tusa
Madre_Teresa: e mais ainda
Madre_Teresa: mais tusa
O_Trolha: :)
Madre_Teresa: :)
O_Trolha: por acaso nunca me tinha ocorrido essa
O_Trolha: mas acaba por ser uma experiência excitante
O_Trolha: ter um programa com uma profissional pago por uma amiga. Um experiência deveras excitante.

O meu emprego é uma festa

Aniversário

Viva, quem é um menino pequenino neste dia!

Admita-se ou não, sempre nos sentimos especiais nesta data.
Para te sentires mais especial , ainda, neste dia.
Uma rosa para ti das tuas colegas e amigas.

Adoramos-te, João!

(com a assinatura, irrreproduzível, das minhas queridas e amorosas amigas)

10 novembro 2006

BLIND DATE


Era noite de lua cheia.

Esperava-te sentado na minha cama.

Olhei em volta para assegurar-me que tudo estaria perfeito. A minha ansiedade crescia à medida que o ponteiro dos segundos do despertador fazia tic, tac, tic, tac…

Tinha deixado a porta entreaberta e tu sabias o que fazer, mas era-me difícil resistir à tentação de ir à janela ver-te chegar. Era suposto não o fazer.

Queria sentir a emoção e a adrenalina de ouvir o ranger da porta à tua entrada e queria que tu sentisses também a emoção de entrares no desconhecido. Os minutos passavam e não, tu não estavas atrasada, eu é que estava adiantado. Adiantado na emoção, na vontade, na antecipação do momento.

Ouvi, por fim, a porta ranger, o som de saltos altos a tocarem no mosaico do chão da entrada e o som da porta a fechar-se atrás de ti. Os teus passos tinham substituído o barulho do ponteiro dos segundos e a minha excitação crescia tremendamente.Dirigiste-te no sentido que te tinha indicado e surgiste na soleira da porta do quarto… e o teu sorriso e o “Olá” que me disseste provocaram-me um arrepio na espinha. “Entra” – disse-te – e logo fizeste o que te pedi.

Sem mais dirigiste-te a mim e ainda antes de teres chegado à minha beira, pude sentir o teu doce e inebriante perfume. Sentaste-te a meu lado fazendo a tua perna tocar na minha.

Queria devorar-te logo ali tal era a fome que tinha pelo teu corpo, pelo teu cheiro, pelo teu suor.Queria, desde logo, ouvir súplicas de paixão violenta e o êxtase do prazer. Mas queria também conter-me, provar-te primeiro, conhecer-te com calma, cheirar-te com delícia e saborear-te todinha. Foi com dificuldade que não te arranquei a roupa do corpo como a vontade me determinava, mas o teu olhar doce, ainda que atrevido, também me ajudou.

Beijei-te no pescoço e vi-te arrepiar …. adorei esse arrepio e prolonguei os beijos. Com a minha língua percorri todo o teu pescoço enquanto sofregamente inspirava o cheiro da tua pele. Quis morder-te e mordi, primeiro muito ao de leve, depois um pouco mais forte no ombro que tinhas acabado de descobrir para mim.

Adoro ombros e adorei os teus ombros. Reparei que um pouco mais abaixo, por debaixo dessa blusa de algodão que trazias, dois pontos pareciam querer perfura-la… quis tocar-lhes, eram meus, eram só para mim.Toquei-lhes ao de leve e reponderam-me com atrevimento.

Retirei-te a blusa e o soutien e tirei a minha camisa, quis sentir o teu peito contra o meu e apertei-te contra mim num beijo profundo e demorado no qual as nossas línguas se entrelaçaram numa dança sensual. A respiração tornou-se pesada e ofegante e ouvi-la, assim, aumentou a vontade. A minha pele clamava pela tua.

Afastaste-me um pouco e disseste-me que precisavas de ir à casa de banho. Mostrei-te onde ficava e voltei para o quarto tentando recompor as ideias… nunca tinha experimentado nada tão intenso, tão sensual, tão imediato.

Aproveitei para pôr a tocar uma música… algo de sensual, de latino, ritmado, quente e picante… sabia que gostavas e só não o tinha feito antes porque tudo aconteceu muito rápido desde a tua chegada.

Regressaste e logo me empurraste para trás, obrigando-me a deitar em cima da cama. Sentaste-te em cima de mim e levantaste a tua saia para que melhor pudesses abrir as pernas. Inclinaste-te e beijaste-me na boca, primeiro, depois no pescoço e por fim no peito.

Enquanto o fazias dançavas em cima de mim ao ritmo da música que tocava.

Toquei-te nas mamas e agarrei-as de seguida usando os polegares para brincar com os teus mamilos. Tinha-o rijo e guloso, cheio de vontade de ti e sentia-te, através das cuecas, completamente molhada. As minhas mãos brincavam e faziam agora do teu baixo-ventre um parque de diversões.

Sentia-te cada vez mais quente.Levantei o tronco e agarrei-te pelos cabelos puxando a tua cabeça para trás. Beijei-te e lambi-te o pescoço. Mordi-te mais um pouco, também no pescoço e, num passo de mágica, pus-te por debaixo de mim.

Tirei as minhas calças, boxers e meias e arranquei-te a saia e as cuecas… estavas à minha mercê e sem que esperasses penetrei-te o mais fundo que consegui. Gemeste de surpresa e de prazer e sorriste, como só sorri uma mulher que está feliz, e aí tiveste o teu primeiro orgasmo.

Ao princípio os nossos movimentos eram lentos, ritmados, como se dançássemos ao som da música que tocava. Beijávamo-nos suavemente mas de uma forma tremendamente erótica, saboreando os lábios e a língua um do outro. Tínhamos as mãos dadas e os dedos entrelaçados e o movimento ondulante dos nossos corpos e o prazer que eles nos estavam a dar fez-nos sorrir um para o outro, em cumplicidade.

Percorri todo o teu corpo com o meu nariz, cheirando-te, e com a minha língua, provando-te. Usei-a para brincar com os teus mamilos e desci até ao teu umbigo onde me retive algum tempo. Desci mais um pouco e provei as tuas gulosas delícias húmidas, ou melhor, encharcadas da tua tesão, do teu prazer.

Aí fiquei, deliciado, procurando o teu clítoris com a minha língua e dando-lhe toda a minha atenção. Meti-te os dedos e usei-os para te tocar por dentro em ternas e doces carícias que te faziam tremer. Agarraste-me pelos cabelos e puxaste-me para cima, entre beijos disseste-me:”Fode-me…fode-me já!!!” Ficámos loucos.

Comemo-nos como se a fome fosse insaciável. Rodámos, roçámos, as minhas mãos não pareciam nunca estar satisfeitas e percorriam todo o teu corpo, moldavam-no, sentiam-no, espalhavam o teu suor que se misturava com o meu.

O cheiro a sexo que aumentava e se tornava fragrância inspirava-nos ainda mais e num último suspiro disseste-me: “vou-me vir… quero que te venhas comigo”. Se quente estava, essas tuas palavras mais me aqueceram e ao sentir-te retesar, ao ouvir-te a tua respiração pesada e intensa, a tua voz solta num gemido gritado, vim-me contigo de uma forma avassaladora.

Caímos exaustos, mas satisfeitos…apesar da demora, nada tinha falhado em relação às nossas expectativas.

Depois de te levantares, ires de novo à casa de banho e acabares de te vestir, perguntei-te se alguma vez iríamos repetir o que tínhamos vivido. Vestida beijaste-me a nuca e segredaste-me: "o futuro a Deus pertence!"


Autor desconhecido

09 novembro 2006

TEMPUS FUGIT


Perguntei ao tempo:
- Quanto tempo é que o tempo tem?

E o tempo respondeu-me:
- Tens tanto tempo, quanto tempo, o tempo tem!


Vamos mas é viver a vida: no virtual ou ao vivo e a cores.

08 novembro 2006

O Trolha disfarçado de Gato_40

O_Trolha: que procuras aqui na Net?
A_Fêmea: gosto de descobrir a natureza humana.
O_Trolha: ah...boa resposta
O_Trolha: por isso teclas comigo
A_Fêmea: gosto de me evadir esquecendo os problemas de casa......
A_Fêmea: e de seduzir homens :)
O_Trolha: seduzir homens como?
O_Trolha: conta-me ... acho-te piada.
A_Fêmea: deixá-los de quatro por mim...:)
O_Trolha: uiiiiiiiii ....
O_Trolha: e como fazes isso?
A_Fêmea: são precisos dois factores:
A_Fêmea: 1. conhecer mt bem a natureza masculina;
A_Fêmea: 2. saber escrever bem, jogando com o poder das palavras e do efeito q elas podem causar neles se bem escolhidas.
O_Trolha: tu consegues teclar com eles dessa forma? E eles não usam de linguagem ordinária contigo?
A_Fêmea: comigo batem a bolinha baixa e não me faltam ao respeito pq cedo lhes imponho respeito.:)
A_Fêmea: linguagem ordinária comigo? só tentam uma vez! :)
O_Trolha: hummmmmmmmmm ...
O_Trolha: mas acabas por te envolveres com eles depois ou não?
O_Trolha: isso muitas vezes acaba na cama...
A_Fêmea: não. Fecho os olhos, durmo e no dia seguinte já nem me lembro...:)
O_Trolha: e excitas-te dessa forma…. ficas molhada?
A_Fêmea: só houve um q tinha pedalada para este meu jogo de sedução. Por isso nos relacionámos virtualmente durante dois anos e meio.:)
A_Fêmea: há casos em q sim. Qd os gajos são bons .
A_Fêmea: mas é tão raro encontrar um bom nestas coisas!...:)
O_Trolha: e nunca te envolveste ao vivo e a cores com nenhum?
A_Fêmea: nunca
O_Trolha: olha, conheceste, por acaso, aqui um GATO_40?
O_Trolha: lololololololollolol
A_Fêmea: ehehehehhehehehheheh
A_Fêmea: sim, sim, sim. Era muito erótico..só me fazia rir. Conseguiu pôr-me molhada algumas vezes. Lolololol.
A_Fêmea: escrevia-me poemas eróticos…. contos eróticos...
A_Fêmea: era demais.

07 novembro 2006

É sempre Outono no Outono


Caem as folhas secas no chão irregularmente,
Mas o facto é que sempre é Outono no Outono,
E o inverno vem depois fatalmente,
Há só um caminho para a vida, que é a vida... .


António Gedeão

05 novembro 2006

Gata no cio

O_Trolha : hoje quero que te sintas vaca ....
O_Trolha : e puta safada.
Ga_Tem_Cio : deixas-me a escorrer toda só de adivinhar a carícia.
O_Trolha : abre mais as pernas...
O_Trolha : pra te sentires mais ordinária...
O_Trolha : como uma puta de verdade.
Ga_Tem_Cio : simmmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : abro-me toda !!!!!!!!! Estou toda aberta!!!!!!!!! Olha!
Ga_Tem_Cio : olha-me!
O_Trolha : tira as cuecas fora
Ga_Tem_Cio : olha as minhas coxas !
O_Trolha : agora, levanta a roupa para cima
O_Trolha : eu olho as tuas coxas
O_Trolha : tira tudo fora
O_Trolha : quero-te toda nua
Ga_Tem_Cio : simmmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : pera ...
Ga_Tem_Cio : olha a minha cona
Ga_Tem_Cio : vou tirar a mão de cima dela devagarinho
O_Trolha : simmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : para te deixar ver
O_Trolha : sim
Ga_Tem_Cio : hum
Ga_Tem_Cio : chega cá
Ga_Tem_Cio : deixa pegar-te na mão
Ga_Tem_Cio : no teu dedo indicador
O_Trolha : sim
Ga_Tem_Cio : encosta-o à minha cona
Ga_Tem_Cio : à entrada da minha vagina
Ga_Tem_Cio : sente-a
O_Trolha : simmmmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : sente-a
O_Trolha : sim
Ga_Tem_Cio : a contrair
O_Trolha : sim
O_Trolha : uiiiiiiiii
Ga_Tem_Cio : deixa o dedo escorregar para cima
O_Trolha : simmmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : toca o meu clitóris
O_Trolha : simmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : de veludo
Ga_Tem_Cio : macio
O_Trolha : uiiiiiiiiiiiiii
Ga_Tem_Cio : pressiona-o
O_Trolha : simmmmmmmmmmmmmm
Ga_Tem_Cio : esfrega-o docemente
O_Trolha : uiiiiiiiiiiiii
O_Trolha : sinto-o
O_Trolha : duro
Ga_Tem_Cio: diz q desejas tanto... lamber-mo ...
Ga_Tem_Cio : diz !
O_Trolha : quero lambê-lo ...
Ga_Tem_Cio: não deixo :)
Ga_Tem_Cio: vai outra vez para longe.
O_Trolha : sua puta!
O_Trolha : sua ordinária!
O_Trolha : sua cadela com cio!
O_Trolha : fode-te sozinha !!!
O_Trolha : vem-te sozinha !!!!
Ga_Tem_Cio : não adianta reclamares :)
Ga_Tem_Cio : acaba lá essa punheta e cala-te !
Ga_Tem_Cio : foda-se!!!

BRICOLAGE

Pompoarismo

Chupar, revirginar, ordenhar, chupitar, massajar, morder, guilhotinar, algemar.

Estas são algumas das expressões cada vez mais comuns entre os modernos casais «cool».

Muitas mulheres têm vindo a recuperar a sua auto-estima e a transformarem-se em «Grandes Amantes» através da prática do pompoarismo, prática milenar das mulheres do Oriente.

O que é pompoar ? À letra: chupar o pénis com a vagina.

É uma técnica de desenvolvimento da musculatura vaginal para aumentar o orgasmo feminino e o prazer do parceiro.

Nasceu na Índia há milhares de anos e foi transmitida de mãe para filha através dos tempos. As praticantes aprendem a exercer o total controlo da vagina, mais precisamente dos três músculos chamados anéis vaginais.

Dessa forma, eles proporcionam várias sensações ao pénis do parceiro, melhorando o desempenho sexual de ambos, podendo, inclusive, retardar a ejaculação masculina. Através do pompoarismo as mulheres aumentam a sua autoconfiança e passam a sentir-se mais bonitas e sensuais.Três passos para o paraíso.

A disciplina é fundamental na arte do pompoarismo e os resultados surgem depressa.

Após três ou quatro meses de exercíccio, ficas com grande domínio de toda a musculatura vaginal. Com um mês de exercício, o «teu» homem já sente diferença na rigidez da musculatura da tua vagina.

FAÇA VOCÊ MESMA

A primeira etapa consiste em descobrires os músculos a serem «trabalhados». Deves contrair a vagina interrompendo o fluxo de urina, de preferência, logo no primeiro xixi da manhã. O ideal é fazer o exercício três vezes ao dia, repetindo 15 vezes o procedimento de contração da vagina.

Atenção: a interrupção da urina só deve ser feita só na primeira vez, para que a mulher descubra como contrair a vagina. Esse exercício desperta também a tesão feminina. Vais começar a sentir tesão nos primeiros exercícios. Aproveita para ires até ao fim. Lol.

A segunda etapa é mais excitante, pois podes contar ou com a participação do «teu» homem. Os exercícios são feitos com as famosas BOLAS TAILANDESAS (que uma amiga minha me confessou recentemente obter com elas orgasmos incríveis).

Colocas uma das bolinhas na vagina e tentas puxar as outras exercitando os músculos. Depois de "engolires" as bolinhas, deves fazer o caminho inverso, expulsando-as da vagina. O «teu» homem pode participar vendo, segurando o fio ou usando a sua imaginação... Lololololol.

Na etapa final, usas um pequeno vibrador a fim de exercitares os três anéis musculares da vagina. Neste caso, o vibrador simula o pénis do «teu» homem.

Aprimora as técnicas a seguir indicadas.Claro que ao exercitares os músculos vaginais com o vibrador vais sentir uma tesão «filha da puta». Não esmoreças. Segue sozinha o teu caminho: será uma melodia a uma nota só. Nesse caso, pensa na orquestra que vem a caminho.

Vê o que podes fazer com a tua vagina através do pompoarismo

- Revirginar: contrair com força o músculo da entrada da vagina, impedindo ou dificultando a entrada do pénis. Recupera, para ambos, a sensação da virgindade, com a "dificuldade" da penetração.

- Ordenhar: contrair os músculos circunvaginais em seqüência desde a entrada da vagina em direção ao útero.-

- Chupitar: imitação dos movimentos que os bebês fazem com a boca quando estão mamando.

- Sugar: a famosa chupetinha, só que feita pela vagina.

- Massajar: movimentos alternados dos músculos, variando a intensidade de cada um.

- Morder: tem como objetivo retardar a ejaculação do homem. A mulher contrai com força o músculo vaginal bem abaixo da glande do homem.

- Guilhotina: uma "mordidela" com força.

- Agarrar ou Algemar: contrair a vagina, impedindo praticamente a saída do pénis.

- Expulsar : o contrário de "algemar", ou seja, expelir o pénis (ou o vibrador ou a banana).

04 novembro 2006

Sexo Virtual = Adultério Virtual?

O sexo virtual levanta um série de questões jurídicas pertinentes.

Se não vejamos:

O relacionamento virtual pode ser motivo atendível para divórcio, subsumindo-se no conceito de infidelidade moral?
Sim ou não?

O sexo virtual pode ser equiparado a adultério (virtual) do consorte?
Sim ou não?


Gostava de conhecer aqui as opiniões avalizadas dos nossos simpáticos e prezados leitores.

POESIA EXPERIMENTAL

03 novembro 2006

Infidelidade virtual. Mito ou realidade?

«... as conversações sexuais através da Internet, na maioria dos casos,não se baseiam no simples fluir de obscenidades e estereótipos sexuais.

Para o comum dos frequentadores é um jogo árduo de sensualidade, com resquícios das trovas medievais, em que o cavalheiro – recorde-se que os homens são dominantes nos chats – procura aplicar o seu charme, de forma a alcançar e conservar a atenção da donzela;

Sublinhe-se que as mulheres que frequentam estes ambientes, não são rameiras ou mulheres de prazeres fáceis, antes, a pessoa que nos serve o café de manhã, a assistente do nosso dentista, a nossa médica ou professora, a colega de trabalho, a mãe e irmã do nosso melhor amigo, pelo que, a conquista da sua intimidade não se faz, as mais das vezes, sem percorrer um espinhoso caminho, não raras vezes, uma luta titânica para bater a lata concorrência».


E esta, hein ????

Hugo Lança Silva

(Mestre em Direito pela Universidade Católica de Lisboa, Licenciado em Direito pela Universidade Moderna de Lisboa, Docente na ESTIG/IPB e Universidade Moderna de Beja).

Sexo e Amor

(Clica aqui para saber mais)

Sexo e Amor - SINOPSE

Refutando a teoria freudiana e os postulados de autores como Georges Bataille, Francesco Alberoni investiga os mecanismos primordiais da relação entre o homem e a mulher, explorando desejos ocultos e contraditórios, os pensamentos que preferíamos não ter, os factos que decidimos ignorar.

Com uma prosa envolvente, em que se fundem textos literários, entrevistas e histórias verdadeiras, o autor recorre a escritores fundamentais, como Stendhal, Buzzati e Dostoievski e cria uma forma de expressão em que os protagonistas conservam a sua linguagem própria, às vezes obscena e brutal, mas sempre matizada por uma escrita poética e de grande vitalidade.

Assim, em Sexo e Amor, o aclamado sociólogo italiano convida o leitor a explorar as inúmeras formas que o amor assume e trama de aspectos convergentes e divergentes entre o amor e o sexo.

Numa combinação inovadora e empolgante de histórias verídicas e relatos na primeira pessoa, colhidos de entrevistas ou de obras literárias, o leitor é guiado ao longo da galeria de formas que o amor e o sexo podem tomar, numa análise que inclui exemplos de sexo pessoal e impessoal, amizade erótica, enamoramento e a experiência arrebatadora da paixão, assim como as experiências amorosas daí subsequentes, que tanto podem durar como não.

O autor debruça-se sobre uma corrente tumultuosa de desejos revelados ou insinuados, excitação, prazer, extâse, alegria, dilemas, arrependimentos, dor e esperança.

«Sexo e Amor» é simultaneamente uma abordagem científica empolgante e um olhar honesto e sensível sobre o mundo complexo da sexualidade e do amor.

01 novembro 2006

FANTASIAS NOCTURNAS

A LASSIE

O_Trolha: não posso ser eu sozinho a puxar a carroça ...
O_Trolha: tu tens de puxar também.
A_Fêmea: vá, agora, puxas tu sozinho ...
A_Fêmea: só um bocadinho.
O_Trolha: queres q te ponha uma coleira no pescoço para te puxar?
A_Fêmea: pode ser
A_Fêmea: mas suavezinha
O_Trolha: hummmmm
O_Trolha: olha, imagina então q te ponho uma coleira no pescoço
O_Trolha: de cabedal .. macio ....
O_Trolha: e fica assim larguinha.
O_Trolha: a coleira tem uma fivela de metal,
O_Trolha: e eu aperto a coleira e ajusto-a no teu pescoço
O_Trolha: como te sentes?
A_Fêmea: que bonito !!!! :)
A_Fêmea: muito confortável.
O_Trolha: uiiiii .....
O_Trolha: hummmmmmmmmm
O_Trolha: a coleira tem uma argola
O_Trolha: de metal também
O_Trolha: e eu prendo um cadeado na argola da coleira
O_Trolha: e tu agora és a minha cadelinha
A_Fêmea: um cadeado?
A_Fêmea: au ! au ! au! au ! au!
O_Trolha: vais ser a minha cadelinha, agora
A_Fêmea: lolol
O_Trolha: sim
A_Fêmea: como me chamo?
O_Trolha: Vais chamar-te Lassie
O_Trolha: e vais fazer tudo o q o teu dono mandar
A_Fêmea: tá bem
A_Fêmea: eu sou a Lassie
O_Trolha: huummmmm
A_Fêmea: au ! au ! au! au ! au!
A_Fêmea: lolol
O_Trolha: agora, imagina-me a passear contigo
A_Fêmea: a lassie e o dono
O_Trolha: uiiiiiiiiiiiii
O_Trolha: eu a passear pela casa contigo presa pelo cadeado
O_Trolha: e tu sempre atrelada a mim
O_Trolha: q tal?
O_Trolha: gostas?
A_Fêmea: adoro
A_Fêmea: au ! au ! au! au ! au!
A_Fêmea: lol
A_Fêmea: queres que te faça festas com o rabo?
A_Fêmea: lol
O_Trolha: simmmm
O_Trolha: quero q te enrosques toda em mim
O_Trolha: enrosca-te toda em mim, vamos !!!
O_Trolha: agora, esfrega-te toda em mim !
A_Fêmea: tou toda enroscada
A_Fêmea: vá
A_Fêmea: faz festas no meu pêlo
O_Trolha: simmmmmmmmmmmmmmmmm
O_Trolha: passo-te a mão pelo pêlo
O_Trolha: e tu sentas-te no chão
O_Trolha: e deitas-te de costas
O_Trolha: ficas deitada de costas e toda aberta ...à espera de festas na barriga
A_Fêmea: já estou deitada de costas e toda aberta
A_Fêmea: au ! au ! au! au ! au

Cérises au chantilly


O_Trolha: diz-me, como gostavas q eu te saboreassse?
A_Madura : dá tu uma sugestão
O_Trolha: conta-me os teus segredos mais íntimos
A_Madura : pergunta com jeitinho
O_Trolha: hummmmm
A_Madura : como se fosses meu namorado
O_Trolha: simmmmmmmmmmmmm
O_Trolha: vendava-te os olhos
A_Madura : e que fazias?
O_Trolha: depois despia-te calma e vagorosamente .....
O_Trolha: com muita sensualidade
A_Madura : lol
A_Madura : mas que sensual!!!
A_Madura : lol
O_Trolha: pegava em ti e deitava-te toda nua na cama ...
O_Trolha: assim de olhos vendados.
A_Madura : e achas que eu deixava?
O_Trolha: e ia á cozinha sem q tu te apercebesses
A_Madura : e que fazias?
O_Trolha: ia ao frigorífico buscar cubos de gelo
A_Madura : lol
A_Madura : para quê?
O_Trolha: e passava o gelo nos teus mamilos
A_Madura : uiiiiiiiiiii ... isso arrepia
O_Trolha: até eles ficarem duros....
O_Trolha: muito duros.
A_Madura : gostas de mamilos duros é?
O_Trolha: eles arrebitavam logo
O_Trolha: ver os mamilos duros, excita-me.
A_Madura : que mais te excita?
O_Trolha: depois volto de novo à cozinha
A_Madura : para quê?
O_Trolha: e ia buscar cerejas ...daquelas gordas e chantilly
A_Madura : para quê?
O_Trolha: passava as cerejas pelo chantilly e enfiava as cerejas na tua gruta húmida e quente
O_Trolha: duas ou três....
O_Trolha: ou até mais
A_Madura : que horror !!!
A_Madura : para quê?
O_Trolha: enfiava-as uma a uma ... lenta e ... suavemente
A_Madura : tu és maluco.
A_Madura : fazias isso?
O_Trolha: e depois com a língua tirava-as para cá para fora ... uma a uma ... e comia-as
A_Madura : há alguma parva que deixe fazer isso?
O_Trolha: uiiiii .... tanta gente q o faz
O_Trolha: tu não te armes em ingénua !!!
A_Madura : tou a ver que és um perito nestas coisas
O_Trolha: olha as mulheres adoram isso
A_Madura : tou a ver que sim.

30 outubro 2006

FOLHA DE OUTONO

Tu, folha de Outono, que da árvore te libertaste,
Que sem um lamento para o mundo voaste,
Como um pássaro que abandona o seu ninho....

Transporta-me na tua aventura,
Leva-me a conhecer as nuvens,
Faz-me sorrir, tira-me da terra da amargura.

Tu, folha de Outono, que planas nos braços do vento,
Acaricia a minha alma com tuas nervuras,
Aninha-me na suavidade do teu ser,
Faz-me vaguear no azul celeste.

E leva-me...
Leva-me para o reino da harmonia.

Tu, folha de Outono, que voas sem destino...
Leva-me...
Leva-me simplesmente!


Joaofalcato

28 outubro 2006

METROSSEXUAL

Definições

Metrossexual: aquele que está a um metro de se tornar homossexual

Sexo...muito...puro...e duro

(aqui está um post de uma mulher do sec. XXI. Mulheres daquelas de que falo no meu post «As pulsões da tomatada versus as pulsões da mamada»)
Com a devida vénia (e porque o seu conteúdo se identifica com os propósitos deste blog) aqui vai:


Minhas amigas e meus amigos, as minhas palavras de hoje são de apoio e total compreensão, para com as mulheres do Séc. XXI.
Após ter lido o desabafo da minha amiga trendy, parece-me claro que, hoje em dia, nós sabemos muito bem o que queremos ou não.
Preparem-se porque isto hoje vai ser raw...
Peço desde já desculpa aos mais sensíveis.
Mas quem me conhece sabe que quando é para falar claramente, eu falo.
Caros homens, existem alturas em que nós não estamos interessadas em episódios românticos à Floribella.
Por vezes, aquilo que nós precisamos é de uma bela e duradoura sessão de SEXO.
Puro. Duro. Intenso. Selvagem. Tipo atira-me à parede e chama-me lagartixa.
Num dia bom, até a palmada é apreciada.
NO STRINGS ATTACHED.
Até parece que houve uma epidemia de homens gaja.
Andam com medo de se envolver, ah e tal, somos amigos, e o camandro...
Da-se! Hello!
Meus amigos, menos drama e mais acção. Quando nos envolvemos mais profundamente, não duvidem que seremos as primeiras a demonstrá-lo e não haverá margem para dúvidas. Assim é uma mulher apaixonada.
Mulher com tusa é outro nível. Mulher ou homem, quando a vontade aperta, aperta com todos.
Além de que hoje em dia, não tem que ser o homem o predador e nós as presas.
Por vezes até é precisamente o inverso.
Qual o mal de um one-night-stand?
Não é necessário haver compromisso para haver diversão pura.
É a natureza. É natural.
Não somos insensíveis, ainda sonhamos com o príncipe encantado, e queremos a outra metade da laranja.
Mas isso não implica pôr de lado as outras frutas do pomar. Metades ou completas.
Fazer amor é fazer amor. Sentimento.
Mas esfregar! Esfregar é esfregar.
Confere!


posted by Deusa do Caramelo

Dias de Sorte



Veio-me à memória
Uma imagem:
Os meus boxers
Enfunados
Pela minha vela
Ao sentir
O teu soprar
Junto a mim.

27 outubro 2006

BRICOLAGE




FISTING

«Finger-fucking»

(literalmente "foder com as dedos").











FAÇA VOCÊ MESMO

O "fisting" é uma das formas mais íntimas de tocar um outro ser humano e que lhe pode porpocionar um enorme prazer.
Vai com calma, segurança e sobretudo com muita ternura.
Esta é, sem dúvida, uma maneira incrivelmente intensa de fazer amor.
Usa e abusa, repito, abusa de creme lubrificante.
Espalha-o nas mãos, no dorso dela, entre os dedos e na vagina.
Continua a colocar mais lubrificante à base de água (KY, Wet Light, Forplay, Astroglide, I-D) enquanto estás a introduzir os teus dedos na vagina dela.
Nunca é demais.
Vai devagar.
Começa com um dedo e prossegue com calma.
NÃO TENHAS PRESSA.
Tenta perceber as reacções dela.
Não percas nunca o contacto visual com ela.
Se ela alcançar o seu limite tu vais perceber.
Nesse momento não saias dela. Fica exatamente onde estás até que a contração termine e, depois, começa a sair devagar. Quando chegares aos cinco dedos, estarás perto.
Agora é o momento de ser mais do que nunca sensível e tomar cuidado.
Ela voará, através da dor ou do prazer.
Um movimento brusco, e descobrirás que aquele buraquinho não te quer mais.
Compreende e sai devagar.
Mas se ela quer continuar, então faz escorregar para dentro o resto, dobrando o polegar sob os dedos e, assim, a tua mão formará sozinha um punho.
Não apertes a mão!
É agora que começa o verdadeiro prazer.
Explora continuadamente aquela gruta cremosa.
Ela estará nos céus e, quando chegar o momento de sair, fá-o sem pressa, sem forçar.

Poesia a três mãos

sinuosa: pensar em ti
sinuosa: é para mim poesia
O_Amor: penso em ti
O_Amor: a todo o momento
sinuosa: para quê escrever-te?
sinuosa: descrever-te?
sinuosa: reescrever-te?
O_Amor: isso e poesia!!!!
sinuosa: claro que é
O_Amor: pensas em mim?
sinuosa: a minha pena é pensar em ti
sinuosa: a minha mágoa
sinuosa: a minha distância
sinuosa: és tu!
O_Amor: mas porquê??? eu sou um mero simplório...
sinuosa: ó rapaz
sinuosa: estamos a fazer um poema a quatro mãos!
sinuosa: acorda!
O_Amor: a três... uma delas está ocupada a massajar o membro...
sinuosa: imagina se tivéssemos mais uma mão disponível
sinuosa: o que não saíria daqui...
sinuosa: uma epopeia, no mínimo...
O_Amor: só posso dispensar uma...

26 outubro 2006

DESAFIOS

Olha, agora então é que não acontece nada de todo.” disse ele, sem se dar conta do peso pretensamente definitivo das palavras.
Limitei-me a concordar, menosprezando o desafio involuntário que acabara de me fazer.
Continuámos a conversar, misturando sexo teórico com revelações pessoais.
Mas, sentada num sofá ao lado do dele, ouvia-o e perguntava-me “será que nada o pode excitar agora?”, enquanto ele prosseguia, completamente alheado das minhas inquietudes interiores.
Este pensamento não me deixou mais… até que me apeteceu contrariar a segurança da afirmação.
Sorri sozinha, com as ideias a fervilhar à minha frente, e perguntei-lhe, em tom de inocência e provocação:
- Não tens calor?
- Está calor, está…
- Sabes o que me apetecia agora?
- Não, que te apetecia?
- Um copo de água bem gelada… também queres? Vou buscar.
- Não, obrigado, não quero.
Volto da cozinha e, sem que ele me veja aproximar, tiro um dos cubos de gelo da água e meto-o na boca.
Passo-o pelos lábios, que começam a derretê-lo com o calor.
Aproximo-me dele, por trás do sofá onde está tranquilamente à minha espera, e com ambas as mãos pousadas no seu pescoço, debruço-me, encosto a boca bem perto da orelha e sussurro-lhe:
- De certeza que não queres mesmo nada?
Sinto-lhe um arrepio e pergunto:
- Tenho a boca muito gelada?
Arrepiei-te?
- Arrepiaste.
- Por sentires o meu calor tão perto, por teres a minha respiração a acariciar-te cada centímetro de pele que toca,… ou incomoda-te não saber o que vou fazer de seguida?
- Não, não me incomoda nada… neste momento, podes fazer o que te apetecer.
É bom sentir-te assim, tão perto, tão Senhora de ti.
- Então vamos jogar um jogo, queres?
Fecha os olhos! Não os abras antes que de diga que o podes fazer, está bem?
O tom imperativo nem permitiu que me respondesse se aceitava ou não o que lhe propunha. Apetecia-me ser egoísta e, depois de o arrepiar, sabia perfeitamente que podia continuar.
Contornei o sofá e olhei-o, quieto, sentado apenas com umas calças de ganga vestidas, recostado, à espera do que não adivinhava.
Sorri e disse-lhe:
- Não abras os olhos… só te permito que sintas com a pele, que vás dando importância gradual aos sentidos, ao que cheiras, ao que ouves, ao que sentes e ao que te toca…
- Sim.Aproximo-me de ti e sentes-me muito perto do teu corpo, a subir pelo teu peito até atingir o pescoço com os lábios completamente rijos pelo gelo que acabo de prender na boca.
Adoro ouvir-te respirar intensamente, a prender o arrepio que acaba por sair.
Beijo-te a pele, encaixo-te o queixo entre os dentes ao de leve, ameaço beijar-te os lábios mas não lhes toco.
As nossas respirações abraçam-se por segundos, antes de te beijar a testa e voltar ao pescoço, mesmo por baixo da orelha.
Prossigo a viagem, rumo ao sul do teu corpo, perdendo tempo com a tua pele, molhando-te o peito por onde passo, entretendo-me com o umbigo, como uma miúda a quem deram um brinquedo novo…
Não podes saber para onde vou a seguir e, por isso, cada centímetro da tua pele reage ao toque, vibra com a surpresa.
“Posso continuar por onde quiser?” pergunto-te baixinho, com o corpo sobre o teu e boca colada ao ouvido.
“Podes…”, limitas-te a balbuciar, enquanto me abraças e sentes a ausência de roupa no meu corpo.
Deslizo por entre as tuas pernas, com o corpo colado sobre o teu, com as unhas a percorrer docemente o caminho feito até à barriga, deixando a língua percorrer a pele mesmo acima do cós das calças.
Sentes as minhas mãos pousarem no primeiro botão, no segundo, no terceiro, desabotoando um a um.
Julgas que vou continuar até te despir por completo.
Mas não.
Em vez disso, surpreendes-te com a minha boca pousada sobre as calças, escorregando por entre os botões afastados, a pressionar algo que encontro já pronto o suficiente para não ser preciso prolongar os começos.
- Ahhh
O suspiro indica-me que queres mais, que afinal consigo excitar-te ao ponto de quereres apressar o jogo, até quereres abrir os olhos, agarrar-me e possuir-me como sabes fazer.
Mas ainda é cedo… neste momento ajoelho-me dentro das tuas pernas, enquanto te abro as calças e meto as mãos pela tua roupa, tocando-te a pele ao de leve, agarrando firmemente e tirando para fora algo duro e entumecido, pronto para dar prazer.
Estás entre os meus dedos, que te percorrem por todo o comprimento, saboreando cada sensação. Sinto-te crescer nas minhas mãos, pedindo atenção, pedindo a minha boca. E é mesmo na boca que te quero neste momento.
Apoio as mãos nas tuas pernas e, de um trago só, engulo-te sem pedir licença.
O calor da minha boca, misturado com o frio do gelo, torna-se insuportavelmente excitante e não resistes a agarrar-me os cabelos, com os dedos presos como quem tenta conduzir sensações.
Mas o prazer é meu.
Sou eu quem se delicia com o teu sabor, com a descoberta da tua pele, da tua temperatura,... é a minha língua que saboreia e molha toda a tua tesão.
Esqueço-me do teu prazer.
A boca completamente molhada desliza como se conhecesse o teu caminho desde sempre, sugando e apertando-te entre os lábios completamente cerrados.
Quase me sinto a engolir-te.
Apetece-me comer-te; começo a sentir-me húmida, com uma vontade imensa de ter toda aquela potência entre as misnhas pernas.
“Deixa-me ver-te… quero ver-te enquanto me chupas” suplicas-me numa voz entrecortada com gemidos de prazer.
Continuo com a língua a medir-te desde cima até abaixo, a esgotar-te a resistência à tentação de me veres, de me tocares e de te enterrares em mim… tiro-te de mim e, com o teu dedo indicador preso na minha boca, subo até bem perto do teu pescoço e murmuro:
- Achas mesmo que, agora, não acontece nada?
Abre os olhos.
Fode-me!

Pé_Descalça

(Texto remetido por e-mail )

SEM PÉNIS E CHEIAS DE INVEJA



A interminável guerra dos sexos:

a causa das coisas.

22 outubro 2006

Roman Dinner


O_Trolha: rssssssssssss
O_Trolha: quantos já comeste hoje?
Eu_Fêmea: estou de papo cheio.
O_Trolha: ehhhhhhhhhhhh
O_Trolha: olha a congestão!
O_Trolha: vomita e volta a comer ... como os romanos.
O_Trolha: tu engoles tudo ou deitas fora?
Eu_Fêmea: engulo tudo. Como tu.
O_Trolha: ó filha, eu só lambo... não engulo
Eu_Fêmea: ai não que não engoles
Eu_Fêmea: remexe lá as tuas cagadelas a ver se não encontras pintelhos até dizer chega.

Fucky buddy

Chegaste
como quem chega,
ansiosa.

Beijaste-me
como quem beija,
em brasa.

Despiste-te
como quem se despe,
com pressa.

Fizemos amor
como quem faz amor,
loucamente.

Viemo-nos
como quem se vem,
intensamente.

Partiste
como quem parte,
sozinha.

21 outubro 2006

As pulsões da «tomatada» versus as pulsões da «mamada».

Ou da interminável guerra dos sexos.

Ou do conflito de gerações das mulheres dos anos 60 com as mulheres do sec. XXI.



Discurso típico de uma mulher dos anos 60: «Mamava-to todo mas ... tem de haver sentimento!».

Discurso típico de uma mulher do sec. XXI: «Mamava-to todo. Até chupo a língua ao dizê-lo!».

Chegará o tempo (não falta muito!) em que os homens dirão às mulheres: «Comia-te toda mas ... tem de haver sentimento!».



Mulheres e homens dos anos 60 e do sec. XXI (de mentalidade, claro!) , qual a vossa opinião?

20 outubro 2006

BRICOLAGE


(Figging é uma prática sexual
que envolve a inserção
de um "dedo" de gengibre no ânus ou na vagina,
provocando uma sensação de "fogo" dito de
prazer indescritível).





FAÇA VOCÊ MESMO

Um pedaço de 10-12 centímetros é cortado e descascado de um "dedo" de raiz de gengibre.
Há-de ter o cuidado de fazer um círculo na base para servir de anteparo de retenção para que a raiz não desapareça. (Risos)
O ideal é fazer a peça em forma de plug (em linguagem de trolha, piroca). A peça é introduzida cinco centímetros na vagina por mais ou menos 5 a 10 minutos.
Após 10 minutos a vagina produzirá secreções em grande quantidade e a sensação de "fogo" dará o tal prazer indescritível.
Pode-se esfregar um pouco de sumo do gengibre sobre o clítoris que certamente acenderá mais ainda a libido.
É bom salientar que os relatos das experiências com o gengibre são descritos como "calorentos" e não tanto de dor, após a sensação de "ardência" cessar.
A sensação descrita como "fogo" sexual ou genital vai diminuindo e após 1-2 horas cessa por completo (isto após a aplicação de no máximo 10 minutos).
A pessoa submetida à aplicação de gengibre irá implorar por sexo imediatamente após a retirada do gengibre.
Vale aqui prolongar o prazer com alguns preliminares comuns, já que o propósito é prolongar o prazer e deixar a «vítima» ansiosa.
E diminui-se o risco de maiores danos, tais como irritação da mucosa, tanto dela como da pele do pénis.
Recomenda-se que a primeira aplicação seja na vagina para haver adaptação às sensações e à ardência inicial.
Para a aplicação no ânus, utiliza-se os mesmos cuidados e técnica igual já descrita acima.
Lavagens de água gelada cortam o efeito e a sensação de queimadura de imediato.

19 outubro 2006

As mulheres usam piercings


As mulheres usam piercings,
fazem tatuagens,
submetem-se à lipoaspiração,
aplicam botox no rosto para disfarçar as rugas,
depilam-se com a pinça ou com cera quente (quase a ferver),
fazem jogging, aeróbica, yoga e abdominais.

E dizem que no cu não, porque dói!!!???

Vão prá puta que as pariu!!!

18 outubro 2006

Cadela no Cio


Quero um homem.
Canalha.
Filho da puta.
Sacana.
Quero entregar-me a um homem
Que saiba comer-me,
Foder-me,
Bater-me,
Fazer-me puta.