30 dezembro 2007

Mulheres desesperadas

— olá!
— olá!
— boa noite
— boa noite
— bem disposta?
— sim.
— e disposta a quê?
— a tudo. Lol.


PS: tinha acabado de chegar do cinema, onde fui ver a Call Girl. A uma das perguntas do autarca corrupto à Soraia Chaves: «E o que faz a menina? Ela responde: «Tudo, Senhor Presidente.»

28 dezembro 2007

Fundamentalista ou distraída?

Monólogo no MSN (Sexo Virtual)
(quando elas entram em transe não distinguem a fantasia da realidade)

— força querido!
— vem-te em mim
— dá-me o teu leitinho…
— enche-me com tua esporra
— tira, tira, tira fora ...
— vem-te fora!
— dentro não, dentro não!
— siiiiiiiiiiiimmmmmmmmmmm …. estou toda lambuzada da tua langonha.

25 dezembro 2007

Seduceme

Sedúceme con tus palabras
sumérgeme en tu piel
ámame con tus caricias
aprisióname en tu cuerpo.

Que se eternice el tiempo
que se paren las horas
que se detengan los minutos
que se borren los segundos.

Súbeme a tu cielo
húndeme en tu amor
méceme en tus olas
ahógame en tus besos.

Bájame nuevamente
muéstrame tu pasión
fúndeme en tu deseos
acúdeme en tu éxtasis.

Enséñame quien eres tú
poséeme mil veces
sedúceme nuevamente
hazme tuya para siempre...
eternamante tua...

(Celine Dion)

BOAS FESTAS




Sejamos GULOSOS !








22 dezembro 2007

Desanuviar a te(n)são

Oh Manela e para desanuviar a te(n)são porque não vais à Net, experimentar os chats? Já tentaste?.

Ah, Manela, aquele SEXO VIRTUAL que por lá se pratica é a vingança do chinês: obriga os gajos a falar com as mulheres e a terem de constantemente mexer os dedos sobre as teclas.

E qualquer mulher, por mais caladinha que costume ser, só se safa ali a gritar uma meia dúzia de «oh ..... ! ah .......! ui..... ui .... sim....sim..... sim....! não.... simmmmmmmmmmmmm!» e isto na versão mais soft.

Olha, Manela, encontrei-me uma vezes num chat com um tal João_O_Trolha.

Nunca soube o seu verdadeiro nome, nem a sua idade, nem de onde era, nem o que fazia. Ele criava um cenário, eu descrevia como aparecia vestida ou não e lá íamos desenrolando, à vez, a participação de cada um no acto erótico, relatando os gestos, os olhares, os sabores, as sensações à flor da pele e reproduzindo as frases e os grunhidos que naquelas ocasiões costumamos emitir.

Terminava sempre de igual forma, com ele a resmungar que tinha a camisa e as calças cheias de esporra e a despedirmo-nos com um «Inté».

Oh, Manela, o único problema é que aquilo é muito asséptico. É tudo sem cheiro, sem gosto, limpinho e seguro. Sabe a comida plástica desses modernos centros comerciais.

Não é comida a sério.


Posted by maria_arvore

O que faz falta é animar a malta

(Mensagem por SMS)

- Amor, estás teso?
- Eu estou excitada e toda molhada só de pensar em ti !




19 dezembro 2007

Natal com muito apetite

BACALHAU ASSADO NA BRASA (6 pessoas)


INGREDIENTES:
6 postas dos lombos do bacalhau (300 g cada), batatas qb, 4 dentes de alhos grandes com casca, 1/4 litro de azeite, 6 ovos, 1 ramo de salsa e flor de sal (1 cebola grande).


PREPARAÇÃO:
Lavam-se muito bem as batatas e cozem-se os ovos (10 minutos) e as batatas com a casca. Assa-se nas brasas o bacalhau previamente demolhado(1).
À parte, põe-se ao lume um recipiente com azeite e os dentes de alho esmagados, até ferver 30 segundos.
Espalham-se as postas do bacalhau e as batatas (sem pele) numa travessa de ir à mesa.
Tiram-se os dentes de alho fritos , no azeite, rega-se com ele o bacalhau (colocado no centro da travessa).
Polvilha-se com flor de sal (sobre as batatas), salsa picada e ovo cozido às rodelas (opcionalmente, cebola crua às rodelas).

A acompanhar um bom vinho tinto alentejano (há muitos por aí).


Bom Natal para todos e ... muito apetite por coisas boas.

(1) Demolhe o bacalhau num recipiente posto no frigorífico com a parte da pele virada para cima, durante 4 a 5 dias, e mude a água duas vezes ao dia.

18 dezembro 2007

Ai, como é diferente o amor em Portugal!

Um inquérito aos hábitos sexuais das portuguesas realizado pela revista FHM mostra que muito mudou desde os tempos da Rainha Santa e das Cruzadas.

O estudo, que abrangeu 1573 mulheres, dos 19 aos 34 anos, diz, por exemplo, que as portuenses têm em média oito parceiros sexuais; (tantos, assim!!!???) que 14% das lisboetas gostavam de aumentar o tamanho do pénis do namorado e que 17% das funchalenses já tiveram três parceiros sexuais... num só dia.

Definitivamente, as portuguesas estão a sair da casca.

Segundo a FHM, 100% – isso mesmo: todas! – já experimentaram sexo anal.

Para os todos machos latinos pasmados com estes números, aqui vai outro, igualmente significativo.

As mulheres de Lisboa, Braga e Funchal satisfazem-se sozinhas cinco vezes por semana. Aliás, na Cidade dos Arcebispos, elas parecem andar razoavelmente mal servidas: 33% admitem ficar mais excitadas a ver filmes pornográficos do que com sexo real.

Quanto à regularidade das relações, em Coimbra elas dizem que as têm 5,25 vezes por semana contra 3,38 vezes na capital.

Segundo o inquérito, que será publicado na edição de hoje da FHM, as portuguesas não só se emanciparam, como deixaram de uma vez por todas a posição passiva e passaram a ser mais determinadas... talvez até de mais.

É que 12% admitem ter praticado sexo quando o parceiro estava inconsciente ou a dormir e 8% dizem que obrigam fisicamente o namorado a ter relações.

Mas não há-de ter sido nessas circunstâncias que conseguiram fazer o acto durar dentro da média: 31 minutos no Porto e em Braga; 38 em Lisboa e no Funchal.

Atenção, homens de Lisboa: 29% das mulheres da capital confessam que já adormeceram enquanto faziam amor com o seu parceiro.

Isto é humilhante, tanto mais que só 10% deles já passou pela mesma situação. Se calhar é por causa de alguma insatisfação que cada mulher portuguesa tem, em média, claro, 1,4 brinquedos sexuais – número exorbitante quando comparado com a Indonésia, onde elas, em média, apenas possuem 0,36 objectos desses.

FHM é uma revista portuguesa, editada pela Edimpresa, que se dirige ao público masculino

14 dezembro 2007

Fases da Lua

Regresso.
Bato-te na cara
Chamo-te vadia
Faço de ti minha PUTA

Regresso.
Abraço-te com força
Olho dentro dos teus olhos
Faço sentires-te AMADA

Regresso.
Algemo os teus pulsos
Ponho-te de joelhos à minha frente
Faço de ti minha ESCRAVA

Regresso.
Deito-me na tua cama
Possuo o teu corpo
Faço de ti MULHER

Regresso.
Atiro-te ao chão
Puxo os teus cabelos
Faço de ti minha CADELA

Regresso.
Para ti o meu sorriso mais lindo
Acaricio o teu rosto
És ESPECIAL para mim.

Regresso.
Bato-te
Uso-te
ABUSO de ti.

Regresso.
Beijo-te na boca
Provo o teu sabor
És DESEJADA

Regresso.
Faço-te gemer de prazer
És MINHA.

(autor desconhecido)

12 dezembro 2007

... e o Porto aqui tão perto

— estou à tua espera … ficaste de vir ao Porto.
— pois foi , mas tu aterrorizaste-me.
— como te aterrorizei eu?
— ao ir ao teu bçog fiquei aterrorizada.
— que conversa é essa?
— pensei :" Este gajo consegue levar a água ao seu moinho. Tem cuidado com ele!"
— como? de que falas tu?
— bem, já foi lá há algum tempo, mas tenho ideia de uma história de um encontro num motel com alguém com problemas conjugais a quem tu deste muito bem a volta, certo?
— e como sabes que o relato era verídico?
— não gosto da ideia de me poderem manobrar as ideias.
— então qual o problema?
— a forma com tu actuas, meu perverso!
— perverso, eu ? !!!
— refiro-me a essa história de falinhas mansas, festinhas, muita ternura, muita compreensão e ... a fulana, qd dá por ela, está com ele entalado.
— estou mm vulgaríssima, hoje.

11 dezembro 2007

O Trolha foi à psicóloga

— boa tarde, doutora!
— boa tarde, João!
— chegou a ir ver o meu blog no site que lhe indiquei?
— vi parte.
— no teu blog tens muito mais do que sexo,
— abordas, a brincar, questões interessantíssimas e profundas
— pareces conhecer bem os mistérios insondáveis da mente feminina.
— a doutora seja sincera, acha-me doido?
— não.
— não? Todas me acham meio doido. Só a doutora não acha.
— acho sim que és muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitoooooooooooooo mau …
— mas um kido.
— olha, as fantasias que muitos denominam de perversão
— não é uma patologia mas uma forma de libertação
— bem melhor e mais barata que o sofá de um psiquiatra.
— sim, doutora, eu liberto-me através das minhas fantasias.
— muitas mulheres tb o fazem.
— elas libertam-se de outra forma, doutora, pela masturbação.
— pergunta a uma mulher se se masturba, diz logo k não.
— por acaso, agora, quase todas o admitem.

06 dezembro 2007

DEPENDÊNCIA OU SUBMISSÃO?

Seres reais povoam os meus sonhos: em lugares fantásticos, em situações obscuras, em labirintos de cores ainda não inventadas.

Quando o vi, ele parecia flutuar num corredor exótico e interminável: os lugares do sonho.

O seu nome não era importante. Em boa verdade, não tinha nome: as situações do sonho. Tinha lábios bem desenhados, isso não me esquece: os labirintos do sonho.

Quando falou comigo, sorriu e olhou-me nos olhos. Perigosa combinação essa: voz, sorriso, olhar. Não sei dizer exactamente em qual deles primeiro me perdi, mas ainda sei dizer que nunca mais me encontrei. Um olhar que não consentia dúvidas, um sorriso que admitia todas as possibilidades e uma voz que não permitia hesitação.

Ficamos juntos naquela noite. Não tive escapatória. Não tive escolha. Acostumada que estou a decidir tudo sozinha na minha vida – acompanhei-o – surpreendida com o meu próprio comportamento.

Nunca ninguém se preocupou em escrever sobre a angústia de ser independente: a solidão da independência. As pessoas dependentes sempre contam com alguém para dividir os seus erros e as suas culpas. As independentes não. Se tudo der certo, óptimo: não poderia ser de outra maneira. Se der tudo errado: a culpa será sua eterna companheira.

As pessoas independentes geralmente são obrigadas a tomar as decisões e elas nem sempre agradam a todos. Nesse contexto, é fácil perceber que as pessoas são, com frequência, confundidas com pessoas autoritárias, dominadoras ou, até mesmo, pessoas más, sem coração.

Certa vez, li sobre a dor de ser irmã de Cinderela – a dor de ser feia. É fácil ser boazinha quando tudo nos cai do céu; porém, é muito difícil manter o padrão se temos que "correr atrás" do que nos apetece. Mas não é sobre beleza/feiura que trata esta história... Esta história trata da confusão que fiz entre os conceitos de dependência e submissão.

Eu sempre lutei muito pela minha independência. Sempre achei importante ter o meu próprio dinheiro, a minha própria profissão, as minhas próprias opiniões. No meu simplório entendimento, as pessoas submissas tornavam-se dependentes das outras. Acho que quanto mais o meu inconsciente me enviava sinais, tentando alertar-me sobre a minha submissão latente, mais eu me apegava à minha independência, mais eu fazia por não depender de nada, nem de ninguém. Pura defesa mental. Criei uma imagem maravilhosa: independente, segura, auto-suficiente. Uma postura até certo ponto invejada.

Mas havia algo que não batia certo: vontades estranhas, desejos contraditórios, fantasias perturbadoras. Foi nesse estado de espírito que me encontrei com ele.

Como dizia, antes de me perder em divagações, eu não tinha escolha: ou o acompanhava sem reservas ou não o acompanhava. Não havia o "mas", a minha conjunção favorita... Adoro orações coordenadas adversativas...

Fui com ele. O coração aos saltos. Apesar de nunca ter tido um Dono, já conhecia as regras básicas e pensava: "não vou conseguir ajoelhar-me...". Devo esclarecer aqui que esse temor não era o único sentimento manifesto. Havia também outras sensações aparecendo e tomando conta da situação: havia a curiosidade, havia uma atracção mútua, havia um desejo intenso, impossível de ser reprimido.

Quando me ajoelhei aos seus pés e ofereci o meu pescoço para a coleira, senti-me como se estivesse a fazer uma encenação. Não era real. No entanto, essa sensação desapareceu rapidamente, no momento em que ele me segurou pela coleira e a puxou com força, de modo ao meu rosto ficar bem perto do seu. Os nossos lábios quase se tocaram...

E exclamou: "És minha, agora! Pertences-me!" A voz que não permitia hesitação. Concordei placidamente.

Não recordo com precisão todos os acontecimentos daquela noite. Sei que me submeti às vontades Dele sem nunca vacilar e, durante o tempo que durou aquela sessão, deixei de lado as minhas preocupações com a minha independência. Entreguei-me aos Seus caprichos, que – descobri depois –, não deixavam de ser os "meus caprichos"... «Servir e ser servido», são apenas dois aspectos diferentes da mesma ordem de factores.

Depois de nos separamos, ansiava por novos encontros, novas conversas e, uma vez livre das dúvidas e dos preconceitos sobre a minha condição de "submissa", tenho levado a vida assim: explorando o tempo todo – na companhia do meu Dono – esse meu lado submissa, que por tanto tempo reprimi e, o que é mais importante: aprendi a diferença entre os dois conceitos.

Posso e devo manter a minha independência, a minha segurança, os meus pontos de vista; sem que isso afecte a minha submissão. Posso submeter-me ao meu Senhor, sem que isso me torne dependente Dele. Obviamente, sob alguns aspectos sempre serei dependente da Sua vontade, mas não em todos os aspectos, nem tampouco naqueles aspectos de que depende a minha individualidade.

Tenho descoberto o prazer ilimitado de me ajoelhar, de usar a Sua coleira, de servir aos Seus caprichos, realizar as Suas fantasias, submeter-me aos castigos: afinal, a dor e o prazer – a exemplo do "servir e ser servido" ou do "bem e o mal" ou do "amor e o ódio" – também são apenas duas espécies contrárias do mesmo género.

Seres fictícios povoam a minha realidade: em lugares imagináveis; em situações claras; em labirintos de cores precisas.


(Texto recebido por e-mail de uma leitora do blog como comentário ao post - Fantasias Femininas n.º 6 - ENTREGA TOTAL)

PS: obrigado, ilustre desconhecida. O texto é simplesmente fascinante. Quem me dera escrever assim!

01 dezembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 1(cont.)

Ménage à trois

[Uma noite, depois de bem «bebidos», dirigiram-se os três para o quarto do casal. Conforme o acordado, seria Ela a «conduzir» os dois (o marido e a sua amiga)].

Se algum dos dois desobedecer às minhas ordens o «jogo» acaba, de imediato ! – avisou ela em tom solene.

Mandou o marido despir a amiga de forma sensual e o mais lentamente que conseguisse. Depois dela estar totalmente nua, ordenou-lhe:

— De joelhos na frente dele, já!
— Contorna com as mãos o enchumaço das calças. E aperta levemente.
— Agora, vais desapertar-lhe o cinto, passas as mãos pela carcela das calças e puxas o fecho para baixo.
— Isso mesmo. Linda menina
.

E ordenou ao marido para desabotoar a camisa de modo a ficar solta.

— Passa a tua língua por cima dos boxers e inspira profundamente o cheiro que exalam. Quero que absorvas o cheiro a macho dele - explicou ela
— Agora, usando apenas a boca, puxa os boxers para baixo.

— Arreganha a cabeça com as mãos e chupa-a. Lambe o líquido lubrificante que escorre do orifício da glande.
— De pé! Passa dois dedos na rata e dá-lhe a provar a ele.

— Assim ... deixa-o saborear bem o teu sabor. Mete de novo os dedos na rata e saboreia tu também o teu sabor.

Depois foi a vez do marido se ajoelhar na frente dela.

— Introduz a língua na ratinha dela. Passa- a pelos grandes lábios. Agora no interior dos pequenos lábios. Lambe o líquido que escorre dela. Engole-o.
— Procura com a ponta da língua o botãozinho duro.
— Não o largues !Com os lábios aperta-o o mais que puderes. Até ela gemer. Isso .... deixa-a a gemer ... deixa-a gritar .... aperta mais ... não o largues!
— Chega! De pé!

Então, autorizou-os a abraçarem-se e a beijarem-se demoradamente.

De seguida, ordenou ao marido para pegar nela ao colo e estendê-la ao comprido na cama. E para retirar a camisa deitando-se todo nu ao lado dela.

Despiu-se num ápice.
E atirou-se para o meio dos dois.

— A «festa» vai, agora, começar! - exclamou ela





29 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 1

Ménage à trois

Ele e duas mulheres.
E, se elas interagirem entre si, então é ouro sobre azul: os homens ficam extremamente excitados ao ver duas mulheres «em acção»

Esta é a fantasia n.º 1 dos homens. Alguns já a realizaram. Muitos outros sonham realizá-la.

Todos, mas TODOS os homens, têm esta fantasia. Acho que será mesmo patológico não a ter.

Actualmente, quer na TV quer na Internet, podem ver-se vídeos produzidos pela indústria pornográfica com um cena já clássica: duas mulheres e um homem, elas apaixonadas, carregadas de luxúria e agindo de forma selvagem. Mostrando-se lascivas, esfomeadas e insatisfeitas.

Esta é uma fantasia que nos traz à memória as orgias romanas, pré-hispânicas, medievais e vitorianas. Afinal, orgias e fantasias ligadas às orgias, são de todos os tempos.

Contudo, esta fantasia que muito poucos homens realizam levanta sérias questões: com quem realizar a fantasia? Mulheres conhecidas? Amigas? Com a esposa, com a namorada ou uma amiga colorida?

E depois se já é um tarefa ciclópica satisfazer plenamente uma mulher como será satisfazer duas mulheres? Por acaso podes repartir a tua atenção e concentração nas duas e levá-las ao orgasmo?

Deixa-te de lirismo: a melhor forma de teres duas mulheres a actuarem para ti como actrizes pornográficas é pagar-lhes por esse serviço. Raros e excepcionais são os casos de uma «ménage à trois» que resultem em algo de inesquecível e pleno de erotismo.

Mas as coisas estão a mudar.

Esperem (não desesperam!) pelo dia em que a vossa esposa, a vossa namorada ou a vossa amiga colorida vos diga:

- Môr, convida uma amiga para jantar. E se ela entrar na onda até pode dormir connosco.
- Sim, sim, kiduxa, adoro-te!


Uma noite, depois de bem «bebidos», dirigiram-se os três para o quarto do casal.
Conforme o acordado, seria Ela a conduzir os dois (o marido e a sua amiga).

(continua)

28 novembro 2007

Capacidade de descontrolo

Orgasmo

Algumas mulheres referem a dificuldade em perder o controlo, em deixar-se ir.
Ora, segundo os especialistas, o orgasmo é a capacidade de descontrolo.
(Isabel Freire, autora do livro - Fantasias Eróticas – Segredos das Mulheres Portuguesas)

E tu, deixas-te descontrolar?

Confessa-te aqui.

23 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 2

Orgia

A participação numa orgia é um fantasia sexual masculina muito comum.
Para se poder falar em orgia é necessário que estejam envolvidas no mínimo 5 pessoas de sexo diferente (incluindo 2 de cada sexo pelo menos).

Tipos de orgias:

Gang Bang

É uma orgia em que uma mulher mantém relações sexuais com vários homnens simultaneamente ou consecutivamente.
Sentir muitas mãos a acariciar o seu corpo, sem as identificar, mas apenas para disso retirar prazer .... é uma fantasia frequente nas mulheres. E quando vários homens estão a acariciar uma mulher em simultâneo sentem a vibração dela nessas alturas. Misturam-se odores, carícias, sabores, suores e texturas de pele. E à vista de tantos corpos nus os nossos sentidos são estimulados de forma muito intensa.

Gangbang inverso

Quando um homem mantém relações sexuas com várias mulheres simultaneamente ou consecutivamente.

Bukkake

É uma prática de sexo em grupo, conotada com a humilhação feita às mulheres infieis aos seus maridos. Uma série de homens, à vez, ejaculam na cara de uma mulher ajoelhada e presa. No fim ela terá de beber o sémen que escorreu previamente para um recipiente. Crê-se que esta prática tem origem no Japão medieval. Um marido que descobrisse que a a sua mulher era infiel levava-a amarrada para a praça pública para sobre ela ejacularem todos os homens da aldeia como castigo.

O sexo em grupo está a tornar-se um negócio multinacional para empresass que organizam festas privadas em Berlim, Nova Yorque ou Barcelona. Começaram por reunir 80 pessoas e, actualmente, já conseguem reunir mais de 800 pessoas por cada evento, realizado em iates e mansões de luxo.

21 novembro 2007

Quarentonas buscam amantes mais novos

Mulheres com mais de 40 anos


De aordo com estudos comportamentais recentes cada vez mais mulheres, nomeadamente acima dos quarenta anos , procuram amantes mais novos.

Esta tendência parece ter sido despoletada pelo exemplo de actrizes famosas com companheiros mais novos do que elas (Demi Moore, 47 anos e Ashton Kutcher, 27 anos).

As mulheres com mais de 40 anos querem homens mais novos por mera diversão e aventura. Eles procuram parceiras mais velhas por razões do conforto material e boa comida que esperam encontrar junto delas.

«Mulheres urbanas e sofisticadas podem conseguir atrair um homem mais novo com a sedução de restaurantes caros, férias cinco estrelas e presentes de grife, mas não é surpresa que os homens mais jovens também se sintam atraídos por mulheres mais focadas na vida doméstica», disse Victoria Lukats, psiquiatra e especialista em relacionamentos da Parship.

«Uma refeição caseira preparada com amor é um afrodisíaco tão poderoso quanto jantar fora em um restaurante chique. Até mesmo o cheiro da comida sendo preparada pode liberar endorfinas que nos fazem pensar em amor», disse.Homens.

E o que se está a verificar, igualmente, é que as mulheres quarentonas gostam de miúdos já que estes facilmente se convencem a deixarem-se dominar por elas indo, assim, de encontro a uma fantasia cada vez mais recorrente entre as mulheres: dominá-los sexualmente, invertendo-se os papeis do homem e da mulher na cama.

As mulheres com mais de 4o anos, que já criaram os filhos e têm uma vida profissonal mais estável, a única preocupação delas é o prazer e não se o namorado vai pagar a conta de gás.

(Diálogo inimaginável)

— o que me espanta é a tua ligação com um miudo
— acredita que eu pensei que tinha sido uma coisa de uma noite apenas ... que tinha sido uma coisa passageira
— acho que estamos obcecados um pelo outro ... mas, olha, a verdade e que há muito tempo que não fodia com tanto prazer.

— domino-o na cama ...
— uso-o como objecto pessoal de prazer.
— ai sim?
— estou viciada em face sitting....

— acreditas que houve uma noite que se veio 7 vezes .... foi demais ... nunca tinha visto nada assim ...
— porra! Nem eu.
— dás cabo do miúdo, coitado.
— ele diz que fui a única mulher que o deixei de rastos … a namorada dele tem 23 anos e nunca o deixou assim
— ele tem namorada?!!!
— e bem interessante. Já a conheci... Tem para aí 1,75 de altura já foi convidada para desfilar em passagens
de modelos
— hummmmmmmmmmm

— digo na brincadeira .... que ele tem uma mulher que é uma gata e anda a foder com uma velha muito rodada.

17 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 3

Jogos eróticos (cerejas com chantilly)


Sentado no sofá, vias televisão .
Ela levanta-se, de repente, e dirige-se à cozinha.
Traz do frigorífico dois recipentes de vidro: um com cerejas lavadas e escorridas e o outro mais pequeno com chantilly. Ela sabe como tu és guloso por cerejas.

- Despe-me! - ordenou ela.

Logo após, venda-te os olhos com um lenço escuro.
E explica-te o jogo: «vou deitar-me aqui no sofá. Se queres comer as cerejas, vais ter de as encontrar algures no meu corpo. Só podes utilizar a boca e a língua. Se te demorares muito ou se as procurares com demasiada sofreguidão, quem come as cerejas sou eu.».
Passa um cereja pelo chantilly e cola-a no pescoço.

- Essa foi muito fácil de descobrir, sorte de principiante - disse ela.

Tu sorris, agradeces e comes a cereja.
Cola um cereja com chantilly em cada um dos mamilos. Tu, levado por uma qualquer intuição, acertas de imediato no alvo. Comes as cerejas e aproveitas para morderes com os lábios aqueles mamilos erectos da excitação.

- Porra, pareces bruxo ! - estranhou ela.
- Ahhhhhhhh .... desta vez, lixas-te ! Demoraste muito tempo. Esta como-a eu - esclareceu ela.
- Vamos à próxima - disse ela.

Tu passaste suave e demoradamente a língua pelo pescoço, pelos mamilos, percorreste todo o seu alto ventre, desceste até às suas partes genitais. Nada.
Braços, pernas, quadris. Nada.

- Desculpa, mas não tens cereja nenhuma no teu corpo.
- Tenho duas cerejas no meu corpo - insistiu ela.

Fez-se luz na tua mente.
Abocanhaste-a e retiraste lá de dentro duas cerejas gordas lambuzadas de chantilly e de algo mais com sabor indescritível.


Cerejas com chantilly. Ver mais aqui

16 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 4

Dominação


Manter uma mulher imobilizada (bondage), à sua total mercê , é uma fantasia comum a muitos homens.

Uma mulher manietada, vendada ou amordaçada, é uma mulher fisicamente diminuída. E o facto de se encontrar fisicamente limitada determina a sua dependência psicológica.

Ela sente-se indefesa, frágil, vulnerável.

E começa, então, o jogo erótico. Em que a liturgia das palavras e dos gestos é, sem dúvida, determinante.

Ao ser acariciada e tocada, ela está física e mentalmente incapaz de oferecer qualquer tipo de resistência. E afasta de si qualquer constrangimento, desaprovação ou sentimento de culpa já que não se sente responsável pelos seus actos.

Deixa-se ir. Sem oferecer a mínima resistência, E vai até onde ele a quiser levar. Num crescendo de erotismo e excitação. Solta-se e liberta o lado negro (dark side) que esconde dentro de si.

Ela que antes era incapaz de dizer um palavrão, sem dar por isso, esta a usar uma linguagem obscena. Ela, que sentia repugnância por certas práticas, torna-se, agora, uma mulher ordinária e abertamente sexual explorando diferentes aspectos da sua sexualidade.



Dominação Virtual

— estou cheia de sono …
— toca-te agora!
— tenho sono …
— exijo obediência!
— estou mesmo a cair de sono
— faz o q te mando, porra!
— mas eu tenho sono. Se visses como estou, com os olhos meios fechados
— não adianta. Não cedo
— não sejas assim, deixa-me ir dormir
— primeiro, vais fazer o que te mando
— faço na cama, pode ser?
— não. Tem de ser aqui
— estou de calças
— puxa-as para baixo!
— deixa-me ir dormir
— abre o fecho e puxa as calcinhas para baixo!
— oh ….
— vamos!
— já abri

15 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 5

Prostituta

(Apetece-te fazer sexo anal. E pedes-lhe para ela se fingir de prostituta)



Então, ela veste uma lingerie sexy por baixo de um mini vestido coleante de cores vivas. Meias de rede com ligueiro. E botas altas de couro preto a cobrir os joelhos.

Sai porta fora. Desce o elevador e toca à campainha da entrada. Entra em casa como se fosse uma autêntica profissional.

Inicialmente, pede-te uma exorbitância. Fala alto. Tu pedes-lhe para baixar a voz e regateias o preço. Que por esse valor terá de fazer oral e anal.

Ela concorda.

Vais buscar a carteira e pagas-lhe o preço combinado.

14 novembro 2007

Por que demoram tanto tempo as mulheres na casa de banho?

Tenho para mim como mais plausível explicação a seguinte:

elas demoram muito tempo na casa de banho porque andam a mostrarem-se umas às outras numa acérrima competição «inter pares».

«Meu Deus, olha para isto, vê como a minha cintura está tão fina! E olha-me para estas ancas!»

«Vê estas calças. Nunca vesti umas calças que me caissem tão bem

Em conclusão: as mulheres demoram muito tempo na casa de banho para mostraren às suas «amadas e adoradas amigas» as suas formas maravilhosas.

Aumenta a sua Auto-Estima e as «amigas» ficam com uma grande dor de corno.

13 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 6

Dar-lhe ordens por SMS


Mensagem SMS:

«Abandona tudo o que estiveres a fazer, de imediato!
Se estiveres em casa, despe-te e masturba-te!
Se estiveres na rua ou num local público, vai à casa de banho mais próxima e masturba-te!
Exijo Obediência e Disciplina.
Quero um resposta com todos os pormenores dentro de 10 minutos».

12 novembro 2007

ESTRANHAS ALIANÇAS

Casam por opção e até por paixão e hesitam entre manter a homosexualidade no armário ou integrá-la na vida a dois. Um dia, separam-se, porque um se assume ou porque o outro descobre não ser capaz de lidar com a situação em silêncio... »

Há quem acredite que é possível ter o melhor de dois mundos, sem perder nenhum. Aqueles que o conseguem, cultivam o secretismo a tal ponto que nem sob o anonimato ousam tocar no assunto. Vida dupla, sentimentos de culpa, dilemas morais, solitários fechar de olhos são alguns dos efeitos secundários destes contratos tácitos.

São complexas as razões que sustentam durante tanto tempo ligações de orientação mista.

Henrique Pereira, 34 anos, psicólogo doutorado em construção da identidade homossexual, traça o perfil deste modelo de relação, regida pelo princípio do mal menor:“As mulheres negam os sinais que vêem, porque cultivam o amor romântico e querem ter um companheiro; eles convencem-se de que gostam de estar com elas mas à custa de fantasias com homens”

Enganam-se a si mesmos e ao outro, nunca de ânimo leve mas, antes, por uma questão de sobrevivência: “Estes casamentos vão continuar a existir, enquanto o tecido social influenciar a expressão da sexualidade”.

Reconhecer o falhanço representa uma enorme perda de estatatuto e de auto-estima”.

Para uma imensa maioria, a sombra protectora da invisibilidade continua a ser a melhor solução – quer se viva no purgatório ou num paraíso secreto, a preservar a todo o custo.

Quem disse que era fácil ter o melhor de dois mundos sem perder nenhum?


In, VISÃO, N.º 766 – 8 de Novembro 2007, artigo de Clara Soares

PS: post enviado por uma grande Amiga a quem, desde já, agradeço sobre uma temática muito actual. Muito mais do que se julga.

11 novembro 2007

Soltar as amarras

— és muito tonta
muito mesmo:)
— é a minha tontice que me dá forças
— faz-nos bem fantasiar de quando em vez
nem imaginas quanto
— imagino sim
ajuda-nos a suportar tudo o resto
— a vida tem outro sabor. E tu andas a descobrires-te
ando a soltar-me …
— qualquer dia ninguém te segura
a achar que não tenho mais nada e tenho que viver com intensidade o pouco que tenho …
— eu própria:))
— sou a minha maior amarra:)
— só tu tens arte para soltar o nó:)

10 novembro 2007

08 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 7


E é exactamente esse facto que torna o sexo em público tão empolgante.

Para os casais que acham muito rotineira e sem graça a sua vida sexual aconselha-se vivamente a enontrarem locais alternativos para fazerem amor: no campo, num motel da moda, numa outra divisão da casa (a cozinha é o local mais comum), num hotel ou mesmo no carro.


Sexo em público

Esta fantasia masculina é em tudo semelhante à fantasia feminina descrita num post anterior.

Com a particularidade de serem, regra geral, os homens a tomar a iniciativa de proporem à sua parceira fazer sexo num local público mais ou mesnos reservado.


Claro que existe, ao menos teoricamente, o perigo de serem apanhados em flagrante.

07 novembro 2007

Pipocas

Contributos para uma nova abordagem na degustação das pipocas

— tive uma ideia loucaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
— imagina irmos ao cinema...
— eu bato-te uma...
— tu vens-te....
— eu molho as pipocas na tua esporra e tu comes.
— eheheheheh
— e esta hein???????????

05 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 8

Sexo com uma desconhecida

«Caminhas só na rua semi-deserta.
Um automóvel circula muito lentamente a teu lado. E pára à tua frente.
A condutora abre a porta do carro e convida-te a entrar».

Esta fantasia povoa o imaginário erótico da maior parte dos homens.

Quando um homem fantasia fazer sexo com uma desconhecida pensa no prazer puro e duro: prazer egoista, prazer anónimo, prazer que não cria laços.

O sexo anónimo é sexo mulher objecto. É sexo aventura. É sexo animal.

E, por isso, é super excitante.

É só fazer as contas

A vagina tem cerca de 7,6cm de comprimento ao longo da parede posterior com 2cm de diâmetro. Em excitação, aumenta para 10cm e 6cm, respectivamente.

Tamanho Médio do Clitóris

O clítoris mede em média 2,5cm. No entanto, a parte que se vê, a glândula clitoral, mede 0,5cm.

Tamanho Médio do Pénis

Quase 88% dos homens têm um pénis entre 12,7cm e17,7cm de comprimento em erecção. Em relaxamento, a maioria (90%) mede entre 7,6cm a 12cm.

De que se queixam elas? É fazer as contas. Chega e sobra. Homessa!

Ver mais aqui

03 novembro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 9

Ser submisso


Num relacionamento a dois (hetero ou homosexual) é inevitável um dos elementos ser o dominante.

Existe a ideia feita (partis pris) de que num relacionamento heterossexual o homem é o elemento dominante.

Pois, nem sempre é assim e , hoje em dia, é cada vez menos asssm.

Pesquisas recentes revelaram que uma mulher controlando a libido do homem pode assumir na relação um papel mais activo e dominante e obter uma maior cooperação, atenção e até submissão da parte dele.

E um homem condicionado e frustrado sexualmente por uma mulher dominadora fantasia em servi-la, em obedecer-lhe cegamente, em satisfazer-lhe todos os´seus caprichos, nomedamente do foro sexual, em suma, a entregar-lhe o controlo total de si mesmo.

Muitos homens descobrem que se excitam sexualmente ao ver imagens ou ler relatos de mulheres com comportamentos agressivos para com os homens. Sentem-se empolgados ao verem mulheres vestidas de couro, com chicotes na mão perante homens acorrentados e algemados.

E sonham conhecer mulheres dominadoras (ou fantasiam que a sua companheira se comporte como uma mulher dominadora) mas por vergonha, por medo, por pressão social, nunca lhes dão a conhecer essas suas fantasias de que resuilta uma vivência sexual sem chama, indesejada por ambos.


Bibliografia:
Female Domination
An exploration of the male desire for Loving Female Authority
By Elise Sutton

01 novembro 2007

Viver com muita tesão

Convidou-me uma amiga a ir almoçar com ela a uma tasca.
Primeiro sinal positivo: muita gente à espera.
Ainda demorámos algum tempo para nos sentarmos.
Por sugestão dela pedimos um teclado (1) para cada um.

- Como? Vais comer isso tudo? - inquiri eu surpreso.
- Sou uma mulher com muito apetite - respondeu-me ela a rir.
- Tenho muita fome de viver.
- Vivo com muita tesão - concluiu.



(1) Um doce a quem adivinhar o que é um teclado

Dia das bruxas

Ontem, à noite, fui visitado por sete bruxinhas.
Todas vestidas a rigor. Todas lindas de morrer.

- Guloseimas ou travessuras !!! - ameaçaram-me elas.

Virei a casa do avesso. Doces nada. Guloseimas nada. Rebuçados, chupa-chupas, chicletes... nada.
Propus-lhes, em desespero de causa, trocar as guloseimas por dinheiro.
Aceitaram.

Quando forem maiores não vai faltar quem lhes ofereça guloseimas.

31 outubro 2007

Fantasias Masculinas - N.º 10


Trasvestir-se

O travestismo é uma parafilia que aparece associada a outras parafilias como o fetichismo, o exibicionismo ou o masoquismo.

Pode igualmente coexistir com orientações e escolhas sexuais: homossexualidade e bissexualidade.

Alguns homens fantasiam durante a masturbação vestirem-se de roupas íntimas femininas (chegando alguns mesmo ao ponto de vestirem alguma peça íntima feminina durante o acto masturbatório).

O travestismo ocorre em mais de 90% dos casos na infância até aos 19 anos e, muitas vezes, não deixa quaisquer sequelas na idade adulta.

No travestismo fetichista o homem tem comportamentos femnininos quando vestido com roupas de mulher. E, nalguns casos, apenas consegue erecção peniana vestido com uma peça íntima de mulher.

O travesti fetichista pode vestir roupas íntimas femininas, por exemplo: calcinhas, meias, collants, sutien, por baixo da roupa masculina quotidiana e isso funcionar como indutor da excitação sexual procurada.

Alguns homens chegam a justificar as suas escolhas por roupa feminina com o argumento de que as calcinhas de mulher são mais suaves e mais confortáveis que os boxers ou cuecas masculinos.

Causas ou motivações do travestismo:


  • liberdade de vestir-se

  • motivação erótica na prostituição

  • Drag Queens

  • fetichismo erótico

  • meio de expressão artística

  • expressão emocional

  • mudança de identidade

30 outubro 2007

Fantasias Masculinas - As 10 Mais

Vamos iniciar nova saga com o Top 10 das Fantasias Eróticas Masculinas.

Quero que fique bem claro, para todas as minhas queridas e amadas leitoras, que este não é o Top 10 das Fantasias Sexuais do Trolha mas das fantasias eróticas dos trolhas em geral e dos homens em particular.

As fantasias dos homens são menos elaboradas do que as das mulheres: até nisso somos mais básicos. Mas com uma virtude: não temos problemas em admitir as nossas fantasias e falar delas abertamente junto das mulheres.

Está atento/a. Amanhã será aqui descrita a Fantasia n.º 10.

26 outubro 2007

Fantasias Femininas - N.º 1

Violação

A fantasia feminina mais comum entre as mulheres é a violação: ou por um conhecido que ela deseja seduzir/conquistar ou por um total desconhecido.

Embora soe como algo impensável uma mulher fantasiar ser violada, esta é a fantasia que povoa, de forma mais recorrente, o imaginário feminino .

Sonha desempenhar o papel de uma menina inocente que é atacada por uma homem sacana e predador. Ser empurrada contra uma parede, ficar imobilizada com os braços por cima da cabeça, enquanto ele com a outra mão percorre o corpo dela por debaixo da roupa e lhe acaricia a vagina.

Algumas chegam mesmo a imaginar que eles lhes rasgam as roupas, as forçam a abrir as pernas, as penetram freneticamente, ao mesmo tempo que lhes esborratam os lábios com beijos forçados.


Nota: a violação como FANTASIA pode ser fonte de excitação. Violação como REALIDADE é um pesadelo.

24 outubro 2007

Fantasias Femininas - Nº 2

Inversão de papéis

Uma das fantasias mais populares entre as mulheres (esta fantasia corre, hoje em dia, de boca em boca em certos meios sociais), a muita distância de todas as outras, é a mulher fazer de homem por uma noite.

Mulheres que fantasiam em vestirem-se como um homem e agirem como um homem. De possuírem uma pénis como os homens ou um substituto de um pénis masculino (1).

Ter um homem sob o seu domínio, mandar na sua vontade, sentir um homem numa posição vulnerável, tê-lo ali à sua inteira mercê. Ser capaz de penetrar um homem e sentir o poder e o empolgamento que, regra geral, andam associados ao macho agressor.

É isto provavelmente o elemento mais afrodisíaco desta fantasia.

Existe muito a convicção de que um homem que goste de ser penetrado tem tendências homossexuais. Mas isto não é verdade: o ânus masculino é uma zona altamente erógena, ainda mais que o ânus da mulher.

O homem possui mais terminações nervosas na região anal do que a mulher, isso porque possui uma certa continuidade do nervo peniano que desce em direcção ao períneo, contribuindo, inclusive, para a região ser mais sensível a toques e carícias.

Com a penetração, a região da próstata também é massajada, dando prazer à maioria dos homens.



(Diálogo inimaginável)

Vendado e algemado, transpiras....
- Meu amor...quando me enrabas nunca transpiras tanto, porquê isso agora?
E tu nem me respondes... a tua respiração está irregular, apenas esperas...e rezas para que nada te aconteça. Levanto-me.
- Deita-te ! Já ! Meu cabrão .... barriga para baixo.
E sento-me em cima de ti, na mesma posição em que noutras ocasiões tanto gozei....quer dizer, hoje também vou gozar, mas não da mesma forma.
E tu atreves-te:
- O que vais fazer-me?
- Cala-te ! Meu estúpido, quem é que manda?

(diálogo adaptado)

(1) Strap_on ou dildo é um brinquedo erótico, geralmente um pénis artificial, que pode ser amarrado ao quadril de uma mulher para que esta faça as vezes do homem (Wikipedia).

23 outubro 2007

Fantasias Femininas - Nº 3

Ménage à trois


«Seria super erótico fazer sexo com dois gatos. Para saber o quanto eu posso aguentar já que deve ser muito desgastante fazer dessa forma. A graça estaria se fossem dois homens desconhecidos e muito, muito atraentes. Imagine! Ver os dois excitados por mim e pelo meu corpo».

É uma fantasia muito comum entre as mulheres sonharem com dois homens a tocá-las, beijá-las e penetrá-las em simultâneo.

Outras acham que ter dois homens à sua disposição para realizar com elas todas as suas fantasias lhes dá uma incrível sensação de poder. Sentem-se como rainhas.

22 outubro 2007

Fantasias Femininas - Nº 4

Prostituta


Muitas mulheres, nomeadamente profissionais com carreiras invejáveis, fantasiam ser ou bailarinas de strip tease ou mesmo prostitutas ou qualquer outra mulher com uma notória identidade abertamente sexual.

Obviamente, que isto não é senão uma fantasia. E não passa pela cabeça de ninguém que uma mulher com uma carreira profissional de sucesso (até a nível monetário) pretenda mudar de profissão.

Algumas fantasiam com homens a pedirem-lhes que baixem as calças, subam os vestidos, retirem as calcinhas fora ou se toquem na frente deles.

Outras imaginam ser levadas por um «gentleman» no seu carro de luxo que as transportaria a um local sujo (tipo estribaria) onde lhes pagariam os seus favores sexuais.

As mulheres da «má vida» têm sexo obsceno e quente. As mulheres, «Senhoras» na vida real, sonham em como será uma mulher abertamente sexual. E imaginam-se no papel de uma dessas mulheres. E sonham vestir-se de forma provocante e serem desejadas em público por homens e mulheres. Não consta que as mulheres dos bairros degradados tenham esta fantasia.

Imaginar-se no papel de prostituta é uma fantasia das mulheres “sexualmente inibidas” ou que sonham ser «sexualmente desejáveis» . O «pagamento» dos serviços sexuais é a confirmação do seu poder de atracção.

Sentem-se poderosas: são donas de algo tão desejado que eles homens estão dispostos a pagar por obtê-lo.

21 outubro 2007

A myth is born

já esgalhaste o pessegueiro hoje?
— não e tu?

— olha tens mais sorte que eu
cinco vezes
— como? 5 vezes?
sim
— não andas a exagerar nem nada?
foi óptimo
não
— e com quem o fizeste sua depravada?
a pensar em ti
— e tu achas q eu acredito? Achas?
contigo no pensamento
claro que acreditas!
— o q te faz pensar q eu acredito em ti?
teres a noção que és poderoso
— tão simples como isso

Fantasias Femininas - Nº 5

Sexo em grupo


A sensação de liberdade de se sentir nua diante de um grupo de pessoas igualmente nuas. E imaginar que diferentes homens e mulheres possam tocar e acariciar o teu corpo, usar o teu corpo, pode ser extremamente erótico.

Confessava-me uma amiga que sonhava «despachar» uma equipa inteira de futebol.
Eles, ali, de pé, todos nus e em fila indiana. Vinham 3 de cada vez. E depois de «despachados» ela gritava :
- Seguinte!

Em clubes de sexo ao vivo é normal os modelos masculinos e femininos contratados pelo clube convidarem homens e mulheres da assistência para participarem na «orgia».

É espantosa a quantidade de mulheres da assistência que entusiasmadas pelo espectáculo (e por que não dizê-lo pelos modelos que estão a actuar em palco) aceitam fazer sexo em grupo.

E, então, dá vontade de rir ver cenas caricatas da total atrapalhação delas em resultado da ansiedade do momento: são as calças impossíveis de desenfiar das pernas com as botas ainda calçadas (pudera!), botas que teimam em não sair dos pés, uma meia tirada outra rasgada, etc, etc … Só visto.

Existem, actualmente, clubes de SWING um pouco por toda a parte (mas sempre de acesso muito reservado).

Aqui os «swingers» podem observar casais em actos sexuas explícitos ou ter sexo com a própria parceira perante os olhares dos presentes ou mesmo trocar de parceiro com outro casal swinger.

Soft swing : beijar, acariciar ou ter sexo oral com uma terceira pessoa;
Full swap: sexo com penetração com alguém distinto do/a parceiro/a.



20 outubro 2007

Fantasias Femininas - Nº 6

Entrega Total

Muitas mulheres fantasiam ter um Dono na cama numa atitude de Entrega Total.

Algumas imaginam obedecer cegamente às suas ordens: sexo quente, acompanhado de cenas tórridas.

Outras tentariam fazer-lhe frente lutando com ele e negando-se a fazer o que ele lhes pede. Mas, neste caso, sonham ser dominadas fisicamente e acalmadas ao ritmo cada vez mais agressivo das suas penetrações.

O orgasmo, em ambos os casos, é avassalador.

19 outubro 2007

Fantasias Femininas - Nº 7

Sexo em público

Pode ser empolgante para uma mulher só a simples ideia dos outros se excitarem ao vê-la a fazer sexo em público. Todas as mulheres anseiam secretamente serem desejadas. Serem sexualmente desejáveis.

E , ao fazerem sexo em público, o facto de poderem ser apanhados dá aos casais uma sensação indescritível. É óbvio que o prazer de sexo em público anda associado a um outro fetiche - o exibicionismo (embora de forma não tão ostensiva como acontece no exibicionismo).

Esta fantasia surge com alguma frequência no cinema. Quem não se recorda do filme «Atracção Fatal» em que o Michael Douglas e Glen Close fazem sexo no elevador? Esta fantasia tornou-se na fantasia típica de sexo em público.

As razões que podem levar uma mulher a fazer sexo em público:

porque a vontade era tanta que era impossível resistir;
porque a aventura do sexo em público proporciona maior prazer;
porque o meu namorado é um tarado;
porque o meu marido/amante/namorado tem essa fantasia;
por falta de outro lugar melhor.

Os locais mais frequentes do sexo em público:

no carro
na rua
no elevador do prédio
na garagem do prédio
na praia
na piscina de amigos ou mesmo do hotel
nas casas de banhos (de comboios, de aviões, de centros comerciais, da escola, do
emprego, etc)

Nota: fazer sexo em público é proibido por lei (art. 170.º do actual Cod. Penal, sob a epígrafe - Importunação Sexual)

18 outubro 2007

Fantasias Femininas - Nº 8

Sexo com uma mulher

Quando nas fantasias intervêm outras mulheres há quem fique preocupada com isso, chegando mesmo a duvidar da sua orientação sexual. Contudo, embora seja verdade que todos nós somos bissexuais, em sentido lato, não quer dizer que uma mulher seja lésbica só por fantasiar com outra mulher.

Pode significar, apenas, que sente necessidade de um amante mais carinhoso. As mulheres são vistas como mais suaves, mais ternas e mais românticas o que não corresponde, regra geral, à imagem dos homens.

Outras mulheres fantasiam um envolvimento físico com outra mulher na presença de um homem para ele ver o que fazem e como fazem, mas sem poder participar, e sentir-se tal modo atraído pela situação que se torne difícil manter-se à margem.

A mente das mulheres tem um potencial erótico muito grande quando soltam a imaginação .

Contudo, estas fantasias são recorrentes em momentos de solidão ou durante as noites por dormir.

Porém, poucas são as que levam à prática as suas fantasias por falta de coragem, por vergonha ou por medo do parceiro.

17 outubro 2007

Fantasias Femininas - N.º 9

Sexo com um estranho


Marcar um encontro com um homem misterioso num hotel e ter com ele uma noite de sexo selvagem e desinibido.

Entrar num bar, maioritariamente frequentado por homens (que estão ali à caça de presas fáceis), sentar-se ao balcão, deixar-se seduzir pelo primeiro que as aborda e sairem para um motel. Na manhã seguinte, antes mesmo dele acordar, desaparecer para sempre.

Pensam algumas mulheres que apenas conseguirão dar rédea solta aos seus desejos mais íntimos com estranhos: estes não as julgarão nunca já que muito provavelmente não voltarão a vê-los.

Ter sexo com um estranho não significa, necessariamente, que seja um total desconhecido: poderá ser alguém com quem se cruzou na rua (e que llhe lançou aquele olhar fulminante que a deixou a tremer toda), um colega de trabalho ou com quem «convive» diariamente (no café, no supermercado, etc.). Inlcui, igualmente, o sexo com estranhas criaturas: vagadundos, toda a espécie de fardas, estrelas de cinema ou de rock, etc.

Uma mulher ao ter sexo com um estranho, o qual apenas verá uma única vez, poderá ser abertamente sexual sem receio de ser etiquetada. E isso pode ser extremamente erótico para ela.

16 outubro 2007

Fantasias Femininas - N.º 10

Dominar um homem

Com a emancipação da mulher e com a revolução dos costumes (mais mulheres acedem a lugares antes apenas reservados aos homens), muitas mulheres sonham dominar um homem: dar-lhes ordens, obrigá-los a realizar certas práticas sexuais, fazer com que supliquem por sexo ou mandar-lhes lamber os pés, os tacões ou qualquer outro objecto fálico.

São estas algumas das fantasias que representam para as mulheres uma fonte de satisfação e bem estar.

Há quem julgue que esta fantasia, cada vez mais recorrente, é um reflexo dos muitos anos de submissão «forçada» das mulheres à dominação masculina.




Feitiço: Cortar a parte inferior de uma cebolla, apenas o suficiente para poderes apoiá-la no prato. Abrir um buraco ao centro na cebola e colocar no seu interior uma vela pequena. Acendê-la à noite juntando uma boa quntidade de azeite no buraco aberto para fazer com que arda mais tempo. Embeber em algodão esperma do homem que queres dominar e colocá-lo sobre o azeite à volta da vela. Repetir a operação 7 dias antes da lua cheia.

15 outubro 2007

Fantasias Femininas - As 10 Mais

Este é o Top 10 das Fantasias Eróticas Femininas.

Durante 10 dias serão aqui descritas, por ordem decrescente, as 10 fantasias femininas de cariz sexual mais frequentes.

Fantasias que elas nem às paredes confessam.

Aguarda.

Amanhã será, aqui, descrita a fantasia n.º 10 .

13 outubro 2007

Sonho Erótico


— tens sonhos eróticos?
— :) … não . Não tenho. Lol
— anda lá …conta-me o teu último sonho erótico
— desculpa …mas não consigo … não consigo mesmo. Tenho vergonha de ti.
— eu fecho os olhos e tapo os ouvidos …
— conta!



— anoitece...
— começa a chover...primeiro devagar
— vou na rua...sem chapéu de chuva
— chove cada vez mais intensamente
— procuro um sítio onde me abrigar
— há um prédio … e abrigo-me na empena do prédio
— espero que pare de chover
— chove cada vez mais
— o vestido molhado cola-se ao corpo
— um automóvel pára na estrada em frente
— por gestos convida-me a entrar no carro
— recuso com um sorriso
— ele sai do carro e vem ter comigo
— insiste para me abrigar no carro
— delicadamente agarra a minha mão e leva-me para o carro
— eu deixo-me ir sem opor resistência
— coloca o braço por cima do meu ombro protegendo-me da chuva com a gabardina
— abre a porta do carro e eu entro
— liga o ar condicionado e arranca com o carro
— pára pouco à frente num beco sem saída. Diz para aguardarmos ali até que deixe de chover
— oferece-me um cigarro. Aceito e agradeço
— sinto-o a olhar-me
— o olhar dele é cada vez mais insinuante
— fico constrangida
— olha para as minhas pernas... para o vestido todo colado ao corpo
— põe uma mão nos meus joelhos e força veladamente separá-los
— tiro a mão dos meus joelhos
— insiste .. volta a insistir.
— passa a outra mão pelo meu pescoço
— puxa-me pelos cabelos para trás e beija-me o pescoço
— vai descendo com a boca ate aos meus seios, por cima do vestido
— morde...
— com a outra mão continua a acariciar-me as coxas
— toca-me no sexo por cima das cuecas
— fecho os olhos e deixo de resistir. Sinto os joelhos quentes e a tremer. Uma onda de calor sobe através das coxas até às minhas entranhas
— puxa-me o vestido para cima, deixando-me exposta
— mete a mão dentro do soutien...puxa pelo decote do vestido
— a outra mão dele continua no meu sexo ...
— com a minha mão procuro o sexo dele
— sinto-o por cima das calças … está duro
— puxa-me a cabeça pelos cabelos até ao colo dele
— e esfrega a minha cara no seu sexo
— tira o sexo para fora e diz-me: «chupa-o
— chupo-o .....
— reclina o banco para trás e fica deitado no banco
— continuo a chupá-lo
— mas...quando ele menos espera...sento-me em cima dele
— enterro-me toda nele
— cavalgo-o .... até nos virmos os dois
— no fim ... abro a porta, saio e vou-me embora.
— parou de chover.
— um refrescante cheiro a terra húmida paira no ar

10 outubro 2007

Uma má queca ..ou uma boa canhola?

O que será melhor?
Uma má queca ou uma boa espancadela no macaco?


(Maxmen - Out 2007)
Vem-te aqui sem rodeios e sem receios.

08 outubro 2007

NAITHES

Novas Abordagens Integradas Transversais e Horizontais em Educação Sexual.

Palavras para quê?

Ah ... Como é diferente a educação sexual em Portugal!

04 outubro 2007

Pérolas Processuais


«Adeamus ad montem fodere putas cum porribus nostrus»

Foi a frase usada nas Alegações Finais de uma acção cível apresentada na comarca de Soledade (Brasil).

Nesta acção discutia-se a indemnização a pagar pela destruição de uma plantação de batatas, invadida pelo rebanho da propriedade vizinha.



PS: a frase contém alguns erros grosseiros. Assim, estaria bem mais correcto:

«Adeamus ad montem fodere malas cum porribus nostris»

30 setembro 2007

O poder da cona

O sexo como prémio

Todos sabemos que tanto eles como elas (mas mais elas que eles) utilizam o sexo como prémio ou castigo: as dores de cabeça delas, que chegam a durar 15 dias, é a desculpa mais frequente para os castigarem a eles de algo que não correu bem ou que lhes desagrada.

Uma mulher pode não utilizar o sexo como prémio, mas conhece bem os reflexos condicionados.

E sabe que é necessário periodicamente reforçá-los. E que para se produzir o efeito condicionado o mero som da campainha substitui a apresentação da carne.

Mas não podem esquecer que, se tocarem repetidamente a campainha e não mais apresentarem a carne, depois de um certo número de vezes, deixa de existir salivação e secreção digestiva.

O homem, esse animal desconhecido

Las mujeres acuden a las primeras citas intentando descubrir a los hombres, y no saben que un hombre no es él mismo hasta que se ha librado de esa molestia que le oprime el abdomen.

En el intermedio es un saco de hormonas que generalmente responde a las preguntas por el camino más corto hacia el coito.


Posted by Bad_Man

27 setembro 2007

Sexo em alta velocidade


— recordas-te da fantasia que me contaste no outro dia?
— claro que me recordo
— adorei. Conta-me, hoje, outra fantasia tua
— olha, nino, não abuses da tua sorte
— anda lá … só mais esta


— viajo no Alfa Porto – Lisboa
— leio um livro e ele no banco na minha frente lê o jornal
— olha para mim … percebo o olhar dele nas minhas pernas e presta uma especial atenção à minha blusa justa
— tento ignorá-lo
— mas acabo por olhá-lo nos olhos
— ele olha-me nos olhos e sorri-me
— eu olho-o nos olhos e sorrio para ele
— reparo agora na sua boca
— e percebo perfeitamente só pelo movimentos dos lábios que me diz: «casa de banho».
— sorrio e baixo os olhos. Continuo a ler o meu livro
— ele continua compenetrado no seu jornal
— passado algum tempo levanto-me. Já no corredor, sinto que alguém me segue. É ele seguramente. Mas não me atrevo a olhar
— quando carrego no círculo luminoso para abrir a porta ao fundo da carruagem …. uma voz junto ao meu ouvido diz: «deixa a porta aberta»
— dirijo-me à casa de banho. Entro e não fecho a porta. E aguardo expectante. O coração a bater forte. A adrenalina nas alturas.
— Passado algum tempo, a porta abre-se. E ele entra na casa de banho
— Agarra-me e beija-me sofregamente. Apalpa-me toda. Coloca-me de bruços com as mãos sobre o lavatório
— Eu não ofereço a menor resistência. Levanta-me a saia e puxa as cuecas para baixo.
— Penetra-me com força, com vontade e com tesão ... até atingirmos os dois um orgasmo avassalador
— Limpa-se aos toalhetes
— Veste-se e ao sair diz-me: «Fecha a porta e sai daqui a pouco»

25 setembro 2007

Stretch the Rate - Arreganhar a Taxa


Exercício usual do Banco Central Europeu, que consiste em aumentar as taxas de juro de referência para o crédito.

As consequências deste exercício são duas: rasgados sorrisos por parte dos banqueiros e instituições de crédito (vulgo os gosmas), devido ao aumento das suas margens de lucro.

Sorrisos psicóticos (daqueles em que se notam pequenos espasmos no lábio inferior) de todos os desgraçados que têm empréstimos para pagar e que já planeiam matar a mãe para receber o seguro de vida.




PS: agora entendo pq razão as taxas estão a aumentar tanto .... sem razão aparente ... e pq andam os banqueiros sempre de taxa arreganhada.

24 setembro 2007

Dar a volta




— achas q me dás a volta?
— eu?
— não dás, não. Quem está aqui a tentar dar-te a volta sou eu
— e achas q dás?!!!!!!!!!llllllloooooooollllllllllll
— não. Quando um não quer dois não rebolam

19 setembro 2007

Ser bom na cama

"...em questão de cama só há dois tipos de homens: os bons e os outros."
Bloggermania


"Antes de mais, é fundamental ter uma língua vigorosa. Também aprecio a criatividade e a capacidade de gozar o momento e não ter uma maneira rotineira de fazer as coisas. Passar a noite inteira comigo depois do acto sexual é bom sinal".
Laura, 30, advogada

"Gosto de um homem que não se sinta intimidado por mim. Que vá ao sabor da corrente. Como uma vez em que eu quis fazer amor sob as estrelas num campo nas traseiras do meu apartamento. O meu ex-namorado alinhou. Foi super-excitante. Sinto falta dele"
Sílvia, 24, empregada de bar

"Uma palavra diz tudo: competência".
Marta, 26, organizadora de eventos

"A qualidade mais desejável num homem é a capacidade de fazer uma mulher sentir-se sexy. Quer seja o modo como ela fala ou como se veste, ela quer sentir-se confortável com a sua própria sexualidade sem sentir que se trata de um tabu".
Diana, 26, professora

"As emoções e sentimentos genuínos são o meu primeiro estímulo. Uma atitude carinhosa e a capacidade de receber prazer podem transformar o bom em óptimo".
Vanda, 49, recepcionista

"Confiança. Se um homem se sente bem com o seu corpo - se consegue rir-se de si mesmo quando não o consegue 'levantar' - é um homem suficientemente maduro para satisfazer uma mulher".
Joana, 47, gerente de vendas

"A sensualidade e a capacidade de, verdadeiramente, apreciar todas as texturas, temperaturas, olhares, sons, gostos e cheiros do sexo. Quando um homem se sente suficientemente seguro para se deixar levar pelo prazer, torna-se num amante agradável. É fundamental que o homem esteja relaxado o suficiente para deixar a sua parceira descobrir como gosta de ser activa".
Júlia, 38, fisioterapeuta

"Eu admiro o desejo de aprender e uma mente aberta. Pode-se sempre agradar a alguém descobrindo o que essa pessoa quer".
Sara, 37, enfermeira

"Se há uma coisa que qualquer homem pode fazer para melhorar o seu desempenho sexual é isto: elogiar o nosso corpo. Dizerem-nos que temos seios bonitos ou um traseiro apetecível é muito estimulante".
Susana, 33, dentista

"Já fico feliz se conseguir quatro minutos de diálogo depois do acto".
Sara, 31, secretária

"Uma vez, durante a relação sexual, as coisas não estavam a correr bem -o ritmo e a posição não eram os melhores. O meu namorado percebeu isto, parou tudo, olhou-me nos olhos e disse "Mostra-me". Assim o fiz e o orgasmo foi inacreditável".
Marisa, 35, decoradora

"Tem tudo a ver com a disposição e com o facto de a mulher se sentir ou não confortável com o homem. Não é tanto a posição que se adopta, mas sim a cumplicidade que se consegue e o ser-se capaz de dizer exactamente o que se quer".
Leonor, 30, professora universitária

"Adoro quando o meu namorado pergunta "O que trazes vestido?" durante um telefonema erótico. Depois quando ele lá está em pessoa, diz "Tira o vestido - eu só quero olhar para ti".
Cristina, 27, coordenadora de marketing

"Para um homem ser bom na cama ele tem de dominar a regra dos quatro As. A de alegre, A de atento ao facto de as zonas erógenas de uma mulher serem o seu corpo e a sua mente e não apenas o que temos entre as pernas. A para aventureiro - ousar chegar onde nenhum homem jamais chegou - e A de amoroso. Mesmo não existindo amor, um homem deve apreciar pequenos detalhes tais como aquele sinal no pescoço de uma mulher ou a curva do seu ventre".
Ana, 31, jornalista



Autor: Alexandra Blandy

18 setembro 2007

Sexo e romance no local de trabalho

Uma pesquisa da revista New Woman Magazine afirma que uma em cada três mulheres britânicas (33 por cento) já fez sexo no local de trabalho.

A pesquisa revelou ainda que 17 por cento já dormiu com o chefe e que 20 por cento dormiria com o seu superior se isto a levasse a uma promoção, mesmo que não se sentisse atraída por ele.

A pesquisa sobre sexo no trabalho foi encomendada pela revista NW Magazine (New Woman Magazine) e ouviu 2 mil mulheres em todo o país.

Segundo a pesquisa, dois em cada três (61 por cento) dos relacionamentos já começam no trabalho.

«O trabalho é um ambiente ideal para relacionamentos de cozimento lento. O colega da mesa da frente pode não ser um deus grego, mas torna-se interessante à medida que o vai conhecendo», disse a editora da NW Magazine, Lauren Libbert.

Segundo a pesquisa, quatro entre cinco mulheres (82 por cento) dizem já ter tido fantasias com algum colega.

Quase todas as britânicas entrevistadas (94 por cento) dizem exercitar ou ter exercitado algum tipo de flirt no trabalho. E nove em cada dez (87 por cento) afirmam que já receberam piropos no escritório, sendo que metade (47 por cento) disse que se sentiu «lisonjeada».

É por essa e por outras que, durante a hora do almoço (de 2.ª a 6.ª feira) , o movimento de entra e sai nos motéis, estrategicamente situados nos arredores das grandes cidades (Lisboa e Porto), é estonteante. O negócio prospera de tal modo que estão anunciadas novas inaugurações de motéis cada vez mais luxuosos.

E não deixa de ter piada que todas elas, sistematicamente, entrem e saiam do motel a ler uma revista ( serão todas muito cultas ou estarão a tapar a cara de olhares indiscretos?).




E tu? Já te sentiste sexualmente tentada por um(a) colega de trabalho?
Ganha coragem e conta aqui a tua experiência (mantendo o anonimato, claro).

13 setembro 2007

Sexo com desconhecidos

(Relato verídico)

- geralmente as minhas fantasias passam-se à noite
- não sei porquê
- ruas escuras
- lol ...
- vou buscar um cigarro
- como ia dizendo …
- passam-se sempre em sítios mais ou menos escuros
- sabes que só, agora, me apercebi disso?
- deve querer dizer alguma coisa
(.............)
- ia num elevador
- com um tipo qualquer
- desconhecido
- falta a luz, o elevador pára
- lol ...
- sinto a respiração dele cada vez mais perto de mim
- tento chegar-me para o outro canto
- continuo a ouvi-lo
- mais perto
- sinto a mão dele a tocar em mim ... apalpando para me situar
- não consigo falar, não me consigo mexer
- sinto o corpo dele a esmagar-se contra o meu
- fico excitada..e não me mexo
- as mãos dele percorrem o meu corpo por cima do vestido
- tento empurrá-lo
- mas sou mais fraca que ele
- estou ali à sua mercê
- levanta-me o vestido
- mete a mão dentro das cuecas ...
- molhadas
- puxa-as ... arranca-as
- com o pé afasta-me as pernas
- levanta-as com as mãos
- eu contra a parede do elevador
- suspensa pelas mãos dele
- sinto-o entrar dentro de mim
- com força
- possui.me ali
- freneticamente
- eu gemo de raiva e de prazer também
- vem a luz
- não consigo encará-lo por vergonha
- o elevador começa a andar ... componho-me
- ele olha para mim, sinto o olhar dele
- mas não me atrevo a olhar
- sai ... e diz: «Até amanhã. Amanhã, quero-te, aqui, à mesma hora!»



PS: diálogo verídico no IRC ... madrugada adentro ... em noite abafada deste verão ... teimosamente quente

Conselhos úteis


"Após vos teres servido duma banana, para vos consolares a sós ou para fazeres vir-se a vossa dama de companhia, não coloqueis a banana na fruteira sem a teres cuidadosamente enxugado antes."


"À mesa, não juntes um par de tangerinas para pôr uns colhões numa banana."



Pierre Louys

(Manual de Civilidades para Meninas)

09 setembro 2007

Fetiche


Fins de Setembro. O sol punha-se no horizonte.
Uma luz suave inundava todo o café, amplamente envidraçado, criando uma atmosfera mágica.

Quando entrei , apercebi-me que estavas sozinha, sentada do outro lado do salão, em gaveto, de costas para a entrada.

Sentei-me numa mesa ao fundo em posição frontal à tua.

Pedi um fino. O empregado, depois de me servir, dirigiu-se para o outro lado do salão. E ficámos ali os dois completamente sós.

Tomavas meia de leite com uma torrada em pão de forma. Vinhas, talvez, do consultório médico situado por cima do café, pensei eu.

Um ar de radiante felicidade iluminava o teu rosto de mulher madura.

E quando te apercebeste que eu te fitava, sorriste para mim de forma franca, como se já nos conhecêssemos há muito tempo. Olhava, agora, provocadoramente as tuas pernas que a saia justa teimava em deixar à mostra.

Percebi que a minha atitude deixou-te constrangida e que te movimentavas na cadeira, cruzando e descruzando as pernas nervosamente.

Cruzámos os olhares e um choque eléctrico percorreu todo o meu corpo. Tu baixaste os olhos e notei a ruborescência das tuas faces.

Insisti e tu fixaste-me longamente nos teus olhos. Parecias enfeitiçada. Presa por uma estranha força magnética.

Com a boca ligeiramente aberta, percorria dissimuladamente com a ponta da língua a parte interna dos lábios.

O rubor das tuas faces era agora evidente.

Pedi, por gestos, que desabotoasses um botão da blusa para deixares à mostra parte dos seios cruelmente esmagados dentro dela e ansiosos por liberdade. E tu surpreendentemente anuíste ao meu pedido.

Abri as minhas as pernas à espera que imitasses o meu gesto.

Tu não te fizeste rogada. E abriste-as ligeiramente deixando deliciosamente à mostra as coxas opulentas.

Fiz um gesto para te aproximares de mim. Tu sorriste, olhaste para trás assegurando-te de que o empregado estava dentro do balcão na outra ala do café, e vieste ao meu encontro.

Ficaste imóvel na minha frente.

Levantei a saia, de tecido sedoso, e puxei as calcinhas minúsculas para baixo.
Tu, adivinhando os meus pensamentos, deste um jeito para te desenvencilhares delas através dos sapatos de saltos altos.

- Estas ficam comigo - disse-te enquanto as metia no bolso do casaco depois de as ter levado ao rosto para cheirar.
- Talvez um dia nos voltemos a ver - acrescentei.

Peguei nas chaves do carro e dirigi-me ao balcão para pagar
.
.
Foto: Luis García Berlanga

06 setembro 2007

À beira do abismo

... quer a morte quer o amor não precisam de muito espaço ...
(autor desconhecido)


- olá!
- visitei, mesmo agora, o teu blog e senti q és um homem perigoso
- isso atrai-me
- :)
- jinhos


02 setembro 2007

Negação do orgasmo

«Um dos meus prazeres é negar o orgasmo das mulheres» (Pablo Picasso)

- nunca te tocaste durante este tempo todo?
- não, meu Senhor
- jura!
- juro por Deus, meu Senhor
- portaste-te muito bem. Gostei de ver-te, assim, escrava e submissa.
- sim, meu Senhor?
- sim.
- ainda estás muito molhada?
- um cadinho, meu Dono e Senhor
- um cadinho como?
- desculpai, meu Senhor. Estou muito
- em que ficamos?
- estou molhada, bastante molhada, meu Senhor
- tens as cuecas molhadas por fora?
- tenho, meu Senhor
- bom, então estás mesmo bastante molhada
- eu disse, meu Senhor
- diz-me, eu fui muito mau contigo?
- não, meu Senhor
- fui, fui, fui muito mau contigo. Mas fiz o que fiz para te proporcionar mais prazer.
- sim eu sei isso, meu Senhor. Todas as vossas privações apenas serviram para me proporcionar mais prazer.
- queres tocar-te agora? Apetece-te ?
- quero. O meu Dono e Senhor autoriza que me toque agora?
- desejas mesmo muito tocar-te?
- muito. Quero muito tocar-me, meu Senhor. Eu Vos peço. Deixai tocar-me. Por piedade, permiti que me toque agora.
- autorizo que te toques agora.
- obrigado. Beijo-Vos os pés, meu Dono e Senhor

01 setembro 2007

Jogos de sedução


Preparava-me para sair do café, quando tu entraste.
Cumprimentámo-nos e decidi fazer-te companhia.

Vinhas linda de morrer, em tons de bege e azul-bebé. Com um colar,
a condizer, «de prata e água-marinha», disseste-me tu.

E aproveitei para tecer elogios rasgados, quer à forma jovial como vin-
has vestida, quer à tua figura esbelta de mulher madura.

Conversámos animadamente sobre os filhos, sobre as dificuldades do 1.º emprego quando acabam a faculdade, falaste-me do emprego do teu filho e do orgulho que sentes nele, disse-te que o carro desportivo, topo de gama, dele causara um alvoroço incrível nos miúdos do prédio. E fartaste-te de rir das minhas habilidades e dotes culinários.

Mas, entretanto, lá te convenci a convidares-me para um chá em tua casa. E, à hora marcada, estava eu a tocar à campainha.

Vieste receber-me com uma camisa de dormir curtíssima e onde era visível, de forma bem marcada, o vale dos seios.
Perante o meu ar de espanto e de incredulidade e, face à minha notória atrapalhação, tu disparaste:

- Não me disseste que querias que eu te recebesse com a minha camisa de dormir mais sexy? Pois .... esta é a minha camisa de dormir mais sexy.
- Bom, não pensei que levasses isso tão a peito. Mas, sem dúvida, surpreendeste-me - aquiesci.

O chá decorreu num ambiente descomprometido e animado. E adorei as tostas feitas de pão normal (porque, desculpaste-te tu, não havia pão de forma no Pingo Doce).
Estavas ali na minha frente sensual, com as coxas à mostra. E eu disse-te que era naquele momento o homem mais feliz do mundo. Trocámos olhares insinuantes, trocámos toques delicados, dissimuladamente involuntários.

E, quando te questionei, porque agias daquela forma quando, vezes sem conta, tinhas sido insensível ao assédio que há muito te vinha fazendo, tu apenas sorriste sem nada dizeres.
No fim do chá, disseste-me que tinha de ir-me embora já que esperavas uns familiares e precisavas mudar de roupa.

Fiquei a olhar para ti de olhos esbugalhados e atónito. Mas tu, decidida e calmamente, encaminhaste-me até à porta dando-me um beijo de despedida.

Ao entrar no elevador pensei para comigo:
- Fodeste-me bem.

31 agosto 2007

Mulheres querem sexo sem tabus

A «Super-Mulher» do séc. XXI

Vive no século XXI e tem um comportamento cada vez mais próximo do homem.

É adepta do sexo casual, é tão infiel quanto ele e é quem mais frequenta sex-shops.

Clubes de striptease passaram a fazer parte do seu roteiro

A mulher do século XXI tem um comportamento cada vez mais masculino: é sexualmente agressiva e quer satisfazer os seus desejos sem a «obrigação» da paixão ou do relacionamento.

O sexo casual, sem compromisso, passou a ser uma realidade para a mulher moderna, que já não é passiva em assuntos de cama.

Aliás, as mulheres portuguesas representam 60 a 80 por cento dos clientes das sex-shops e o número de mulheres que frequentam clubes de striptease aumentou muito nos últimos anos.

As mulheres do século XXI estão determinadas em mostrar que são tão boas, ou melhores, do que os homens nas profissões tradicionalmente masculinas e vão «invadindo» os territórios que eles consideram habitualmente como seus, das profissões à politica, do futebol ao sexo.

Portugal Diário por Marta Sofia Ferreira



E tu és uma mulher do sec. XXI ?

25 agosto 2007

Manual de Civilidade para Meninas

«Deveis compenetrar-vos da seguinte verdade:

Todas as pessoas perante vós presentes, seja qual for o sexo e a idade delas, têm o secreto desejo de por vós serem chupadas; a maior parte, porém, nao se atreve a declará-lo.

Comecai pois por respeitar a hipocrisia humana a que também se chama virtude, e nao digais nunca a um cavalheiro diante de um grupo de pessoas:

"Mostra-me a tua pissa que eu mostro-te a minha racha", porque por certo vos não mostraria ele a pissa.

Se conseguirdes, porém, ficar com ele a sós em sítio onde se sinta seguro de nao ser surpreendido por ninguém, não só vos haverá de mostrar a pissa, como não se oporá a que lha sugueis.»

Extracto do capítulo "Deveres com o Próximo" do livro de Pierre Louys (1),

"Manual de Civilidade para Meninas"

(Edicoes Fenda, 1988, 1a publicacao conhecida: Paris 1926)

(1) Pierre Louys é um dos grandes vultos literários franceses do século XIX.

Quer na sua obra que na sua vida, Pierre Louys nao só condenou como atacou activamente todo o puritanismo, e viveu de modo hedonista.
Para quem leia o "Manual de Civilidade para Meninas", talvez sobressaia mais a componente crítica antipuritana do que erótica.

Toda a moral burguesa que vive de aparências é atacada sem quartel e os argumentos geralmente aceites para suportar habitos hipócritas são desconstruídos hábil e brutalmente, um a um, sem esquecer nada.

Este livro que parece ser um divertimento humorista, à primeira vista, é um livro muito sério e que depois das primeiras gargalhadas, merece uma segunda leitura mais atenta.

E na verdade é um livro cheio de sabedoria.






15 agosto 2007

CAMEL TOE

O que é o CAMEL TOE ?

Em tradução literal: Pata de Camelo.

Na gíria, a expressão é usada para aludir à púbis feminina, posta em evidência, devido a semelhança entre o formato da pata de um camelo e a vagina da mulher.

Uma sondagem, feita pela revista americana HUSTER, concluiuu que 85 % dos homens sentem-se atraídos pela exposição da púbis feminina e 98% das mulheres concordam e usam roupas justas como forma de sedução.

A mulher que tem orgulho da sua feminilidade e sensualidade sente-se à vontade ao exibir os seus dotes corporais ( busto, quadris, pubis, barriga, pernas etc ).

A prática do camel toe prende a atenção quer dos homens quer das mulheres.

E, actualmente, com a banalização da aplicação do botox, as mulheres (actrizes conhecidas e figuras do jet set mundial) descobriram que podiam deixá-los a eles e a elas pelo beicinho: ao tornar o fruto, ainda , mais apetecido.

Meninas preparem-se. O Camel Toe vai fazer o furor na próxima época estival.

09 agosto 2007

A proposta .. e a resposta

- oi!
- olá!
- quem 60 ao teu lado e 70 por ti, vai certamente rezar 1/3 para arranjar 1/2 de te levar para 1/4 e ter a coragem de te dizer:
- 20 comer.
-ahahahahahahah
-ehehehehhek
- como reagias a uma proposta dessas?
- pedia 100 euros
- looool
- negócio fechado.

07 agosto 2007

Cativa-me ..... faz de mim tua cativa

- Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és tão bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa
- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste!
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Ah! desculpa, disse o principezinho.

Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços".
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa.
- Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...

-Começo a compreender, disse o principezinho.
-Existe uma flor. . . eu creio que ela me cativou ...
-É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra ...
- Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.

A raposa pareceu intrigada:
- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom ! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito, suspirou a raposa.


(extracto de «O Pequeno Príncipe» de Antoine de Saint-Exupéry)

05 agosto 2007

Eles estão mais sentimentais, elas querem mais sexo

Jornal PUBLICO - 05.08.2007, Maria Lopes

Um estudo internacional chegou a conclusões um pouco inesperadas sobre o que homens e mulheres querem uns dos outros. Começam a cair alguns mitos, incluindo o da loura burra.

O apetite delas

Saltemos para o que interessa... sexo. E neste campo o apetite delas é bem maior que o deles: quase três quartos das mulheres responderam que gostariam de ter sexo pelo menos três a quatro vezes por semana (45,1%) ou "todos os santos dias (e várias vezes se possível)" (27,4%).

Enquanto 14% dos homens se contentava com uma a duas vezes por mês, apenas 2,2 por cento das mulheres admitem tal parcimónia.

"Quando dizemos [os homens, em conversa entre amigos] muito, dizemos muito... mas também aqui cão que ladra morde pouco", comenta Quintino Aires.

A mulher passou da coitada que tinha que saciar os prazeres do homem para alguém que quer ter a sua palavra a dizer em tudo, sobretudo no prazer, comenta o sexólogo.

Já Maria Serina, directora da Cosmopolitan, sugere, num registo irónico, que "as mulheres agora dão muito mais trabalho na cama e por isso eles, talvez com algum receio, também se "cortam"".

Agora imagine uma cena de sedução... quais os erros mais comuns dos dois lados?

Ela esquecer-se que ele também gosta de ser seduzido, armar-se em "escandalosa" (na verdade, mais em oferecida...), fazendo, por exemplo, um striptease desengonçado. A mulher detesta que ele mostre que está ali apenas para seu próprio prazer (51%) ou que tenha uma aproximação rude.

A solução, portanto, é entrar no jogo do gato e do rato, e ver quem seduz quem, mas de forma "civilizada".Muito bem. E quanto tempo de preliminares? O senso comum diz que os homens querem é saltar esta fase (3% dos homens respondeu isso mesmo).

Mas os interessados responderam que o tempo ideal são 15 minutos (40%) e nisso coincidem com elas (48,8%). O interessante, porém, segundo o sexólogo Quintino Aires, é perceber que são já 35 por cento os homens que preferem que esta fase dure 20 minutos ou mais.

"Numa relação sexual, o homem já não oferece apenas o pénis, mas todo o corpo. Eles já querem miminhos, carinhos. São os homens a descobrir as emoções."

Por isso, ambos querem cenas sensuais e suaves, beijos no pescoço, carícias nas costas (elas, 41%) e nas coxas (eles). Mas não só: um terço das mulheres deseja uma atitude quente - um beijo arrebatador e alguns movimentos corporais tentadores -, e outras (15%) querem mesmo é que ele seja directo e que haja logo mãozinhas por baixo da roupa.

Aqueçamos ainda mais a cena: o que ajuda uma mulher a chegar ao orgasmo? Não, o tamanho não conta (apenas 15 mulheres falaram nele).

Elas preferem o estímulo de várias partes do corpo em simultâneo, a relação emocional e o erotismo da situação.Eles dizem querer que elas façam muito barulho - supostamente é sinal de que estão a gostar -, querem ouvir uma linguagem mais "pesada" e ser provocados.

As mulheres querem (ainda) mais preliminares (30,7%), que ele seja ousado (25,3%), e por vezes - quem sabe reminiscências de um passado em que a tradição lhe exigia que fosse apagada - simplesmente "sentir-se o seu brinquedo sexual" (16,1%).

Para elas, o que poderia arruinar uma bela noite de sexo seria a "falta de energia" dele (90,5%), o facto de ele não fazer barulho (83,3%) e usar linguagem obscena (78%), ou ser rude (66,8%).

E depois do sexo?

Elas querem sossego durante dez minutos e umas palavrinhas doces.