31 março 2009

Governo lança campanha a favor do sexo casual

Governo lança campanha de consciencialização a favor do preservativo feminino

No âmbito desta camapnaha, fui abordado, ontem, por duas simpátivas e vistosas meninas que me ofereceram 3 (três) preservativos femininos.

Face ao meu espanto e reiterada afirmação de que não usava, por razões óbvias, qualuer tipo de protecção com a minha esposa, elas insistiram para colaborar nesta camapnha do Governo e convidar 3 (três) simpáticas AMIGAS a experimentarem comigo o novo preservativo feminino.

Colabore com a campanha nacional a favor do preservativao feminino!
Venha, num ambiente calmo e acolhedor, constatar a funcionalidade, eficácia e eficiência do novo preservativo feminino.

29 março 2009

Amor proibido

No dia em que me AMARes, entrarás dentro de mim

Um dia, meu Amor,
Entrarei dentro de ti
Correrei nas tuas veias
Serei a seiva da tua Vida
A adrenalina da tua euforia
A droga da tua loucura.

Dissolve-me!
Absorve-me!
.


NR: Antes que alguém se lembre e me venha cobrar uma explicação, quero salientar o seguinte:
O verbo “entrar” significa “ir para dentro”, pelo que a expressão “entrar para dentro” repete a ideia já contida no verbo. Este erro tem o nome de pleonasmo, mas o pleonasmo também pode ser usado literariamente como uma figura de estilo, quando se pretende salientar uma ideia.

27 março 2009

Não hei-de morrer sem experimentar: estar na cama com outra mulher

Transar com outra mulher é foda cool.

No jardim-de-infância brincam meninas com meninas. Mais tarde na escola as meninas fazem companhia às meninas e os rapazes jogam à bola com os rapazes. Sempre foi assim. Como se pode contrariar a natureza?

O despertar da puberdade e a descoberta da sexualidade das adolescentes é feita, regra geral, com outras meninas. Brincadeiras infantis com alguma conotação sexual têm lugar nesta altura: abraços e carícias, dormirem e tomarem banho juntas, pentearem-se, arranjarem as unhas, pintarem-se umas às outras. Algo de inadmissível entre os rapazes, não é visto como ética ou socialmente reprovável entre as mulheres.

Por essa razão, a bissexualidade feminina está latente no seu imaginário mais do que a bissexualidade masculina, reprimida desde a nascença. Anos depois, mulheres adultas e despertas sexualmente, ao reviverem as brincadeiras de infância exclamam: ai, como eu era ingénua! E fantasiam como seriam, agora, diferentes o sabor dos beijos, os arrepios dos toques e as palpitações das carícias.

O desejo sexual, aquilo a que na gíria se chama tesão, resulta de factores diversos: biológicos (a tal química, hoje, muito badalada), factores culturais e sociais e mesmo factores psicológicos (fantasias e sinais externos indutores dessas fantasias). Ora, as mulheres, tal como os homens, podem sentir tesão por outra mulher mas não sentem tesão por qualquer mulher.

E, aqui, começa a principal dificuldade de algumas mulheres realizarem uma fantasia que povoa de forma recorrente o seu imaginário erótico: estar na cama com outra mulher. Quando encontram a mulher que as levariam a novos patamares de desejos e sensações sentem-se impotentes e bloqueadas para dar o salto em frente, nomeadamente por falta de coragem em abordar e se abrirem com a mulher que as despertou sexualmente e, ainda, por receio da sua própria orientação sexual.

Mas os tempos estão a mudar. Revistas de grande circulação abordam, sem falsos pudores, esta fantasia enfatizando não ser determinante, em absoluto, da preferência por um ou outro sexo o facto das mulheres ansiarem estar na cama com outra mulher.

Interessante constatar que na bissexualidade feminina não existe, muitas vezes, uma clara demarcação entre o macho e a fêmea, contrariamente ao que acontece com a bissexualidade masculina. Ambas estão ali para desfrutar do prazer do toque macio da pele, do cheiro e do sabor de alguém tão igual e tão diferente de si mesmas. E descobrem, com espanto, que a melhor forma de conhecerem o seu corpo é através do corpo de outra mulher.

Sexo entre mulheres é sexo cool

25 março 2009

Não hei-de morrer sem experimentar

O Sexo Virtual (Blog) vai iniciar, a partir de hoje, uma nova rubrica subordinada ao tema: 10 coisas que não podes deixar de fazer antes de morrer.

Ouve-se, amiúde, homens e mulheres repetirem: não hei-de morrer sem experimentar.

Pois bem: para ajudar a imaginação de quem se acha pouco imaginativo vou sugerir aqui 10 coisas que uma mulher saudável e no pleno gozo das suas faculdades mentais não deve deixar de fazer antes de morrer.

Começaremos amanhã com o tema: estar com outra mulher na cama.
.

21 março 2009

Seduzir uma quarentona

Desafiando o destino: como ele seduziu uma mulher casada, quarentona.

.

- agora, namoras? Mas tu não és casada?

- tenho um affair, entendes? Com um miúdo de 26 anos

- para que queres tu um puto com 26 anos?

- aconteceu

- aconteceu? Aconteceu como?

- fui aos anos de uma prima minha bem mais nova que eu mas com quem mantenho uma óptima relação. E ele estava lá.

- quero saber como tudo aconteceu: os olhares, os gestos, as emoções …. Tudo.

- porque haveria de contar-te?

- porque sim. Porque eu quero. Porque te estou a pedir. Porque isso me dá tesão.

- tu não mandas em mim, apesar do que se passou entre nós. Não tens nenhum ascendente sobre mim. Entendes?

- conta, porra!

- mal entrei, trocámos alguns olhares. E achei-o logo muito atraente quando a minha prima mo apresentou..Ele também olhava muito para mim

- e

- foi na parte da dança ...que ele começou a atacar. Lol

- conta o que aconteceu, Quero saber os pormenores todos

- ambos a dançar e a beber champanhe. ....ele começou a deitar charme para cima de mim....o sorriso dele é muito bonito e cativou-me

- e...

- comecei aos poucos a ceder…a dar troco....ele percebeu que eu estava a gostar. Cada vez estávamos a dançar mais juntos. Deixei que ele me tocasse a dançar ....pôs-me a mão na cintura ….beijava-me as mãos ...

- e os outros não se apercebiam?

- lol. Estava toda gente a dançar, divertida...

- mas tu e ele faziam um par especial, dada a diferença de idades. Era normal que reparassem em vocês

- não estávamos a fazer nada que os outros não estivessem a fazer. Ninguém estava a ligar a isso. Havia gente, de muitas idades diferentes, embora a maioria fosse jovem

- e depois ?

- depois estiivemos a falar, sentados, sobre banalidades e sempre a beber

- e...

- começou a dar-me morangos com chantilly na boca de uma forma sexy

- hmmmmmmmmmmmmmmmm …. Cuidado! Ele sabia-a toda.

- quando disse que tinha de ir embora, ele, discretamente, sem as pessoas se aperceberem saiu para me levar a casa de carro. E no elevador demos o primeiro beijo

- e foi só um beijo? Sem apalpões nem nada?

- que achas????? No carro começou a acção. Estava tão excitada, tão excitada, que fiz-lhe sexo oral com o carro em andamento.

.

19 março 2009

Arranjar namorado depois dos 30

Correio sentimental

Caro João Trolha,

"Porque se revela tão difícil uma trintona «arrumar» namorado? Será que os homens «maduros» só querem sexo?"

Querida leitora,

  1. Se uma mulher depois dos 30 ainda não arrumou namorado é olhada com desconfiança pelos homens: algum defeito deve ter.
  2. Nessa idade, as mulheres tendem a ser controladoras e demasiado absorventes (e as outras não?): os homens precisam de espaço (vital) para respirar. E alguns precisam de mais espaço que outros.
  3. Aos 30 anos as mulheres (solteiras) começam a desesperar: uma mulher desesperada afugenta qualquer homem.
  4. As mulheres de 30 anos são sexualmente acticas (e as outras não?). E os homens pensam: será que ela não vai andar, por aí, a dá-la, como até aqui, aos meus amigos, conhecidos e até desconhecidos?
  5. Aos 30 anos as mulheres já a sabem toda (e as outras não?) : os homens gostam de mulheres burras.
  6. Os trintões, dada a abundância da oferta, pensam : porquê comer sempre o mesmo prato se o cardápio me oferece outras alternativas também elas interessantes?
  7. Há homens que detestam as mulheres, decididamente: os misóginos
  8. Há homens que não desejam as mulheres, definitivamente: os gays
  9. Há homens que não podem: os impotentes
  10. Há homens que não phodem: os incompetentes

.

18 março 2009

Sexo casual, Swing e Sexo Virtual

O casamento como instituição não morreu apesar dos abalos sísmicos causados pelos desenvolvimentos tecnológicos recentes.

O elemento estruturante que mantém, hoje em dia, de pé o edifício casamento já não é tanto o ferro dos bens e o cimento dos filhos mas a percepção entre os casais modernos (e menos modernos) de que o casamento não é uma grilheta dos desejos e das fantasias ou um freio para a necessidade genética de poligamia de homens e mulheres.

Publicações de cores apelativas, ditas cor de rosa, inundam as bancas de forma recorrente com fantasias sexuais e fotos ousadas que nos fazem sonhar e que despertam os nossos desejos mais secretos, quiçá adormecidos: o sexo casual, o swing e o sexo virtual estão na ordem do dia.

Vem isto a propósito da Revista Happy Woman do corrente mês de Março, onde se aborda o fenómeno, relativamente recente, do swing e da sua cada vez maior expansão entre os casais, independentemente da idade.

Aquilo que choca (ou talvez não) é o testemunho, posto em destaque, de um homem que diz sentir verdadeiro prazer em ver a mulher a gozar, na sua frente, com outro homem. E é muito comum, hoje em dia, entre os casais, estar o homem no IRC, qual predador à busca de presas fáceis, e a esposa a seu lado ou noutra divisão da casa a fazer SEXO VIRTUAL com um amigo, um conhecido ou mesmo com um desconhecido.

Não é por acaso que as mais fervorosas adeptas do SEXO VIRTUAL são mulheres casadas: incapazes de pular a cerca, não prescindem dos frémitos, do alvoroço, das palpitações e da ansiedade da espera que anda associada ao DESEJO SEXUAL.

16 março 2009

O CONVITE

Preparando o «ménage à trois»


- vens visitar-me?
- se ela estiver de acordo, vamos as duas
- promete que vens!
- prometo que vou se ela concordar
- ela concorda, eu convemço-a
- então, essa parte fica por tua conta
- alguma vez estiveste com ela na cama? Ela pode ficar constrangida
- sem problemas.
- é a realização de uma fantasia minha de há muito
- mas tu contaste-me uma experiência tua que saiu frustrada ...
- sim, e não resultou porque uma delas gostava de mim. Agora, é diferente, não sou íntimo de nenhuma
- tens de ter a sensibilidade suficiente para não preterires uma em favor da outra
- sei disso. Nenhuma de vocês vai sentir-se rejeitada, confia em mim.
- e tens de recriar um ambiente propício: música, velas acesas, essências a arder e o mais que te vier à ideia
- vou surpreendê-las às duas. Tragam lingerie sexy e «brinquedos»
- eu acho que tu vais gostar de nós
- tenho a certeza. Lol. Quero que venham cheias de apetite pelo arroz de marisco e abertas a tudo
- eheheheh. Bem, tenho que te confessar que não sou muito aberta nas traseiras
- «no problem». Vai haver muito gel KY
-

13 março 2009

Beber, à noite, leite quente dá sustento?

- estás nas virtualidades?
- não
- pensei
- fui comer sopa
- sopa a esta hora?
- comi pouco durante dia e agora é que me está a dar a fome
- um leitinho quente é q te fazia bem!
- eu sou de muito sustento, não vou lá só com leitinhos. Querido, se me apetecesse leitinho, tinha bebido leitinho. Só agora é que comecei a entender os homens. Mas foi há mesmo muito pouco tempo que consegui juntar as peças, que fui juntando durante a vida toda. Se não estiver no fim do puzzle, estou quase lá: do puzzle montado. Acho que foste tu, até, a peça que faltava.
- entendes-me agora?
- entendo
- então diz-me: que quero eu?
- que eu beba leitinho quente.

12 março 2009

Casada, foi prostituta por uma noite (3)

No motel


- Mas então conta-me lá: ela foi ter contigo?
- Foi.
- Aquele relato é verdadeiro. Eu percebi isso. Era diferente do habitual. Por isso te questionei nos comentários.
- Convidei-a a tomar café comigo no motel.
- E ela aceitou, claro?!!!
- No início, resistiu ... resistiu ... resistiu. Expliquei-lhe que era o local mais adequado para tomarmos um café, atendendo a que era casada. Se algum amigo ou conhecido nos visse a tomar café perto do motel o que iria pensar? Acabou por aceitar.
- O café ???!!!!
- Sim. Guardei o carro na garagem e subimos ao quarto. Mandei vir dois cafés e uma garrafa de água.
- Ou seja, sortuda. Já conhece o trolha. Já sabe o seu aspecto.
- Ela é professora e tem as Sextas-Feiras de tarde livres. Tínhamos a tarde toda por nossa conta. Tomámos o café, conversámos e rimo-nos das cenas passadas no MSN. Até que, com cara de mau e voz autoritária, ordenei-lhe: «Despe-te!»
- E ela?
- Nem pestanejou. Até parece que já estava à espera. Por entre soluços, começou a tirar a roupa.
.

09 março 2009

Levar a vaca ao boi

- Estás disponível para dar prazer ao macho? Sentes a presença do macho e estás pronta para ele?
- Estou, como quando se leva «a vaca ao boi».

O meu avô tinha uma pequena quinta e, além de outras coisas, criava vacas.
Ora, as vacas para ficarem prenhas têm de ir ao boi. E, de tempos a tempos, acompanhava e ajudava o meu avô a levar a vaca ao boi. Teria eu 6 a 7 anos.

Lembro-me como se fosse hoje: era uma casa de campo típica, com um grande portão à entrada, um largo átrio a descoberto no interior e à volta as cortes dos animais.

Não me deixava entrar. Mas eu via tudo pelo buraco da fechadura. Punham a vaca no átrio e depois abriam a porta do curral do touro de cobrição.

O touro começava por cheirar o rabo da vaca e pouco depois montava-a com uma força e uma pujança incríveis. Puro desejo animalesco. O coito era curto: em segundos estava tudo terminado.

08 março 2009

Sexo Casual

Elas fazem mas não querem. Eles fazem porque querem

A revista científica Human Nature traz um estudo sobre sexo casual: o que dizem eles e elas na manhã seguinte a uma «one night stand».

De acordo com o estudo, 80% dos homens faz uma avaliação positiva da relação contra apenas 54% das mulheres.

Eles ganham auto-confiança e aumenta a sua auto-estima. Elas ficam ressentidas pela falta de reconhecimento e agradecimento da parte deles.

Mas uma questão se coloca: se elas não apreciam as relações casuais porque razão o sexo casual está em crescendo nos dias de hoje?

«As alterações hormonais provocadas pelo ciclo menstrual das mulheres podem explicar a razão pela qual, apesar de avaliarem as relações de forma negativa, elas continuam a fazer sexo casual» - diz Campbel no citado estudo.

07 março 2009

100.000 visitantes

100.000 visitantes!

Era este um dos dois objectivos quando decidi criar o blog. E foi atingido.
O outro, tenho de o reconhecer, ainda não foi atingido.
Mas não sou homem de desistir.
E estou, aqui, para ir à luta!

Obrigado a todas e a todos.

05 março 2009

Fantasias na auto-estrada

Ele é Dono e Senhor do seu prazer

- Posso acariciar-me antes de dormir? Por favor!...
- Não. Não mereces

No dia seguinte

- Vais a conduzir na auto-estrada? Pára na próxima estação de serviço. Vai à casa de banho e masturba-te.
- Vou parar na próxima área de serviço para cumprir a Sua ordem. Estou cheia de tesão e a sentir-me húmida.
- Tenho orgulho em ti.
- Obrigada, Senhor. Pensei que não era capaz. Adorei, adorei. Sigo viagem, agora

03 março 2009

Ejaculação retardada

A causa das coisas

Se a causa da ejaculação retardada não for de natureza orgânica, podes ficar descansado: a razão da ejaculação retardadda é comezinha, quer dizer, de trazer por casa. E o tratamento terá de ser caseiro.

Para superares esta disfunção, que atrapalha muitos e muitos homens, vais ter de mudar comportamentos.

Passo a explicar: tens o péssimo hábito de esgaramantear uma laustríbia, a torto e a direito, no dizer jocoso do grande Alexandre O'neil, apertando com força a base do pénis até ejaculares? Ok, refreia os teus ímpetos.

Todos sabemos (é um saber de experiência feito) que a vagina da mulher dilata na proporção geométrica do seu estado de excitação. E que é no momento do aperto que ela menos aperta (1). Por isso, atinges o orgasmo com facilidade quando te masturbas ou ela te masturba a ti. Mas tens dificuldade em atingir o orgasmo naquela gruta quente, húmida e gelatinosa. E porquê?

Estabelece-se como que um reflexo condicionado entre o apertar do membro viril e a ejaculação que vem depois. Como não tens o estímulo do aperto vaginal, por mais que chafurdes naquele mar imenso, não se segue a ejaculação reflexa. Nesses casos, o rabinho costuma resultar, regra geral, como prática alternativa de sucesso.

Outra causa muito comum da ejaculação retardada ou precoce é a chamada auto-sugestão, gerada pela ansiedade: se pensas que não vais conseguir, não consegues mesmo. É mesmo assim e não há volta a dar-lhe.

Por isso, terás de fazer com ela uma reaprendizagem. Increve-te nas Novas Oportunidades no curso "Ejaculações Perfeitas" e vai praticando, pénis ante pénis, devagarinho, com movimentos masturbatórios, conjugados com penetrações vaginais, até conseguires o orgasmo perfeito.

Bons orgasmos!


(1) Sem pretender com isto dizer que seja o túnel do Rossio.