31 maio 2008

Voz de cama

Assumo que sinto prazer em pecar. E não sinto, por isso, qualquer arrependimento.
Provocas-me sem que ninguém se aperceba. Despes-me com os olhos, despudoradamente. São os toques dissimulados. A tua perna a roçar na minha debaixo da mesa. A tua voz de cama ao telefone. Os piropos ordinários. Os convites onde cabem todas as fantasias. És um sem vergonha. O criminoso perfeito na arte da sedução.

Porque paraste, sacana?
Sádico! Filho da puta! Cabrão!
Tu gostas de me levar sem me levar a lado nenhum.

29 maio 2008

Química

Tem de ser alguém pelo qual sinta atracção, empatia, química, acção das feromonas, sei lá!
(frase recorrente nas mulheres)

Porque sentimos, à primeira vista, um fascínio e uma atracção incontroláveis por alguém?
Estímulos ligados ao olfacto, à vista, à audição e ao tacto desencadeiam uma reacção química ou magnética com evidentes alterações fisiológicas: erecção neles e arrepios, palpitação e lubrificação vaginal nelas.

O cheiro e o sabor servem, igualmente, como um filtro na escolha do parceiro ideal. O funcionamento do nosso sistema imunológico é influenciado pelo chamado complexo MHC (Major Histocompatibility Complex). Este grupo de genes codificam as proteínas que actuam no sistema imunológico e deixam um cheiro ou sabor característico quando segregadas pela urina, pelo suor ou pela saliva.

Por isso os ratos não copulam com ratas com o MHC parecido ao seu.

"É como se a evolução direcionasse as espécies a formar casais capazes de gerar descendentes imunologicamente mais aptos", explica a geneticista Maria da Graça Bicalho, coordenadora do Laboratório de Imunogenética da Universidade Federal do Paraná.

Começamos, agora, a perceber por que razão nos sentimos atraídos sexualmente por alguém, independentemente dos seus predicados físicos.

28 maio 2008

A força poderosa das palavras

- Faz-me uma declaração de amor!
- As palavras induzem sentimentos, empolgam-nos
- Magnetizam-nos
- E tu tens esse magnetismo.

27 maio 2008

Priapismo

Acordo de manhã com muita tesão: dolorosa e persistente.
Será priapismo?

Lanço, aqui, um apelo às muitas médicas que lêm este blog para me elucidarem sobre o tratamento mais eficaz para mitigar o mal-estar que acompanha esta emergência urológica.
Desde já, agradeço.

Príapo: filho de Afrodite, deusa do amor, e de Dionísio, deus do vinho. Comumente representado como um indivíduo com um falo longo e erecto.

24 maio 2008

Sexo Verbal é Fundamental

É fundamental libertar a língua durante o acto sexual, dizem os especialistas.

Para tornar mais empolgante o relacionamento íntimo entre o casal, importa explorar os cinco sentidos: fundamental, para o efeito, é libertar a língua :-).
A linguagem oral pode ser um importante estímulo antes, durante e após o orgasmo.

Para um envolvimento maior da mulher sussurra-lhe ao ouvido, nos preliminares, frases carinhosas e românticas para a deixares toda arrepiada: podes criar uma situação, vestires a pele de um personagem ou realizares uma qualquer fantasia tua ou dela.

Quando perceberes que ela está mais para lá do que para cá, naquele estado a que eu chamo de ponto de não retorno, dá largas à tua imaginação e parte para uma linguagem pesada: os palavrões (o céu e a imaginação de cada um é o limite) podem ser um potente indutor do orgasmo avassalador que vem aí.

Post coitum, mesmo que já estejas n'Outra, mostra-te carinhoso com ela: que Ela é a mulher da tua vida, que A amas perdidamente e que só tens olhos para Ela.

Mulheres, quando ele, exaurido pelo esforço, se virar para o outro lado, NUNCA mas NUNCA, lhe segredem ao ouvido: «fode-me, fode-me a noite toda!»

Vai sentir-se de tal modo impotente e angustiado que o choque pode ser fatal. E Ele não se levantar mais.

22 maio 2008

Preservativos dou à troca

O tamanho(1) importa? Essa é a questão.

Comprei, recentemente, uma grande quantidade de preservativos que se revelaram inadequados à função, em razão do tamanho do enclausurado.

Com inconvenientes vários, o menor dos quais não é certamente o facto de, após a realização do acto e já exaurido pelo esforço, ter de o resgatar, vasculhando em toda aquela vastidão quente e húmida, com vista à sua reciclagem.

São preservativos rugosos e de várias cores: azuis, verdes, vermelhos, às riscas e às pintinhas.
E com vários sabores: laranja, morango, baunilha, limão e cereja.
Troco por preservativos de tamanhos mais pequenos.

Assunto sério. Dou e exijo discrição.

(1)Tamanho calculado não em medida linear mas em volume métrico.

Amor Verdadeiro

O amor verdadeiro não é um sprint, mas sim uma maratona.

Um filme de David Schwimmer com Simon Pegg, Thandie
Newton, Hank Azaria, Dylan Moran, Harish Patel. Estreia prevista: 22 de Maio de 2008

Ele achava que não era suficientemente bom para Libby e, em vez de arruinar a vida dela, decidiu ir correr sozinho. Tanto treinou, tanto treinou a correr sozinho que um dia, julgando-se preparado, inscreveu-se na maratona de Londres ....

As mulheres vão adorar esta comédia romântica. Vai fazê-las chorar. E elas adoram chorar. E eles também.

A paternidade é um sentimento que faz vencer muitos desafios. E, sobretudo, mexe com elas.

21 maio 2008

Orgasmo

Só vês a vida em função do orgasmo?!!!
Não. O orgasmo faz parte da vida. Mas há vida para lá do orgasmo

20 maio 2008

Amor Eterno

O meu Amor por ti não foi um Amor leviano e fugaz.
Foi um Amor tenso e intenso:

Durou a eternidade de um beijo.

19 maio 2008

Dias de Primavera

Acorda a Primavera que há em ti!
Alimenta o Sonho!
Escuta o chilrear Alegre dos passarinhos!
E, à tardinha, vem-me buscar
E faz Amor comigo.

18 maio 2008

Tecnossexual

Lars And The Real Girl (brevemente nos cinemas)
Lars é um homem introvertido, a viver num mundo criado por si, que o impede de levar uma vida normal. Depois de anos de solidão, convida Bianca, uma amiga cibernauta , a ir a sua casa. Bianca é … uma boneca insuflável em tamanho real. Lars trata Bianca como o seu vedadeiro Amor.

Zoltan , holandês, 33 anos, tem três robots em casa.
Hal é um namorado-boneco (pelos vistos, o Zoltan é um vistas largas). Vive no sótão dentro dum armário.
Kiri, segundo Zoltan: "é basicamente uma escrava sexual". Vive na cave.
Alice é a namorada-boneca: o primeiro beijo, as conversas e a sua vida sexual estão bem documentadas no blog.


Será este o futuro da humanidade?

16 maio 2008

A Magia do Toque

Testes feitos em macacos são categóricos: a falta do toque leva à depressão, a doenças e à morte prematura.

Basta observar uma comunidade de primatas para verificar que o catar é uma forma de comunicação ou um acto de sedução que liberta endorfinas indutoras de boa disposição e de uma sensação de bem-estar. Os bebés mais acariciados pelos pais sofrem menos gripes, diarreias e vómitos porque têm o sistema imunitário mais fortalecido.

De igual modo, as mulheres com depressões ou neuróticas recuperam mais rapidamente no caso de serem acariciadas com toques demorados e frequentes.

Muitos pedófilos e psicopatas têm histórias de rejeição, indiferença ou isolamento no seu passado.

Quando um bebé chupa o mamilo da mãe esta liberta uma hormona, a ocitocina, cujo efeito relaxante é conhecido. Recentemente, descobriu-se que esta hormona provoca além do efeito relaxante a vontade de ser tocada.

Sabias que a oxitocina pode aumentar até 400% após o orgasmo? Daí, a explicação para o facto delas, após coitarem, quererem ser abraçadas. E permanecem, ali, abraçadas a nós, até adormecerem.

Já reparaste na quantidade de vezes que, numa conversa entre duas mulheres, elas se tocam?
E, agora, percebes melhor a razão de uma mulher furiosa te gritar: : «Não me toques!»


15 maio 2008

Fêmeas em Fúria

Sentado no sofá da sala, assistia distraidamente a uma reportagem sobre os macacos da Abissínia, que passava no National Geographic, quando algo me prendeu a atenção: 3 macacas, furiosas, mostravam os dentes aguçados e toda a sua enorme revolta a um macaco macho com o dobro do seu tamanho, em vias de acasalar com outra macaca.

Porque se revoltavam as macacas? Pela comezinha razão de o macaco as ignorar e só ter olhos para a sua macaca predilecta. Com a agravante de não poderem pagar-lhe na mesma moeda. A maioria das fêmeas conhecia bem (metade de uma orelha aqui ou um pedaço de pele acolá) a fúria ciumenta do macho dominante com dentes bem maiores que os delas.

Fez-se, de repente, luz no meu espírito: será que esta memória do tempo em que os humanos eram macacos ficou registada de forma indelével no nosso código genético?

Só por curiosidade: o macaco dominante, que pelos vistos tinha necessidade de alguma concentração para o acto, desistiu de acasalar com a sua macaca de eleição, por causa do chinfrim frenético das outras macacas.
Quer dizer, inverteram-se os papéis: ele recusou fecundá-las e elas foderam-no.

13 maio 2008

A sua primeira vez

(Texto ficcional. Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência).

Travara conhecimento no IRC com alguém que se apresentou como mulher e muito bem disposta. Depois das proverbiais apresentações, de forma velada, perguntou-lhe se estava, sempre assim bem disposta, e até onde estaria ela disposta a ir.
Que não. Que nada. Até compreendia as mulheres que faziam isso, mas ela nunca o fez e nunca o faria.
Sempre que se encontravam no canal ela perguntava-lhe, invariavelmente: «Encontraste, aqui, alguma mulher disposta a ir até onde tu a queres levar?».

Uma noite, alguém se meteu com ele no canal. O nick era, supostamente, de uma mulher. Do outro lado, adivinhava-se uma mulher no cio, com as hormonas aos saltos. Mas, como o seguro morreu de velho e como quando a esmola é grande o pobre desconfia, duvidou de tanta adrenalina. E exigiu-lhe uma prova de que «ela» era mulher.
Acedeu em ligar-lhe para o telemóvel. E confessou tudo.
Disse-lhe quem era, que ganhara coragem e registara um nick novo, momentos antes, para não ser reconhecida, porque estava com uma vontade enorme de masturbar-se. E que tinha decidido não o fazer sozinha.
Esta seria a sua 1.ª vez.

Caricato mesmo, o facto de ELA ter sentido a necessidade de alterar o nick para não ser reconhecida (?) nem por aqueles que a viam no canal como uma mulher que não andava no IRC à procura de sexo. E, de facto, não andava. Mas, naquele dia, a vontade e a tentação (curiosidade?) tinham-na traído..

11 maio 2008

Sexo, Mentiras & Filmes

Numa conversa, frente a frente, entre uma homem e uma mulher os sinais não verbais correspondem a 60% a 80%, os sons vocais 10% a 30% e apenas cerca de 10% dizem respeito às palavras.

O cérebro de uma mulher é capaz de captar uma quantidade enorme de pormenores através dos seus olhos. Por outro lado, o seu grande poder de processamento permite-lhe fazer a integração e decifrar rapidamente os sinais visuais e vocais bem como outros sinais recebidos. É por isso que a maioria dos homens tem muita dificuldade em mentir numa conversa frente a frente com uma mulher.

Ao contrário, as mulheres sabem bem como é relativamente fácil mentir a um homem, já que este não tem a mesma capacidade para captar os sinais não verbais emitidos pelas mulheres.

Pensa-se que, actualmente, a infidelidade feminina já supera a infidelidade masculina.

As mulheres traem os seus parceiros. As mulheres mentem aos seus parceiros. Um mulher, até a mais insuspeita, nunca dá a entender a sua infidelidade e nem sequer à suas melhores amigas o confessa.

São excelentes actrizes e os filmes delas são perfeitos, sem erros de casting e muito convincentes.

Em suma: traem melhor e mentem melhor que eles.

Melhor assim. É preferível a um homem desconhecer a infidelidade da mulher.
Ser corno manso é que não.

10 maio 2008

Estratégias e Paradoxos da Sedução

Sempre me intrigou (quando era menino e moço) os jogos e estratégias de sedução das mulheres da minha idade. Algo que, aparentemente, me soava a paradoxo.

Uma mulher com interesse em namorar, casar e ter filhos mostrava-se difícil, evasiva e puritana. No entanto, a aparência, o vestuário, as atitudes e modo de falar revelavam uma mulher sensível, romântica, sonhadora, delicada, influenciável, emotiva, inconstante e, em determinados momentos, irracional e inconsequente.

Esta mesma mulher na presença de um homem, sexualmente apelativo, mas com quem não existiam nem representações nem perspectivas de vida em comum, mostrava-se desinibida, sedutora e sexualmente activa: com uma alteração comportamental radical.

Só, muito mais tarde, descobri que as mulheres dividiam os homens em três classes: os homens sem interesse, os sexualmente interessantes e os com interesse para casar.
Com estes o sexo não era um imperativo. Deixavam-nos a penar. Coitados.

Funcionava como estratégia de ligação, de permanência, de amarração, como investimento em algo mais duradouro. Ao representar este papel elas estavam, tão só, a representar o papel para que tinham sido programadas desde a nascença.

Serão diferentes, hoje, as mulheres?

Poesia de Andaime

“O amor é fogo que arde sem se ver”, clama o poeta.
“O que é bom é para se ver” , responde-lhe o trolha.
A mulher romântica, de hoje, nos seus passeios de fim da tarde, deleita-se não com os ditos trovadorescos dos bardos elegantes mas com os dichotes jocosos que ouve do alto dos andaimes:
«É carapau!».
Estamos, então, perante um estilo de poesia imediata. É uma poesia nua, sem burilados ou
versos alexandrinos. Um poesia que marca um virar de página na literatura portuguesa do novo milénio.

(adaptação do livro: Poesia de Andaime , de Luís Coelho)

09 maio 2008

Infidelidade Masculina. A explicação

A ejaculação de um homem dá para engravidar todas as mulheres da Europa.
Isto implica que eles tenham a necessidade biológica de escolher mais e mais mulheres.

(sexólogo Francisco Allen Gomes, autor do livro «Sexo, Amor e Paixão»)

08 maio 2008

Sexo e literatura

As mulheres portuguesas deviam trabalhar mais o seu imaginário erótico a partir da literatura?
Sim, estou completamente convencido disso. Muitas vezes me questionei sobre como aconselhar certas pessoas que eram autênticas folhas em branco em matéria de fantasias. Mulheres que se distraíam durante o acto sexual e não chegavam a lado nenhum. Eram provocantes, estimulantes, exibicionistas, mas não conseguiam ter prazer. Algumas delas, se estivessem a ler, conseguiam ir até ao fim, com excitação.

Isto acontece porquê?
Estas mulheres foram habituadas a pensar a excitação como sinónimo de perigo. E o livro era uma forma de se defenderem destes pensamentos de evitação. Enquanto liam, o pensamento de censura não entrava.


Francisco Allen Gomes, psiquiatra, terapeuta sexual
Autor do livro Paixão, Amor e Sexo

07 maio 2008

Mulher Devoradora de Homens

«Maneater» (devoradora de homens) do mais recente álbum de Nelly Furtado

Ela não espera. Anda à caça. Armada, até aos dentes, com as armas da sedução.
Caçadora experimentada, ela sabe o efeito que provoca neles aquele olhar atrevido, acompanhado de movimentos subtis do corpo, um sorriso sensual e aberto e aquele brilhozinho nos olhos.
É ela que dita as regras, que impõe o ritmo, já que detesta o papel de mulher submissa.
Mulher inquieta, fêmea sem piedade, mentirosa compulsiva, insaciável.

Um relacionamente esporádico com uma mulher devoradora de homens deixa uma amargo de boca, já conhecido das mulheres: uma sensação de que fomos usados para satisfazer desejos e fantasias de uma mulher e depois deitados fora, amachucados, como se faz a uma lata de refrigerante vazia.


Mulher Devoradora de Homens? Não. Obrigado
Próxima!

06 maio 2008

One Night Stand

E amanhã é outro dia

«One Night Stand» era uma expressão usada por um grupo de teatro que actuava «uma noite e nada mais» em cada localidade por onde passava, evitando assim encargos contratuais.
É usada para significar relações sexuais ocasionais, sem compromisso de parte a parte, também designadas por relações relâmpago, entre parceiros do mesmo sexo ou de sexo diferente.
Distingue-se de outros relacionamentos ocasionais por, neste caso, a relação durar apenas uma noite.
Uma atracção repentina e incontrolável por alguém que se conheceu numa discoteca, numa festa particular, depois duns copos, pode acabar numa «one night stand».
Realizado o acto sexual, cada um segue o seu caminho. Contudo, muitas mulheres aguardam pelo telefonema do dia seguinte. Confundem, conscientemente ou não, uma queca ocasional com o princípio de um relacionamento. E julgam, ingenuamente, que se ele experimentou vai ficar agarrado.
Se para os homens a «one night stand» é encarada com mais ou menos normalidade, por que razão as mulheres se vitimizam junto das amigas lamentando-se: «estou sempre a dizer que é a última vez e dou comigo a cair na mesma esparrela». Daaaahhhhh!!!





05 maio 2008

Inversão de papéis

Gostava, sinceramente, de ser teu amigo, sem gozos sensuais, sem más ideias, proponho-lhe eu, olhos nos olhos.

Não sou uma devoradora de homens, mas não concebo ser tua amiga sem pensar em ter sexo contigo, responde-me ela exaltada.

Não sei se consigo ser tua amiga, só tua amiga, conclui ela resignada.

03 maio 2008

Mulher Boa


Que avião!

Mulher com a mania que é boa só anda com gajas boas. E foge da companhia das mulheres para quem a natureza foi avara.
Tudo faz para dar nas vistas. Imagina e faz constar que todos os homens a querem comer.
Mas olha para eles com desdém. E fica muito melindrada com um piropo mais ousado que ouve ao passar.
A noção que tem de si é que o seu corpo é o seu maior e mais valioso investimento.
Bem abonada de mamas, estrategicamente destapadas, sabe que fazem as delícias de qualquer homem ou mulher. Babam-se todos quando ela passa.E sabe, claramente, possuir entre as pernas um tesouro, bem guardado, pelo qual eles estão dispostos a pagar um preço muito alto.

Mulher Boa (com mania de)? Não. Obrigado.
Próxima!

01 maio 2008

Conversas no IRC ao fim da tarde

- andas à procura de quê, aqui?
- nada. É necessário andar, aqui , à procura de alguma coisa?
- nada? E procuras isso muito intensamente?
- não procuro... Não sabes ler?
- achas-me com cara de parvo? Já viste bem a minha cara?
- falo e depois bazo. E amanha é outro dia.
- és uma crente. E acreditas, também, no Pai Natal? Não me fodas ...pá!
- é preciso andar aqui à procura de alguma coisa? Que procuram aqui?
- olha, eles andam à procura de sexo fácil e barato e elas à procura do Príncipe Encantado …
- ai sim?
- claro que elas não procuram sexo pelo sexo. Elas querem o chouriço … mas não dispensam levar o porco.