27 dezembro 2009

Conversas de pijama (3)

- olá!
-
olá!
- como estás?
-
sentado no sofá da sala com jeans e camisola. E tu como estás?
- de pijama
-
ainda?
- já
-
por quanto tempo?
- pq? Estás a pensar vir-me despir?
-
a ideia é mais ou menos essa: vir-me a despir-te
.

21 dezembro 2009

Farsante com uma lata desarmante

- És côncava ou não?
- Nunca me olhei nessa perpectiva. Sou mulher e não um objecto.
- Eu olho para mim e vejo-me convexo ...
- Pois , isso és tu
- Cheio de conv_icções e nada conv_encional.
- Acredito.
- Na minha convexidade ou nas minhas convicções nada convencionais?
- Acho que as tuas convicções nada convencionais postulam a tua convexidade ou o que tu queres impingir-me como sendo a tua convexidade.
- Achas que sou um farsante?
- Sim , acho que sim. Nos jogos que fazes, aqui, sim. És um farsante com uma lata desarmante.
.

16 dezembro 2009

Conversas de pijama (2)

- Conversas de pijama.
- Estás de pijama?
- Não. Não estou de pijama. O que disse foi que as nossas conversas são conversas de pijama
- Mas se nem tu nem eu estamos de pijama como podem as nossas conversas ser conversas de pijama?
- Tens sentido de humor?
- E tu tens sentido húmus, môr?
- Olha, tem dias.

14 dezembro 2009

Conversas de pijama

- A três é muito bom. Nunca o fizeste?
- Não. Para isso é necessário mais duas. E não é assim tão simples. A mulher é muito exigente: não tem tesão com qualquer mulher. E tu ?
- Sim.
- Queres partilhar comigo essa tua inesquecível experiência?
- Faz as perguntas
- Quando?
- Recentemente
- Onde?
- Num hotel
- Com quem?
- Com um amigo e uma total desconhecida (minha)
- De que modo?
- Revelei-lhe que tinha essa fantasia. E ele arranjou o 3.º elemento. E fomos para um motel. Ele fez bem a ligação de uma para a outra
- Ligação?
- De entregar uma mulher à outra
- Hã?
- Quando não há atracção cabe ao homem estimular a mulher para a entregar à outra. Mas ela veio por mim, porque ansiava uma experiência com outra mulher
- Entregou-se a ti sem problemas ?
- Sim, na boa. E não havia entre nós a preocupação de quem era a fêmea ou o macho. Estávamos ali para dar prazer uma à outra. Apenas dar prazer. E o prazer vai em vários sentidos: ele a olhar-nos às duas; eu a olhar os dois; as imagens dos três no espelho

- Hmmmmmmmmmmm
- Quando a lambi e a chupei, ela ficou doida. Mas eu não senti o mesmo depois. Sou sensível ao toque masculino, ao cheiro do homem, à penetração.

11 dezembro 2009

Mal e Bem

- se julgas que te conheço ... estas enganada. Não nos conhecemos nem planeio conhecer-te
- estás no teu direito
- para o bem ou para o mal serei sempre para ti um total desconhecido
- ai, sim???!!! E que pretendes, então, tu de mim?
- quero levar-te para o mal a bem. E se não fores a bem vais a mal. Mas, se não fores nem a bem nem a mal, tudo bem, não faz mal.

10 dezembro 2009

Um beijo

- um beijo. Onde queres o beijo?
- beijoooo simples. Agora, na cara apenas
- e depois?
- logo veremos. Tu convences-me.
- ate logo, então.

Que seca!

- Estás a trabalhar?
- Sim, que seca!
- Não te quero seca. Mas sempre muito molhada.

07 dezembro 2009

Passar fome de rato

«Diz-me uma coisa: já não fOdes há quanto tempo? Três, quatro meses?
Essa rata anda esfomeada. Deve passar fome de rato»
.

04 dezembro 2009

Revelações

Da minha amiga BIANCA recebi este desafio:
(5 - REVELAÇÕES sobre mim)

a) Eu já ... conduzi um automóvel com uma mulher totalmente despida a meu lado e a fazer-me um bóbó (sexo oral);
b) Eu nunca ... deixei (embora já tenha sido abordado para o efeito) que uma mulher me penetrasse com um strap_on;
c) Eu sei ... que um dia vou acabar por ceder (que uma mulher me sodomize com um strap_on);
d) Eu quero ... ter uma sessão de BDSM com uma mulher casada muito, muito, muito tia (menina bem);
e) Eu sonho ... marcar um encontro no quarto de hotel (ou em minha casa) com uma total desconhecida.

30 novembro 2009

Estimular o Ponto G

Faça você mesma

Diz-se por aí que os orgasmos obtidos pela estimulação do Ponto G são bem mais avassaladores, intensos e reconfortantes do que os orgasmos obtidos pela estimulação do clítoris.
Mas a realidade, nua e cua, mostra que muitas mulheres ou desconhecem a localização exacta do ponto G ou não sabem como estimulá-lo adequadamente para atingir o orgasmo.
O misterioso e tão badalado ponto G não é mais nem menos do que o tecido esponjoso, situado na parte superior (2 cm a 3 cm) da entrada da vagina (do tipo, papinho rugoso). Quando a mulher fica excitada é facilmente localizável. Estimulado pode, inclusive, originar uma ejaculação muito semelhante à ejaculação masculina.

Relaxa-te. Deitada confortavelmente na cama ou no sofá, solta-te. Solta a mente ao mesmo tempo que te soltas das roupas: maminhas ao léu e despida da cintura para baixo.

Excita-te. Lê um livro romântico com cenas quentes de sexo, vê um filme erótico (ou mesmo pornográfico se fores adepta desta nobre arte cinemtográfica) ou liga-te a um qualquer predador sexual no MSN. Fantasia com cenas tórridas de sexo a dois ou a três.

Mãos à obra. Usa os dedos, usa o vibrador ou dá uso à imaginação e usa outra coisa qualquer. Após localizares o Ponto G, massaja-o, de início, suavemente, em movimentos circulares, verticais ou horizontais. Tente, depois, encontrar o teu ritmo e a pressão adequada de modo que te dê mais prazer.

Ejacula-te. Começa a ser vista como natural a ejaculaçao feminina em resultado da estimulação do Ponto G. Não te assustes se soltares, através da uretra, um líquido esbranquiçado e sem cheiro. Eureka!!!! Conseguiste. Fazes, agora, parte do mundo restrito e misterioso (para muitos homens) das mulheres ejaculadoras.
.

Ponto de rebuçado

- Porque razão estas, hoje, tão amorosa comigo?
- Achas que estou, hoje, diferente contigo?
- Acho e tenho a certeza. E também sei que as mulheres não dão ponto sem nó.
- Como assim ???!!!!
- E não perdem a oportunidade de enlaçá-los quando estão no ponto.

23 novembro 2009

Homens perfeitamente nomais

«Achas-me um perfeito anormal ou um gajo anormamente perfeito?»
«És um gajo perfeitamente normal. Com todas as imperfeições de um gajo normal.»
.

19 novembro 2009

Amor entre Mulheres

Mal-deformações aquiridas pela prática reiterada do safismo‏


Egas Moniz (Nobel da Medicina) dirigiu a sua particular atenção para as lésbicas para ver «se estas invertidas apresentavam sinais dos seus hábitos homossexuais».

Já que da prática repetida do «safismo», isto é, da «masturbação bucal com sucção dos clítoris», resulta «a deformação vulvar» caracterizada pelo «alongamento do clítoris, que se torna de aspecto rugoso» e pela «flacidez do prepúcio que, em parte, aparece destacado da glande», a qual, «parcialmente descoberta, é volumosa e turgescente».

Além deste alongamento do clítoris, «a prática repetida da masturbação sáfica» pode desencadear «mordeduras do clítoris» e o uso da boca provoca «a inflamação aguda ou crónica da abóbada palatina, das amígdalas e da úvula, o mau cheiro da boca, a dor da língua, a palidez dos lábios e da face, o emmagrecimento geral e perturbações nutritivas».

Por isso, queridas sugadoras compulsivas, optem pelo sexo oral masculino. Esse, sim, saudável e sem estes constrangimentos.

17 novembro 2009

Belle de Jour et plus Belle de Nuit

O chamamento das luzes da ribalta

Alimentou, durante anos, um blogue com milhões de seguidores onde relatava a sua vida dupla: durante o dia era una recém-licenciada a fazer em Londres a tese de doutoramento sobre o impacto dos efeitos nocivos do ambiente no desenvolvimento do feto; durante a noite uma call girl (acompanhante de luxo) de sucesso.

De dia, acompanhava o desenvolvimento dos fetos (das cobaias); à noite, evitava ser infectada (pelo HIV) e gerar um feto.

Acompanhou centenas de clientes. A cobrar cerca de 300 Euros por encontro (200 Euros, líquidos de impostos para si), vivia sem preocupações financeiras: o que cobrava dos seus cientes dava para se vestir e comer e para as despesas do apartamento.

Recebeu uma proposta milionária, irrecusável, para transpor para livro as suas aventuras de alcova. E do livro, grande sucesso de vendas como era esperado, resultou um filme: The Secret Diary of a Call Girl.

Cultivou, nestes anos, uma aura de mulher misteriosa mantendo o mais absoluto silêncio sobre a sua identidade: era, actualmente, uma investigadora auxiliar, anónima, num recôndito estabelecimento de saúde britânico. Mas o chamamento das luzes da ribalta falou mais alto.

Deu-se a conhecer publicamente por não aguentar mais a pressão do anonimato. E confessa, agora, mulher adulta, nunca ter tido qualquer experiência menos agradável na sua fugaz (?) actividade de acompanhante de luxo.

14 novembro 2009

New York, I Love You

Os filmes que eu vejo por aí

Fabuloso. Terrivelmente belo.
Um ensaio sobre a solidão nas grandes cidades. E onde o sexo casual com desconhecidos é no imaginário dos homens e das mulheres a forma mais excitante de fazer amor.
.
.
Actores: Ethan Hawke, Isabelle Adjani, John Hurt, Julie Christie, Kevin Bacon, Robin Wright Penn, Shia LaBeouf
Realização: Natalie Portman, Allen Hughes, Brett Ratner, Fatih Akin, Jiang Wen, Joshua Marston, Mira Nair, Shekhar Kapur, Shunji Iwai, Yvan Attal
Ano: 2009 / Estados Unidos

.

Chocolate

- Diz-me uma coisa: isso é tudo fome ou frustração? - pergunta ela à amiga ao vê-la a comer, gulosa, uma barra inteira de chocolate.
- Não, não. É mesmo falta de sexo - explica, peremptória.
- Como???!!!! Não sabia que, agora, o sexo se toma por via oral..

07 novembro 2009

As fantasias sexuais de Nicole Kidman

Nicole (42 anos) confessa pormenores da sua vida sexual:

"Explorei a obsessão e explorei estranhos fetiches sexuais"

"Estou no casamento de forma incrivelmente selvagem e perigosa. É como estar no alto-mar: ficamos expostos e podemos afundar-nos".

E mais não disse.
Mas ficou a curiosidade mórbida de quem leu a entrevista por ela dada à revista GQ.

Afinal, até as actrizes mais famosas não se coíbem de assumir publicamente as suas fantasias sexuais.

E se elas podem porque razão tu não podes?



03 novembro 2009

Donas de Casa Desesperadas

- o sexo virtual tem de surgir naturalmente, de forma espontânea, não é a pedido. No sexo virtual tem de haver empatia, interacção, cumplicidade, desejo, tesão e arrebatamento das duas partes.

- explicas-me, então, que raio de interacção, empatia, cumplicidade, arrebatamento pode existir entre duas pessoas que não se conhecem de lado nenhum e no espaço de alguns minutos estão a fazer sexo virtual?

- esse é o mistério e a força galvanizadora do sexo virtual. E quem não entender isso não entenderá nunca o sexo virtual.

- desculpa, mas o sexo virtual é só uns gajos e umas gajas que se querem vir e começam a escrever umas merdas.

- o sexo virtual é muito mais complexo e profundo do que muitos julgam.

- e entre nós não existe a tal cumplicidade, interacção, arrebatamento e tal e tal necessários e indispensáveis?

- não. Acredita que não.

- NÃO ME FODAS, QUE EU SÓ GOSTO QUE ME FODAM QUANDO EU QUERO!

- nunca fiz nem faço sexo virtual por fazer. Não consigo. Tenho de sentir, aqui, as vibrações dela.

- NÃO ME FODAS! Não acredito nessas merdas!

- tu és livre de acreditar no que quiseres

- e tu tens é medo de o fazer comigo. Não é uma questão de ambiente mas porque gostas de controlar, de seres tu a tomar a iniciativa e de levar a outra parte a ceder. E como sou eu a querer fazer - e não precisas de me seduzir - para isso já não queres.

- não é bem assim

- METE O TEU CARALHO VIRTUAL ONDE TE APETECER! QUE SE FODA O TEU SEXO VIRTUAL! NÃO QUERES FAZER, NÃO FAÇAS! NÃO FICO NEM UM POUCO TRISTE! E SE QUISER ARRANJO QUEM ME TIRE A VIRGINDADE VIRTUAL!

- não quero que fiques traumatizada por te sentires rejeitada.

- VAI-TE FODER, AMOR! QUEM ME REJEITA UMA VEZ ESTÁ FODIDO!

- eu não te rejeitei

- REJEITASTE, SIM. FUCK YOU, BABY!

- não podes forçar-me a fazer sexo virtual contigo. Podes é tentar seduzir-me, criar em mim o desejo, induzir a vontade de ....

- Olha, e se eu te pagar? Pago-te e tu fazes mesmo sem vontade. Aceitas?

.

31 outubro 2009

Sozinha na selva

Nua, as mãos atadas atrás das costas e os pés presos por uma corda junto aos tornozelos.

Sentada no meio de vegetação luxuriante junto a uma árvore, está sozinha na selva, rodeada por densa e alta floresta. O calor e a humidade sufocam-na. Sua, agitada.

Logo, à sua direita, a ramagem move-se. Fica assustada. A sensação de frio na barriga mistura-se com a inquietação do desconhecido. Quem é? Quem é? As folhas agitam-se à sua esquerda mesmo junto a si.

Está indefesa e desprotegida. O suor do rosto escorre para os lábios, desce pelo pescoço até aos mamilos. No fosso entre as nádegas o suor mistura-se com o corrimento vaginal. Sente-se toda encharcada.

Não consegue controlar a situação e, no entanto, sente um prazer estranho. Espera com ansiedade o próximo movimento. Agora, a ramagem agita-se à sua volta a poucos centímetros do seu corpo. A sensação é de uma presença bem próxima. A excitação transborda. O ar quente duma respiração ansiosa sopra no seu ombro. Os olhos pulam das órbitas. A adrenalina dispara.

Ela vira-se para olhar e .... desperta do pesadelo.

(inspirado no livro de Alicia Galotti - As práticas sexuais mais inconfessáveis)

29 outubro 2009

Prenda de aniversário

- Estou a pensar oferecer-te uma prenda nos teus anos. Diz-me o que queres.

- Olha, querida, quero uma prenda feita à mão: POR TI.
.

20 outubro 2009

Jogos eróticos

Jeux Erotiques

Si dans la réalité c'est un acte répréhensible, dans le fantasme, le jeu, la signification en est totalement différente.

Dans le monde réel, contraindre l'autre est une agression, voire un viol. Dans le jeu, au contraire, il signifie : "tu es si désirable que je ne peux te résister. Tu as un tel pouvoir sur moi que je te veux à tout prix".

Et pour une femme, cela peut être très libérateur. Elle peut se laisser aller à faire des choses qu'elle n'aurait jamais osées, puisqu'elle y est obligée. Mais attention, cela doit toujours rester un jeu et les deux partenaires doivent être totalement consentants sur le scénario. Sinon, cela pourrait devenir très désagréable.

Le thème : le sexe sous contrainte, la séduction violente, l'élan irrésistible




.

18 outubro 2009

Curiosidades. A lua e o desejo sexual

As mulheres ficam 30% mais activas sexualmente durante a lua cheia.

Embora as mulheres fiquem 30% mais activas sexualmente durante a lua cheia e prefiram fazer amor às 23 horas, o estrogénio e a testosternona atingem o seu pico ao cair da tarde.

11 outubro 2009

Dançar à chuva (2)

Um poema da minha amiga virtual Stargazer sobre o post recente com o título «Dançar à Chuva» a propósito das mulheres não terem receio de ficar molhadas e que muito poucas descortinaram o sentido.

gota a gota cai a água
num gesto sensual pelo meu corpo
com mil carícias me afaga
torna-me quente como o fogo.

põe-me em brasa, escaldante de prazer
molho os pés vibrante de energia
pergunto-me: que mais hei-de fazer?
com a água renasce um novo dia.

(copyright: Stargazer)

10 outubro 2009

As razões do coração

- por que razão a foto do meu pulso te deixa tão empolgada e desperta em ti fantasias perversas?
- achas que isso tem explicação racional?
- acho que não. Mas tem de haver um explicação.
- a empatia, a sintonia de dois corpos. As pulsões são irracionais: não têm explicação racional. Mas nós racionalizamos tudo e com isso perde-se a beleza toda do irracional e da irracionalidade. Por alguma razão somos diferentes do resto da criação.
.

08 outubro 2009

A surpresa

Não se podia esquecer de passar na florista. Ela fazia anos e não perdoaria a si mesmo a falta de lembrança do ramo de rosas como sempre acontecia, ano após ano, no dia do seu aniversário.
Chegado a casa, depois de um esgotante dia de trabalho, toca à campainha da porta. Ela veio recebê-lo com um sorriso rasgado, apertando-o contra si com os braços à volta do pescoço.
Ele, de forma enérgica, retira-lhe os braços do pescoço e empurra-a em direcção ao chão.

- De joelhos, já! E faz o que tens a fazer!
- Lá vens tu com as tuas taras e manias. Tu e os teus caprichos, dahhhhh !… , condescendeu ela, enquanto se punha de joelhos na sua frente
- Que nem uma pinga caia ao chão! , gritou-lhe ele em tom autoritário
- Ó amor, fecha a porta, pelo menos. Olha que os vizinhos vêm e ouvem tudo. Que vergonha!
- Cala a boca e chupa!

No fim, já recomposto, desce no elevador e vai ao carro buscar o ramo de rosas vermelhas para lhe oferecer. Ela bem as mereceu.

06 outubro 2009

Dançar à chuva

Mete-te à chuva!
Não tenhas medo de ficar molhada!

Temes ficar enlameada e suja
por pisares todas as poças de água que encontras no caminho?

Lembra-te que a água é fonte da vida

VIVE!


27 setembro 2009

Nirvana_Superior

Libertos das amarras dos desejos,
Fugindo à condição humana,
Não sentiremos nem fome nem dor.
Levitaremos em transe
E atingiremos, juntos, o nirvana_superior

19 setembro 2009

Cabines de prova ... com outro sabor

Fazem furor em Londres, Paris e Barcelona.

São cabines de prova de roupa feminina, discretas, onde as mulheres aprovam as peças do seu agrado e .... provam outros sabores.

Expliquemo-nos melhor: são cabines de prova, rigorosamente iguais às cabines de prova de roupa existentes nas lojas de senhora. Com um pormenor curioso: a cerca de um metro de altura existe um orifício dissimulado e tapado mas suficientemente largo para permitir a entrada do membro viril masculino. Do outro lado da cabine permanecem numa sala semi-escura vários cavalheiros aguardando que as pequenas escotilhas se abram projectando um foco de luz (a luz do interior da cabine) na sua direcção. É o sinal esperado: uma mulher, comodamente sentada, dentro da cabine, pretende provar outros sabores antes da prova da roupa.

Prestado o serviço e após experimentar, com calma, as peças desejadas, retira-se de forma discreta em direcção ao balcão para pagar. Na caixa, depara-se com uma agradável surpresa (?): "Minha Senhora , a sua conta já foi paga por um amável cavalheiro".
Fingindo um enorme espanto, sai com um sorriso rasgado na cara.
.

17 setembro 2009

As sedutoras

Lançam-lhes olhares fulminantes nos bares, nas esplanadas e nos cafés.
Usam todas as armas ao seu alcance para os prenderem.
Controlam os seus impulsos e as suas emoções.
Até decidirem que o espectáculo chegou ao fim: the game is over.

São mulheres mal-amadas que buscam na aprovação, no aplauso e na idolatrização a compensação para o vazio que sentem dentro de si.

06 setembro 2009

O Amor por fazer

Ó mar salgado, quanto do teu sal
É sémen de Portugal !

Quantas promessas por cumprir
Quantas flores por florir

Quantas fontes secaram,
Quantas andorinhas morreram
Quantos sinos deixaram de tocar

Quanto leite derramado
Quanto mel por colher
Quanto Amor por fazer

Para seres salgado, ó mar !

Valeu a pena?
Não, não valeu a pena.
.

30 agosto 2009

Empregados Domésticos

Para ti, mulher madura, que anseias ter ou manter ao teu serviço um Empregado Doméstico

Aproveita-te das fraquezas dele. Aparenta poder e astúcia, mostra-se mandão e com ares de superioridade, mas esconde desejos secretos de ser dominado por uma mulher.

Estudos recentes concluíram que cada vez mais homens fantasiam secretamente em ser dominados por uma mulher. Quer nos relacionamentos homo como heterrossexuais, existem mais homens submissos do que homens dominadores, contrariamente à opinião prevalecente. E muitos deles anseiam estar dependentes e sujeitos aos caprichos de uma mulher num relacionamento (D/s) 24/7. Um homem dependente economicamente de uma mulher (por se encontrar desempregado por exemplo) terá maior propensão psicológica para deixar-se dominar por ela. Aproveita-te disso. Tira partido da crise actual em teu favor.

Muitos homens sentem um prazer genuino em servir uma mulher. É um prazer de origem mais mental que física. A sua maior ambição é satisfazer todos os desejos e caprichos da mulher.

Para dominares um homem ou teres um escravo erótico ao teu serviço 24/7 (24 horas e 7 dias por semana) não precisas ser bonita, sensual, culta ou inteligente. Basta seres boa psicóloga, activa, enérgica e perita nas «artes sexuais» para transformares o mais inacessível e desejado dos homens no mais dócil, interessado e fiel escravo erótico.

A melhor forma duma mulher dominar um homem é mantê-lo no limite entre a frustração sexual e a satisfação erótica. Um homem frustrado sexualmente tenderá a auto-satisfazer-se através da masturbação ou em aventuras fora da relação. E um homem sexualmente satisfeito perde o interesse em manter-se ligado à sua Dominadora.

Encontrar um ponto de equilíbrio entre a frustração e a satisfação sexual do escravo erótico é uma arte que poucas mulheres dominam. Saber escolher o ponto de equilíbrio entre a irritabilidade do macho e o desleixo resultante da plena satisfação sexual é um grande desafio colocado à mulher dominadora.

A mulher deve arranjar meios de o manter excitado permanentemente através de estímulos sexuais mas sem lhe permitir a satisfação sexual plena: mantendo-o controlado através da frustação sexual.

Depois dele realizar trabalhos triviais e diários, como ir buscar um copo de água ou um café, meter a louça na máquina de lavar, arrumar a cozinha, fazer as camas ou passar a ferro, a mulher pode mostrar a sua satisfação e orgulho que tem por ele com uma carícia nos seus genitais de modo a deixá-lo em erecção. Aqui, começa um novo período de excitação prolongada que ela irá controlar mantendo-o tenso e frustrado até ao limite do tolerável.

22 agosto 2009

SHAKIRA - Mulher-Loba

"Una loba en el armario
Tiene ganas de salir"

Shakira é um deleite para os olhos de qualquer homem ou mulher. É um manjar dos deuses inacessível aos humanos.
Transformou-se, neste novo Video Clip, em Mulher_Loba, devoradora de homens (e de mulheres).
E tu? Quando sais do armário?
Solta a loba que tens dentro de ti!!!!
.

20 agosto 2009

Elas saem com homens comprometidos. Porquê?

Queres fazer furor com as mulheres? Mostra-te rodeado de mulheres (bonitas): "alguma coisa deve ter este gajo para ter o mulherio todo em cima dele" .

  • Para um relacionamento que elas pretendem discreto e secreto nada melhor do que um homem comprometido: ele não vai andar por aí a dar com a língua nos dentes;

  • Um homem comprometido tem, com certeza, algo de bom. E querem ser elas a descobrir, por si próprias, qual a razão daquela mulher o ter escolhido;

  • O fruto proibido é o mais apetecido. Uma aliança no dedo de um homem casado ou comprometido dá-lhe um estranho e desconhecido charme: é a adrenalina da caça, da perseguição, da conquista. Os homens oferecidos não têm graça nenhuma;

  • Com um homem comprometido e com quem não pensam assumir qualquer compromisso as mulheres podem ser mais autênticas, mais elas mesmas: querem ser desejadas e realizar fantasias e fetiches íntimos inimagináveis que dificilmente contariam, por receio ou vergonha, aos maridos ou namorados;

  • Ao contrário do que acontece no mundo animal, em que é o macho que compete pela posse da fêmea, no mundo dos humanos é a fêmea que disputa a todo custo a atenção do macho. "Ele é comprometido mas eu sou muito melhor que ela". E não há nada que faça sentir mais poderosa uma mulher do que dormir com o homem da sua rival. A competição feminina para seduzir/caçar os machos mais desejados é feroz. Elas não olham a meios para atingir os fins. Elas vestem-se com requinte e apresentam-se todas produzidas, em 1.º lugar, para afastar a concorrência das outras mulheres, deixando-as com a auto-estima de rastos, e só depois para agradar aos homens. Atente-se na forma como as mulheres se olham umas às outras.

(texto inspirado num post da Belota)

15 agosto 2009

Amores de verão

Aconteceu numa tarde morna e sem vento (!!!!) no bar do Alex*

Quando entrei na confeitaria, não pude deixar de olhar para ela: quarentona, loira, muito loira, sem ser espampanante. Vestia de forma casualmente sofisticada um vestido vaporoso e florido com um decote redondo e discreto. Sentada no banco almofadado de modo blasée, qual criança traquina, deixava à mostra parte da coxa que se adivinhava opulenta.

Olhámo-nos, olhos nos olhos. Nenhum de nós disfarçou, sequer, o que pretendia do outro: comê-lo. Acabei de lanchar e dirigi-me ao balcão para pagar. Esperei por alguns momentos, já dentro do carro, que ela saísse da confeitaria. Em vão.

Lia, recostado numa espreguiçadeira do bar do Alex, um jornal diário, quando uma mulher de biquíni super reduzido e não muito longe de mim sorria, despudoradamente, na minha direcção. Retribui o sorriso, sorrindo. Momentos depois, trincava ela com apetite voraz uma maçã de um vermelho luzidio. Ao olhar embebecido para aquela cena evocando reminiscências bíblicas, obsequiou-me com um gesto delicado e claro: “É servido?”.

Só então me apercebi que aquela loira era a loira da confeitaria que vira dias antes. Um turbilhão de ideias varreu a minha mente: claro que quero ser servido. E servi-me: d'ELA.

* Bar de praia em Valadares

14 agosto 2009

Viver de Amor

Se queres morrer de amor, morre de amor: eu quero VIVER de amor.
Só gosto de quem gosta de mim: as outras, ignoro-as ou desprezo-as.
.

12 agosto 2009

O João Tolha e a loira (2)

No domingo passado pela manhã, cortava eu a relva, calmamente, quando a minha vizinha loira e boazona vai até a caixa de correio, abre a caixa, fecha-a com força e volta furiosa para casa.
Lá continuei na minha tarefa de aparar a relva quando, de repente, a loiraça voltou.
Caminhou determinada e a bufar até à caixa de correio, abriu, fechou, deu um soco na caixa e voltou para casa com cara de furiosa.
Poucos minutos passaram, quando ela aparece novamente.
Com andar impaciente, abre a caixa de correio, xinga, esperneia, bate na caixa, grita e volta para casa a resmungar.
Curioso com a situação, pergunto-lhe:
- Algum problema, vizinha??????
Ao que ela me responde:
- Problema é pouco!!!!! Aquele fdp do meu computador estúpido não pára de dizer que a minha caixa de correio está cheia!!!

O João Tolha e a loira

Conheci, hoje, na praia, uma loira platinada, de olhos verdes e linda de morrer.
Muito pesarosa, veio até à minha espreguiçadeira desculpar-se por, uns dias antes, ter sido mal educada comigo .
Porquê? Porque, numa confeitaria conceituada, olhei para ela, sorri e ela nem sequer me cumprimentou.
«No problem. Se olhei e sorri para si é porque a achei uma mulher lindíssima», disse-lhe eu.
.

07 agosto 2009

Intermitências do AMOR

Olhos nos olhos
Incendeio-te com palavras
Deixo-te em BRASA

Regresso.
Algemo os teus pulsos
Ponho-te de joelhos à minha frente
Faço de ti minha ESCRAVA

Regresso.
Para ti o meu sorriso mais lindo
Acaricio o teu rosto
Es ESPECIAL para mim.

Regresso.
Atiro-te ao chão
Puxo os teus cabelos
Faço de ti minha CADELA

Regresso.
Beijo-te na boca
Provo o teu sabor
És DESEJADA

Regresso.
Bato-te
Uso-te
ABUSO de ti.

Regresso.
Deito-me na tua cama
Possuo o teu corpo
Faço de ti MULHER

Regresso.
Faço-te gemer de PRAZER
És minha.

(reposição para ti meu AMOR)

06 agosto 2009

Ela dominou a amiga na frente dele

Imagina que te convidava a ti e a uma amiga para um jantar em minha casa. Depois de esvaziadas três garrafas de vinho branco gelado Serras de Azeitão (que delícia de vinho numa noite quente de verão!) pedia-te para a dominares na minha frente (e eu sentado no sofá a assistir como voyeur). Diz-me o que lhe fazias.

  • Pedia para ir à casa de banho para me vestir adequadamente e não se perder o efeito surpresa: botas pretas de agulha, salto alto, coladas à perna e ligeiramente acima dos joelhos, corpete preto de couro de apertar em baixo, sutiã igualmente de couro preto e uma máscara preta de fantasia. Na mão um chicote preto de tiras de couro;
  • Imagino que o efeito que iria causar nela a minha nova imagem fosse demolidor. O que iria deixá-la por um lado curiosa e por outro ansiosa;
  • Ordenava-te com voz de comando para permaneceres quieto no sofá, enquanto pegava delicadamente na mão dela para a levar para o meio da sala;
  • Mexia-lhe nos cabelos, acariciava-lhe o rosto, o pescoço, beijava-a com suavidade e apalpava-lhe as mamas e o rabo para a deixar excitada;
  • Quando a pressentisse excitada e com a respiração alterada, ordenava-lhe para despir as cuecas e eu mesma lhe retirava o sutiã. “Uma submissa está sempre com as mamas soltas e sem cuecas ao pé da Dona. Pronta a servi-la e a deixar-se usar por ela” – esclarecia-a eu com voz de poucos amigos. "Entendido?"
  • Caso ela não me respondesse, levava, logo ali, uma estalada. “Então eu falo contigo e tu não me respondes? Que é isso? De joelhos, já! Beije os pés da sua Dona sua reles e mal- criada!"
  • No caso dela hesitar, dava-lhe com o chicote no rabo até obrigá-la a ajoelhar-se. "Vamos, ajoelhe-se! Obedeça às ordens da sua Dona, sua peste!"
  • Com ela de joelhos, desapertava o corpete de couro e obrigava-a a fazer-me sexo oral na tua frente. "Deves estar habituada a chupá-lo a ele, sua debochada!. Quero que a lambes como costumas lambê-lo a ele, sua putinha ordinária!
(este texto é a reprodução, o mais fidedigna possível, de um diálogo no MSN com uma amiga)

De pequenino se alonga o pepino

Para ti que és daquelas em que o comprimeno conta

A tribo Caramoja, do nordeste do Uganda, amarra um peso na ponta do pénis para alongá-lo.
Às vezes, o membro fica tão comprido que o dono tem de enrolá-lo para cima.

03 agosto 2009

Ela tinha uma estranha fantasia

- Adormeço e acordo de manhã com uma fantasia estranha
- Conta. Sou vidrado por fantasias estranhas, de gente estranha, em lugares estranhos
- Depois que colocaste aquela nota no teu perfil (MSN), adormeço e acordo a pensar violar-te
- Olha, porque não passas da fantasia à prática? Aqui te deixo algumas dicas:

  • Convidas-me para tomar um copo em tua casa
  • Colocas um produto na bebida de modo a cair, rapidamente, num sono profundo
  • Depois, amarras-me, bem amarradinho, com cordas, previamente adquiridas
  • Colocas-me uma mordaça para não alertar os vizinhos com pedidos de socorro
  • Tratas de mim e alimentas-me como se fosse um cão vadio
  • Abusas sexualmente de mim, vezes sem conta e sem eu contar
  • E libertas-me, apenas, quando perceberes que estou suficientemente dócil e amestrado para não fugir da Dona

02 agosto 2009

Fantasias nocturnas

  • chegas de viagem. Está uma linda noite de luar.
  • procuras um táxi.
  • coloco as malas na bagaceira, entras no carro e vamos em direcção à morada que me indicaste.
  • pelo espelho retrovisor olho fixamente as tuas pernas.
  • tu olhas-me nos olhos e apercebes-te que estou a observar-te. Ficas inquieta. Mexes-te no banco. Cruzas e descruzas as pernas.
  • no movimento de cruzares e descruzares as pernas mostras, por segundos, as coxas opulentas e as calcinhas brancas minúsculas
  • apertas as coxas uma contra a outra, esfregando-as de forma imperceptível, tentando ocultar o desejo que te assalta
  • tens, agora, as pernas juntas e tentas puxar o vestido para as tapar até aos joelhos
  • eu sorrio-te com um sorriso safado
  • tu ficas mais inquieta ainda sem saberes o que fazer
  • com voz calma e pousada elogio as tuas pernas
  • tu sorris, nervosamente, e agradeces
  • peço-te, de forma serena mas convicto, para abrires ligeiramente as pernas e subires o vestido
  • hesitas. Olhas-me nos olhos. Sorris, com um sorriso malandro. E nem quero acreditar: acedes ao meu desejo
  • insisto para as abrires mais ainda
  • e tu abres, agora, as pernas descaradamente. Um calor intenso invade as tuas entranhas
  • fechas as pernas e baixas o vestido
  • chegámos ao número da rua que me indicaste. Recompôes-te e pedes-me o favor de levar as malas até à porta de casa.


31 julho 2009

Dia do Orgasmo

Conselhos e dicas uteis sobre o orgasmo

  • O orgasmo, por fabricar endorfinas, ajuda o sistema imunológico a proteger-se melhor, facto a ter em conta nestes tempos de gripe porcina (H1N1);
  • Além disso, traz benefícios para os hipertensos, combate o stress e as compulsões de origem nervosa;
  • A frigidez, na maioria dos casos, é um problema do foro psicológico: traumas não resolvidos, assédio sexual na infância, questões religiosas ou morais. Importa, em primeiro lugar, diagnosticar a causa da frigidez e tratá-la, depois, com um profissional.
  • O orgasmo da mulher é muito mais abrangente do que o do homem, que é um orgasmo mais focalizado. A mulher tem um nível de satisfação muito maior nos orgasmos que os homens;
  • Se o homem, depois de penetrar a mulher, mantiver a ereção por cinco a dez minutos não tem ejaculação precoce. Menos de três minutos, sim, tem ejaculação precoce. Entre três e cinco minutos, a mulher que faça também pela vida e acelere ela própria o processo que a leve ao orgasmo;
  • Muitas mulheres não atingem o orgasmo através da penetração por esta ocorrer antes de estarem no grau de excitação necessária. A mulher só deve deixar-se penetrar depois de estar bem excitada;
  • Mulheres com medo de se entregarem, que se assustam com a perda do controlo, têm difculdade em atingir o orgasmo. Cabe ao homem transmitir, nesse caso, a confiança, segurança e o relaxamento necessários à muher a fim dela se soltar;
  • Orgasmos múltiplos são sequências de orgasmos que ocorrem muito póximos uns dos outros, regra geral, ligeiros.

28 julho 2009

Mulher Madura

Homenagem a todas as MULHERES MADURAS
.
A Mulher Madura não provoca, ela é provocante;
A Mulher Madura não se insinua, ela mostra o caminho de forma subtil;
A Mulher Madura não é exigente, ela é selectiva;
A Mulher Madura não o prende com algemas, algema-o com uma prenda;
A Mulher Madura não come quem a escolhe, escolhe o que come;
A Mulher Madura não O come, ela alimenta-se d’Ele;
.
(adaptação de um texto de Vanessa Pena)

23 julho 2009

Animal de estimação

O que importa é que este casal é feliz, assim, independentemente de quão estranha pareça esta relação .

Dani Graves, de 25 anos, e Tasha Maltby, de 19, são um casal de namorados gótico de Dewsbury, norte de Inglaterra.

No passado fim-de-semana foram impedidos de viajar num autocarro porque Dani passeava a sua namorada de trela. A BBC News conta que o casal acusa a transportadora Arriva de discriminação.

O condutor do autocarro rejeitou a entrada de Dani e Tasha, alegando que a trela iria por em risco a segurança dos restantes passageiros em caso de travagem brusca.O caso está a ser investigado pela Arriva, empresa «que leva muito a sério qualquer acusação de discriminação», segundo um responsável da empresa,

Paul Adcock.Adcock acrescentou que a Arriva irá «pedir desculpa a Dani Graves por algum inconveniente causado pela forma como o assunto foi tratado».

Para Tasha Maltby, este foi um caso «claro de discriminação, quase como um crime de ódio», contou ao Daily Mail.


21 julho 2009

As novas Casanovas

Chegaste como quem chega:
Devagar.

Seduziste como quem seduz:
Com arrebatamento.

Conquistaste como quem conquista:
Esmagando.

Partiste como quem parte:
Definitivamente.

Ficou o vazio.

CHEGAR
SEDUZIR
CONQUISTAR
PARTIR

O ciclo repete-se, inexoravelmente,
Girando em torno do vazio.

Que força fará mover esta engrenagem?

Ela pediu-me para lhe explicar este Poema Experimental

(reposição)

18 julho 2009

Não hei-de morrer sem experimentar: sexo com um desconhecido

Conheceram-se no MSN em noite de lua cheia. E, logo ali, combinaram um blind date (encontro às cegas)


Esperava-te, sentado na cama. Olhei em volta para assegurar-me que tudo estaria perfeito. A minha ansiedade crescia à medida que a hora se aproximava.

Tinha deixado a porta entreaberta e tu sabias o que fazer, mas era-me difícil resistir à tentação de ir à janela ver-te chegar. Queria sentir a emoção e a adrenalina de ouvir o ranger da porta à tua chegada e queria que tu sentisses, também, a emoção de entrares no desconhecido. Os minutos passavam e, não, tu não estavas atrasada, eu é que estava adiantado: adiantado na emoção, na vontade, na antecipação do momento.

Ouvi, por fim, o som de saltos altos a tocarem no mosaico do chão da entrada e o som da porta a fechar-se atrás de ti. Os teus passos tinham substituído o barulho do ponteiro dos segundos e a minha excitação crescia tremendamente. Seguiste as minhas instruções e surgiste na soleira da porta do quarto… e o teu sorriso e o “Olá” que me disseste provocaram-me um arrepio na espinha.

Antes de te aproximares, pude sentir o teu doce e inebriante perfume. Sentaste-te a meu lado fazendo a tua perna tocar na minha. Queria agarrar-te, logo ali, tal era a fome que tinha do teu corpo. Queria ouvir súplicas de paixão violenta e o êxtase do prazer. Mas queria também conter-me, provar-te primeiro, conhecer-te devagar, cheirar-te com delícia e saborear-te por inteiro.

Adoro ombros e adorei o teu colo. Um pouco mais abaixo, por debaixo da blusa de algodão finíssimo, dois pontos pareciam querer perfurá-la. Quis tocar-lhes. Toquei-os ao de leve e reponderam-me com atrevimento.

Afastaste-me um pouco e disseste-me que precisavas de ir à casa de banho. Mostrei-te onde ficava e tentei recompor as ideias. Nunca tinha experimentado nada tão intenso, tão sensual, tão imediato. Aproveitei a tua ausência para pôr uma música a tocar: algo de sensual, de latino, de ritmado, de quente e picante.

Regressaste deslumbrante : um body preto transparente acabava justamente onde começavam as meias de liga. E, num movimento brusco, atiras-me para trás. Sentas-te em cima de mim com as pernas abertas. Inclinas-te e beijas-me na boca, primeiro, depois no pescoço e, por fim, no peito. Enquanto o fazias, dançavas ao ritmo da música que tocava.

Toquei-te nas mamas e agarrei-as de seguida usando os polegares para brincar com os teus mamilos. As minhas mãos brincavam e faziam, agora, do teu baixo-ventre um parque de diversões.

Os nossos movimentos começaram lentos, ritmados, como se dançássemos ao som da música que tocava. Beijávamo-nos suavemente mas de uma forma tremendamente erótica, saboreando os lábios e a língua um do outro. Tínhamos as mãos dadas e os dedos entrelaçados e o movimento ondulante dos nossos corpos e o prazer que eles nos estavam a dar fez-nos sorrir um para o outro, cúmplices.

Comemo-nos como se a fome fosse insaciável. Rodámos, roçámos, as minhas mãos não pareciam nunca estar satisfeitas e percorriam todo o teu corpo, moldavam-no, sentiam-no, espalhavam o teu suor que se misturava com o meu. O cheiro a sexo, que aumentava e se tornava fragrância, inspirava-nos e num último suspiro disseste-me: “vou-me vir… quero que te venhas comigo”.

(autor desconhecido)

13 julho 2009

Assédio

Maquiavélicas: não olham aos meios para atingir os fins

  • se me mostro uma sem vergonha foge de mim
  • se me mostro uma puritana foge também
  • me confunde mesmo
  • estranho você
  • o que realmente você procura, meu amo ?
  • que queres de mim?
  • você
  • inteiro
  • sem máscara
  • sem pudor
  • sem meia palavra
  • inteirinho
  • espera sentada. Assim, não te cansas.
  • é bicha mesmo. É um tremendo de um veado.
  • ou entao uma mulher
  • é mulher?
  • foda-s e !
  • um palhaço a brincar no MSN
  • ou uma sapata sem graça a divertir se com o ...

11 julho 2009

Dependência ou submissão?

Texto dedicado a ti , quarentona, que fantasias ter um Dono ou servir um Dono

Seres reais povoam os meus sonhos: em lugares fantásticos, em situações obscuras, em labirintos de cores ainda não inventadas.

Quando o vi, ele parecia flutuar num corredor exótico e interminável: os lugares do sonho. O seu nome não era importante. Em boa verdade, não tinha nome: as situações do sonho. Tinha lábios bem desenhados, isso não me esquece: os labirintos do sonho.

Quando falou comigo, sorriu e olhou-me nos olhos. Perigosa combinação essa: voz, sorriso, olhar. Não sei dizer exactamente em qual deles me perdi, apenas sei dizer que nunca mais me encontrei: um olhar que não consentia dúvidas, um sorriso que admitia todas as possibilidades e uma voz que não permitia hesitação.

Ficámos juntos naquela noite. Não tive escapatória. Não tive escolha. Acostumada que estou a decidir tudo sozinha na minha vida, acompanhei-o, surpreendida com o meu próprio comportamento.

Nunca ninguém se preocupou em escrever sobre a angústia de ser independente: a solidão da independência. As pessoas dependentes sempre contam com alguém para dividir os seus erros e as suas culpas. As independentes, não. Se tudo bater certo, óptimo: não poderia ser de outra forma. Se der para o torto: a culpa será sempre sua eterna companheira.

As pessoas independentes, geralmente, são obrigadas a tomar as decisões e elas nem sempre agradam a todos. Nesse sentido, é fácil perceber que as pessoas são, com frequência, confundidas com pessoas autoritárias, dominadoras ou, até mesmo, pessoas más, sem coração.

Um dia li sobre a dor de ser irmã de Cinderela, a dor de ser feia. É fácil ser boazinha quando tudo nos cai do céu; porém, é muito difícil sermos coerentes quando temos de "correr atrás" do que ansiamos. Mas não é sobre beleza/feiura que trata esta história. Esta história trata da confusão que fiz entre os conceitos de dependência e submissão.

Eu sempre lutei muito pela minha independência: ter o meu dinheiro, ter a minha profissão, ter as minhas próprias opiniões. No meu simplório entendimento, as pessoas submissas tornavam-se dependentes das outras. Acho que quanto mais o meu inconsciente me enviava sinais, tentando alertar-me sobre a minha submissão latente, mais eu me apegava à minha independência, mais eu fazia por não depender de nada, nem de ninguém. Pura defesa mental. Criei uma imagem maravilhosa: independente, segura, auto-suficiente. Uma postura até certo ponto invejada.

Mas havia algo que não batia certo: vontades estranhas, desejos contraditórios, fantasias perturbadoras. Foi nesse estado de espírito que me encontrei com Ele.

Como dizia, antes de me perder em divagações, eu não tinha escolha: ou o acompanhava sem reservas ou não o acompanhava. Não havia o "mas", a minha conjunção favorita. Adoro orações coordenadas adversativas.

Fui com ele. O coração aos saltos. Apesar de nunca ter tido um Dono, já conhecia as regras básicas e pensava: "não vou conseguir ajoelhar-me". Devo esclarecer, aqui, que esse temor não era o único sentimento a tomar conta de mim. Havia outras sensações que assaltavam a minha mente: havia a curiosidade, havia uma atracção mútua, havia um desejo intenso, impossível de ser reprimido.

Quando me ajoelhei aos seus pés e ofereci o meu pescoço para a coleira, senti-me como se estivesse a fazer uma encenação. Não era real. No entanto, essa sensação desapareceu rapidamente, no momento em que ele me segurou pela coleira e a puxou com força, com o meu rosto a ficar perto do Seu. Os nossos lábios quase se tocaram. E exclamou: "És minha, agora! Pertences-me!"

A Sua voz não permitia hesitação. Concordei placidamente. Não recordo com precisão todos os acontecimentos daquela noite. Sei que me submeti às vontades Dele sem nunca vacilar e, durante o tempo que durou aquela sessão, deixei de lado as minhas preocupações com a minha independência. Entreguei-me aos Seus caprichos, que, descobri depois, não deixavam de ser os "meus caprichos". Servir e ser servido são o verso e o reverso da mesma moeda.

Depois de nos separamos, ansiava por novos encontros, novas conversas e, uma vez livre das dúvidas e dos preconceitos sobre a minha condição de "submissa", tenho levado a vida assim: explorando, na companhia Dele, esse meu lado submisso, que por tanto tempo reprimi. E, o que é mais importante, aprendi a diferença entre os dois conceitos.

Posso e devo manter a minha independência, a minha segurança, os meus pontos de vista; sem que isso afecte a minha submissão. Posso submeter-me ao meu Senhor, sem que isso me torne dependente Dele. Obviamente, sob alguns aspectos sempre serei dependente da Sua vontade, mas não em todos os aspectos nem tampouco naqueles aspectos de que depende a minha individualidade.Tenho descoberto o prazer ilimitado de me ajoelhar, de usar a Sua coleira, de servir aos Seus caprichos, de realizar as Suas fantasias, submeter-me aos castigos: Afinal, a dor e o prazer - a exemplo do "servir e ser servido" ou do "bem e o mal" ou do "amor e o ódio" – também são apenas duas espécies opostas do mesmo género.

Agora, seres fictícios povoam a minha realidade: em lugares imagináveis; em situações claras; em labirintos de cores precisas.

Texto recebido por e-mail de uma leitora deste blogue
(Reposição)

08 julho 2009

Angelina Jolie faz Sexo Virtual

Se a Angelina Jolie phode por que razão tu não phodes?

O tablóide inglês “The National Enquirer” é peremptório: a actriz Angelina Jolie praticou sexo por telefone com o actor Billy Bob Thornton.

Ela estava a morrer de raiva por causa do encontro de Brad com Jennifer. Sentiu-se humilhada”, disse uma fonte próxima da actriz àquela publicação.

E, como a vingança se serve fria, ela esperou por Brad Pitt, nua, dentro da banheira, a beber vinho e a ter uma conversa íntima tórrida com Billy Bob, enquanto se masturbava.
.

05 julho 2009

Sexo forçado

- fantasio muitas vezes, enquanto me masturbo, em ser violentada e forçada a ter sexo com desconhecidos e mesmo com amigos, mas depois tremo toda e entro quase em pânico ao imaginar o que pode acontecer-me quando saio sozinha à noite
- pelo que tenho lido essa é uma fantasia muito comum entre as mulheres. Isso acontece porquê?
- olha, os homens estão a ficar muito efeminados. Ao pé de uma mulher não tomam a iniciativa, não a tentam seduzir e apenas se preocupam com a sua imagem: parecem autênticas meninas. Talvez, seja por isso, sei lá …
- ehhehehhehehh. Agora, entendo a razão por que tantas mulheres andam embrulhadas com outras mulheres. Assim como assim, antes uma mulher a sério do que uma mulher faz de conta. Ai, que eu parto-me todo!!!!!
- uma mulher não gosta de homens violentos. Mas admira um homem voluntarioso: que sabe o que quer quando está com uma mulher. Uma mulher quando entra no carro de um homem já está mentalmente preparada para o que lhe possa vir a acontecer. E se ele a levar para um sítio esconso e a forçar a ir ao castigo ela pode, na altura, resistir, berrar e espernear-se toda. Mas, depois, não apresenta queixa dele.
.

02 julho 2009

Massagista profissional

Massagista profissional ou prostituta amadora? Essa é a questão.

- li no teu perfil (Messenger) que és massagista. Por quanto me fica uma massagem ?
- sim, sim. Estou a levar € 50 por uma massagem normal
- é muito caro, porra!
- ouve, eu sou uma profissional. Tenho um curso. Andei em formação.
- ok, ok. Por esse preço a que é que eu tenho direito?
- massagem + relação normal
- relação normal? O que é isso?
- oral e vaginal.
- ah. E por quanto me fica com uma relação especial?
- olha, uma tarde inteira, com algemas, venda para os olhos, chicote, com botas de cano alto e vestida de couro ou PVC, pode custar-te até € 500,00.
.

30 junho 2009

O tamanho importa?

Quando os comentários se revelam bem mais interessantes que os posts.

- comentei o teu blogue. A sério, de que tamanho é?
- mede 22 cm, sem tirar nem pôr. Chega?
- e achas que eu acredito?
- minha querida, faz como S. Tomé: ver para crer (ou querer?)
.

29 junho 2009

Iniciação sexual de uma virgem

Um dia convidas-me para almoçar, aqui, e eu faço-te uma surpresa.
Ela fez 18 anos na semana passada e ainda é virgem. Coitada! O ambiente lá em casa é péssimo: pai bêbado e mãe ausente. Vem, muitas vezes, ter comigo no andar de cima. É onde se sente melhor. É fofinha mas um pouco limitada. Tenho a certeza que vais gostar dela.

Faz sangria. Muito doce e fresca para disfarçar o álcool. Ela confessou-me que gosta de sangria. Como não está habituada a beber, com dois copos vais vê-la bem disposta.

Depois do almoço, vou deitar-me na cama simulando má disposição. E peço-lhe para me fazer companhia. Aguardas na sala até vir à cozinha buscar água. Nessa altura, ela já estará de venda posta e bem amarradinha . Confia em mim. Eu sei o que fazer para convencê-la a deixar-se vendar e amarrar à cama.

Depois entras tu no quarto. Vou prepará-la para ti: beijos, abraços, carícias, murmúrios, muita ternura com palavras doces à mistura. E lambidelas no corpo todo. Quando ela já estiver tão excitada, tão excitada, no chamado ponto de não retorno, entras tu em acção. E aí começa a festa: vais ser tu o amante que ela fantasia ter.
.
.

24 junho 2009

Gel milagroso - PLAY O

És daquelas que queres ver para crer (ou querer)?
Ou és daquelas que dizem: só experimentando?
Pois bem: é melhor experimentá-lo que julgá-lo.
Mas, se não podes experimentá-lo, lê a explicação AQUI .
.

Tamanho do pénis

Curiosidades

No texto erótico hindu Kamasutra, os diferentes tamanhos do pénis em erecção são classificados da seguitne forma:

  1. pénis de lebre, até 13 centímetros;

  2. de touro, até 22 cm;

  3. de cavalo, mais de 22 cm

18 junho 2009

Mulheres perversas

"Nada há de mais perverso do que a mente perversa da mulher", escreveu ele
"Nada há de mais perverso do que a mente da mulher perversa", corrrigiu ela

- És uma mulher perversa?
- Não. Mas admito ter fantasias perversas
- Não queres partilhar comigo as tuas fantasias perversas?
- Não falo da minhas fantasias com desconhecidos
- Falar das suas próprias fantasias pode ter um efeito libertador, purificador. Funciona como uma espécie de catarse interior
- Eu sei. Mas já falo das minhas fantasias com o meu amante .

16 junho 2009

Orgasmos múltiplos

Curiosidades

As mulheres de Ponape, na Micronésia, usam uma espécie de formiga cuja picada no clítoris produz um breve orgasmo.

A maior fantasia da mulheres de Ponape é serem arremessadas por um tarado para dentro do formigueiro na expectativa de orgasmos múltiplos.
.

12 junho 2009

The black side - O lado negro

Casada, 43 anos de idade. É professora do 12.º ano numa escola da periferia do Porto.

Tem alunos de 17, 18 anos. E tem uma aluna de olhos grandes, verdes, baixinha e roliça, com cabelos negros lisos por quem anda perdida de amores.

É uma mulher com um ar duro, seco, quase macho. Quem a observa, mais atentamente, descobre nela a mulher revoltada e mal-amada que traz dentro de si.

Na intimidade, revela-se meiga, carinhosa, submissa e muito feminina. Mostra-se e expõe-se sem falsos pudores. Quer o prazer e sabe como consegui-lo: o prazer já, imediato, a explosão dos sentidos.

Quer evadir-se e enlouquecer. E quer enlouquecê-lo. E fala-lhe nela. De como a seduz durante as aulas. De como a come com olhares que não permitem outros sentidos. Dos pormenores sórdidos e dos desvarios que fantasia fazer com ela, num crescendo de erotismo e de excitação inimagináveis até à explosão dos dois.
.

10 junho 2009

Sexo Virtual aumenta exponencialmente

A causa das coisas

São casado(a)s, têm relacionamentos afectivos estáveis, mas frequentam chats ou trocam mensagens por telemóvel ou no MSN para experimentarem momentos eróticos intensos que, por razões diversas, não logram obter nos seus relacionamentos.

«O casamento, depois de alguns anos, torna-se numa sensaboria. Se restar a amizade já é muito bom», diz ela, desalento estampado no rosto.
«Digo-lhe muitas vezes: somos quase como irmãos».

E, com a difusão da internet e dos telemóveis, basta um click: o orgasmo virtual está ali ao alcance da mão.

09 junho 2009

Elas obrigam-nos a dar o litro

Mulheres modernas

- Há uma coisa que me deixa confuso.
- Então?
- Não compreendo por que razão as mulheres se acham na obrigação de se oferecerem como sobremesa, quando as levamos a jantar a um restaurante de luxo.
- Sabes, sentem-se mimadas e querem retribuir um mimo recebido. É mais com o sentido de darem um mimo do que de pagarem um favor recebido.
- Tu és assim?
- Não, querido. Um dia que eu vá ao Porto, levo-te a jantar ao Cafeína na Foz. Mas quem paga sou eu. Depois do jantar ou dás o litro ou obrigo-te a pagar metade da conta. Serei implacável.
.

07 junho 2009

Mulheres Radicais

O maravilhoso Mundo Novo

- que vais fazer, hoje de tarde?
- fazer escalada livre. E tu?
- vou pôr-me na horizontal a fazer flexões verticais.
- tas desfasado da realidade, nino.
- como assim?
- neste mundo, dito moderno, kem faz as flexões são elas.
- e eles que fazem?
- tratam da lide doméstica.

06 junho 2009

Conversa de homens

Foder por foder ... que se foda!

- Está tudo bem contigo? Tens pinado muito?
- Nem por isso. Ando com a auto-estima em baixo e talvez seja essa a causa das coisas.
- É bom haver algum critério de qualidade ...
- Pois ... o problema começa aí. As que atingem a fasquia do mínimo denominador comum do bom gosto, nas suas variegadas vertentes, acham-se boas de mais para mim. E pensam entre dentes: sou febra demasiado suculenta para os teus dentes.
- És muito exigente, talvez
- E depois há as bonecas, muito bem empacotadas. Mal abrem a boca ... é um desastre. Queres lá saber do pacote. Mas mulheres para foder não me faltam.
- Então, qual é o problema? Gajas boas com mania que são boas sempre existiram.
- Foder por foder .... que se foda ! Não estou para aí virado.
.

03 junho 2009

Tratado sobre as mulheres

Qualquer semelhança com a realidade (portuguesa) é pura coincidência

Pistas para desvendar a mente feminina

Tratado sobre as mulheres” é título do livro do argentino Mario Kostzer, que reuniu 100 perfis bem humorados para ajudar os homens a desvendarem a mente feminina. A esposa, a fashion, a largada, a intelectual, a megera … and so on.

A solteirona

“(…) A solteirona vive como solteirona e costuma morrer como solteirona, desprezando o vil objeto que perseguiu durante toda sua vida. Embora queira nos levar a crer que essa foi a sua escolha, na realidade, e apesar de tudo, foi sua condenação. Sua vida transcorrerá criando um cãozinho tipo poodle toy ou similar que poderá usar para todas as vinganças possíveis”.

A divorciada

Este é um ser complicado de se tratar, entender e suportar, embora seja facilmente reconhecível. (…) Assim que consegue o status ‘separada’ consegue, finalmente, encontrar uma utilidade para algumas partes do seu corpo; por exemplo, para aquele adorno que ostenta sobre o pescoço conhecido como ‘cabeça’… É ali que começa a sua transformação: tinge o cabelo e, em alguns casos, faz um corte que jamais lhe teria ocorrido fazer quando estava casada ou mesmo ainda solteira”.

Ler AQUI

30 maio 2009

Não hei-de morrer sem experimentar: Love Bondage

Seguro e consensual: princípios fundamentais enformadores da prática do Bondage

O fetiche nasce connosco. Está dentro de nós. Não é algo de construído ou fruto de experimentações. Surge, espontaneamente, nas brincadeiras infantis quando as meninas são capturadas e amarradas aguardando ser libertadas pelo seu herói.

Na adolescência, os jovens deliram, enquanto se masturbam no banho, com sessões de tortura e de judiarias indescritíveis com elas bem amarradinhas.

Na idade adulta, o fetiche pode evoluir naturalmente se existir um ambiente favorável. Inicia, então, a mulher uma viagem que a fará entrar nesse mundo maravilhoso de novas emoções e prazeres dela desconhecidos.

Existe o preconceito errado de que a prática do bondage implica um contacto sexual directo entre os parceiros. Ora, isso não é totalmente verdade. Claro que amarrar e ser amarrado dá tesão. A prática do BONDAGE tem naturalmente conotações sexuais: está ligada à sexualidade. Mas podem ocorrer sessões de BONDAGE sem envolvimento sexual directo entre ambos como acontece, nomeadamente, quando é praticado por profissionais.

As cordas

Elas podem ser macias de seda ou algodão e ásperas de cânhamo ou sisal. O que importa é que as cordas são, elas mesmas, um objecto de culto e um poderoso afrodisíaco: o modo como se enlaçam, como se cruzam nas costas da mulher, como se dão os nós, como se encaixam nos seios, como se apertam nas coxas, enfeitiça qualquer amante do BONDAGE.

O contraste é absoluto: a pele macia da mulher e a aspereza da corda de sisal a envolver-lhe os pulsos, os tornozelos, os seios, a cintura e as coxas. Isso provoca nos dois um empolgamento de tal modo incrível que só aqueles que já o experimentaram são capazes de o descrever. E o culto das cordas pode atingir uma tal dimensão que há mulheres que chegam a sentir ciúmes das suas cordas: guardam-nas, religiosamente, e não permitem que sejam usadas para amarrar o corpo de outra mulher.

De salientar que no Japão a arte de amarrar com cordas - SHIBARI- tem o estatuto de culto, quase religião.
.

27 maio 2009

Dogging

O que é o dogging?

O dogging, nascido na Inglaterra, é uma prática que alia com sucesso o voyeurismo, os encontros espontâneos via Internet, o sexo em locais públicos e o sexo casual. Os parques de estacionamento nas cidades ou zonas rurais, amplas e abertas, são os sítios mais escolhidos para o efeito.

Os participantes estão dentro dos carros e através de sinais previamente conhecidos (a luz interior do carro acesa, luzes exteriores acesas de modo intermitente, janelas e portas abertas) mostram-se aos assistentes. Estes, conforme a disposição daqueles, podem ver ou mesmo participar nos seus jogos sexuais.

Existem sites (fóruns) na Internet dedicados a divulgar e a promover estes encontros. O número de participantes pode ascender às dezenas e a reunião transformar-se numa orgia colectiva.

Estão fixadas regras muito rígidas para os adeptos do dogging : o uso do preservativo é obrigatório e os assistentes devem limitar-se a olhar até serem convidados para a fiesta. assistentes devem limitar-se a olhar até serem convidados para a fiesta.
.

.

24 maio 2009

Mulheres inconstantes

Num momento querem tudo e logo a seguir não querem nada;

Querem um companheiro, um amigo, um ombro para chorar e um colo para relaxar. E, depois, o cabrão, o filho da puta, o predador e o sacana que as deixem inquietas e sofridas.

Num dia sonham com um amor romântico, platónico. E no outro sonham ser desejadas, amachucadas, abusadas, fantasiam com homens que as façam guinchar de prazer.

Querem ouvir, constantemente, que são lindas, que são soberbas, superlativas, únicas, inigualáveis, as mulheres da nossa vida: querem ser acarinhadas e mimadas. E, logo , logo, querem um homem distinto, snob, distante e inacessível.

Querem uma coisa e logo a seguir o seu contrário. E a nós cabe , a cada momento, saber aquilo que elas querem.

A vida do bicho homem não é fácil.
.

19 maio 2009

Vamos conversar

Mulheres Alteradas

«Temos de ter uma conversa os dois, a sós, mas num local onde não sejamos reconhecidos», diz-me ela, ar de preocupação, enquanto faço compras para o jantar.

Quando lhe expliquei que viver sozinho fora uma opção pessoal, ela não se convenceu. Insistia comigo para arranjar uma mulher. Que essa era a decisão mais acertada.

«Temos de ter uma conversa, a sós, mas não aqui onde toda a gente me conhece», insistiu ela.
Casada, desfilou perante mim, atónito e quase a desesperar com as horas, um chorrilho de lamentações e acusações contra o marido relapso na prestação do débito conjugal.

Já no carro, a caminho de casa, matutava: ela quer ter uma conversa comigo, a sós, num local bem longe daqui. Será que não é para termos uma conversa no meio das pernas dela?
.

Quarentonas

- quem és tu?
- sou tudo o que a tua imaginação quiser
- entao somos dois amantes enlouquecidos, desvairados, insaciaveis
- q idade tens ?
- tenho 40 anos
- estás na idade da loba
- a idade da loucura, onde o tempo parece nao dar tempo ... de curtir tudo o que queremos

10 maio 2009

Não hei-de morrer sem experimentar: inverter os papéis na cama

Mulheres sexualmente dominadoras, sedutoras. Às vezes, sádicas.

Ele é um homem com poder na empresa: cheio de responsabilidades no dia a dia, é agressivo e, por vezes, cruel para com as pessoas que tem a seu cargo.

E tu tens o desejo secreto de tomar a iniciativa e de controlar o seu prazer. Sabes bem o que queres e sentes que ele nunca soube explorar os teus limites. Achas que podes surpreendê-lo. E vais surpreendê-lo invertendo os papéis na cama. Ele vai, finalmente, perceber aquilo de que tu és capaz.

É um dia especial: o dia do seu aniversário. Sem os filhos, depois do jantar, a sós, onde o mimaste como se mima um bebé, viras-te para ele e disparas em tom autoritário: «Hoje, na cama, o homem sou eu!» Arregalou os olhos com uma expressão entre o incrédulo e o divertido.

Estás decidida a seres tu a ter as rédeas na mão; a seres tu a dona da tua fantasia; a seres tu a dona do teu prazer.

Não queres infligir-lhe dor: apenas assustá-lo e fazê-lo sofrer com a ansiedade da espera. Vendas-lhe os olhos e amarra-lo à cama. Depois de sentires a sua excitação ao rubro, retiras-lhe a venda e sujeita-lo à doce tortura da negação do prazer.

Por fim, com ele bem manietado e após teres-lhe massajado com um creme lubrificante a zona anal, vais ao roupeiro buscar o cinto onde está acoplado um dildo. A cabeça dele movimenta-se ao som dos teus saltos altos.

Abrandas um pouco as cordas que o prendem à cama. Passeias as tuas unhas nas suas costas e manda-lo pôr-se de gatas. Ele, mal refeito do choque, obedece sem resistência como um autómato.

«É assim que gostas de me comer, não é? Pois, hoje, é a minha vez !», gritas tu, simulando um tom indignado, montada nas costas dele.
.

09 maio 2009

Vai dar banho ao cão

Mulheres alteradas

«Nem que tu fosses o último homem no mundo, ia para a cama contigo!», exclama ela, voz alterada, no café apinhado de gente.
Envergonhado, pergunto-lhe que teria eu de fazer para a fazer mudar de ideias.
«Nada», responde-me ela, rispidez na voz.

Agora, à hora do lanche, vou dar umas braçadas na água da piscina municipal. Nunca mais a vi.
.

06 maio 2009

O Machão

O papel da mulher é mesmo o de agradar ao homem?

Heloísa, professora universitária, de 38 anos, separada, mora sozinha com os dois filhos.
É jovial, moderna, cuida muito da aparência e não demonstra a idade que tem. Desde a separação, não teve nenhum namorado, mas sempre acalentou em segredo o desejo de reconstruir sua vida nos moldes tradicionais.

Recentemente, envolveu-se numa tumultuada relação amorosa. O estereótipo do machão por quem se apaixonou determinou que só se disporia a ficar com ela se Heloísa modificasse a sua forma de viver.

Entre as exigências, estavam: afastar-se dos amigos, sair de casa o mínimo possível, dedicando-se a tempo inteiro ao lar, e usar roupas bem mais "condizentes" com sua idade.

Heloísa não titubeou. Num tom resignado, ouvi-a comentar: "Sabe, pensei bem e acho que o papel da mulher é mesmo o de agradar ao homem. Fiz a melhor opção."

REGINA NAVARRO LINS
a cama na varanda

29 abril 2009

A solidão

O frigorífico vazio e o congelador cheio

A solidão é
..um bilhete de cinema no escuro da minha carteira.
..os auscultadores do meu iPod silenciosos sobre a secretária.
..os meus ténis Nike azuis abandonados na sapateira.
..a minha caneca do pequeno-almoço desprotegida na pia da loiça.
..apenas o meu pijama mal dobrado dentro do armário.
..o meu guardanapo isolado na gaveta.
..a minha toalha de banho ser a única na corda a secar.
..a minha escova de dentes desamparada dentro do copo.

A solidão é
..a minha refeição individual ultracongelada a rodar pacatamente no micro-ondas.
..o comando à distância da televisão a jazer na minha mesa-de-cabeceira.
..a minha chávena de chá muda no reboliço do Majestic.
..as fotografias de paisagens sem gente espalhadas pela casa.
..o grito aprisionado na minha boca quando acaba o papel higiénico.
..ter trinta e cinco canais de televisão e todos quererem ver o mesmo.
..ter de voltar ao supermercado para trazer todas as compras.
..simplesmente, não precisar de lista de compras.
..saber sempre quem vai pôr o lixo à rua.
..não ter de perguntar à voz do outro lado da linha com quem deseja falar.

A solidão é
..ter de sair do banho meio ensaboada, a tiritar de frio, para ver se o gás acabou.
..o meu frasco de perfume quieto a encher a prateleira.
..saber que terei de ir bater à porta do vizinho da frente se receber uma carta endereçada a
..outra pessoa.
..a certeza de que o dispendioso chinelo que o cão está a roer é meu.
..ter de preparar a minha sopa mesmo quando estou doente.
..ter pagar sempre tudo mais caro só para poder comprar embalagens pequenas.
..comer ovos mexidos três vezes por semana.
..uma segunda almofada na minha cama somente para decoração.
..sair de casa com os cabelos despenteados e só me aperceber disso quando chego ao trabalho.
..acordar todos os dias monotonamente com o despertador.

A solidão é
..não abrir a boca para te falar.
..a minha mão longe da tua.
..o meu nome desemparelhado do teu.
..o ar frio que entra pela porta quando tu sais.

Marta Botelho

(Retirado daqui)



Clube das Virgens

Na sociedade capitalista, onde tudo se compra e tudo se vende, a virgindade é um bem precioso.

Tem 26 anos, é virgem e fundou o Clube das Virgens. E tornou-se, de imediato, uma vedeta mediática.

Passa horas na internet e tem 1423 amigos no Hi5. E sexo? Tens-te orientado? Quando ela diz que é virgem e que não quer orientar-se, eles insistem: «quando queres resolver o problema

Ser virgem no século XXI é um problema?

No mundo extremamente competitivo das relações sociais (e dos afectos) ser virgem não é um problema é uma mais-valia. E ela descobriu que pode encontrar o Príncipe Encantado alardeando por aí a sua virgindade.

Mas uma pergunta se impõe: o que é a virgindade? Elas continuam virgens depois de esporradas nas mamas, no meio das coxas, na cara, na boca ou mesmo no rabinho?

Tecnicamente, sim. Enquanto não for rasgada a película dérmica à entrada da vagina, enquanto não for rompido o hímen (por mais complacente que este seja), uma mulher permanece clínica e tecnicamente virgem.

A virgindade, que garantia ao homem primitivo que o filho gerado era seu e que não andava a caçar para alimentar um filho de outro, tornou-se um fetiche estranho ao ponto de se pagarem (ou de pedirem) somas colossais para se ter o exclusivo, ou melhor, para ser o primeiro a penetrar vaginalmente uma mulher.

Não tenhamos dúvidas: na sociedade capitalista, onde tudo se compra e tudo se vende, a virgindade é um bem precioso.
.

27 abril 2009

Dividir ou dividir-se, eis a questão

- És um egoísta, só pensas em ti, no teu umbigo e no teu prazer, grita ela acusando-me de infidelidade.
- Desculpa, mas sempre ouvi dizer que o amor se multiplica quando se divide, respondo-lhe eu de consciência tranquila.
.

26 abril 2009

Fazer sentido

- Eu queria muito fazer sentido para ti, diz-me ela num tom entre o suplicante e o desesperado.
- Não. Tu não me fazes sentido . Quem me faz sentido são os soldados de patente inferior à minha.
.

23 abril 2009

Não hei-de morrer sem experimentar: estar com dois homens na cama

Dupla penetração

Com dois homens na cama ela sente-se uma mulher segura, com uma incrível sensação de poder, sedutora, dona do mundo.

Mas não se mostra fácil realizar esta fantasia. Muitas não têm coragem de a revelar aos seus maridos e companheiros por vergonha ou por julgarem ser mal interpretadas. E, quando a relação se torna mais aberta e elas ganham, finalmente, coragem de a revelarem, deparam, naturalmente, com o torcer de nariz por parte deles: não aceitam estar na cama com outro homem. De facto, muitos homens são incapazes de partilhar com outro homem a sua intimidade. Essa não é, seguramente, a sua fantasia.

Embora não o assuma publicamente, qual a mulher que não gostaria de estar na cama com dois homens interessantes para realizar aquela fantasia íntima que nem às paredes confessa? Falamos, claro está, da dupla penetração (DP).

Nunca tentes realizar esta fantasia sem estares excitada e sem possuires já uma grande experiência em sexo anal. Terá de haver uma sincronização perfeita entre os dois homens para não saltarem fora: quando um sai entra o outro. E não podem estar ansiosos para que tudo corra na perfeição.

No movimento do vai e vem as cabeças do car*lho tocam-se já que a parede que divide o canal da vagina do canal do ânus é super fina: o que pode ser um motivo suplementar de excitação dos dois ou dos três.

No fim, serás recompensada com um duplo orgasmo: num prazer indescritível.
.

20 abril 2009

Hoje, há tomates

No restaurante

- E o que vai ser, hoje, minha Senhora?
- Uma nozinha de filet mignon, um dedal de puré de batata e uma salada de alface simples e sem molho.
- Desculpe, minha Senhora. Mas, hoje, vou servir-lhe uma salada de tomates com muito molho.
.

16 abril 2009

Escravas de Deus

Nas minhas deambulações diurnas deparei com um vestuto edifício com a seguinte inscrição: «Escravas do Sagrado Coração de Jesus»*.
E pensei de mim para comigo: “A umas só lhes apetece servir, a outras só lhes apetece cobrir. Mas o que importa mesmo é que todas sejam felizes e se sintam realizadas como mulheres”.
Agora, não faz qualquer sentido que mulheres a quem só lhes apetece cobrir vivam vidas assexuadas, enclausuradas nas suas próprias casas, ao serviço de sonhos por cumprir e fantasias por realizar.
Para essas a castidade é a mais natural de todas as perversidades e a causa principal de depressões e pensamentos suicidários.

NR: fazem falta estudos numa perspectiva compreensivo-explicativa das Ordens Religiosas femininas à luz dos princípios enformadores do BDSM.
.

15 abril 2009

Pagar com o corpinho

Frases que gostaria de ouvir

- Deves-me 60 Euros, sabias?
- Das chamadas de telemóvel que te tenho feito.
- Como queres pagar? Com o corpinho?
.

11 abril 2009

Queria entender, meu Amor ...

Queria entender, meu Amor ...

Exaltada, massacras-me o juízo,
Aos gritos, atiras-me à cara coisas horríveis,
Determinada, arrasas-me.

Agora, olhas para mim com desprezo, farrapo humano, feito em cacos.

E seduzes-me e entesas-me,
E devoras a minha pele, faminta de sal,
A tua língua na minha língua, no meu sexo,
No meu sexo que é o teu,
Violento, brutal, violento.

Rasgo as tuas roupas com a violência dos homens solitários.
Esmago o teu corpo no meu corpo com a brutalidade dos homens feitos bestas de inquietação.
Possuo-te selvaticamente
E sinto o teu prazer eco do meu prazer.
.

Jogos de Poder

- não precisas do dizer - observou-a com ira. - percebi logo no momento em que chegámos!
agora vem para a cama! - agarrou-a pelos pulsos e arrastou-a até ao quarto e fez amor com ela
selvaticamente. - vou tirar aquele canalha da tua mente, nem que seja a última coisa que faça na
vida - replicou com ódio no rosto, enquanto a possuiu como o inimigo que era.
adormeceram abraçados, e rachel derramou lágrimas amargas no peito dele, desejando o seu
amante perdido.
na manhã seguinte encontrou-o vestido em frente ao espelho, a fazer o nó da gravata, vestido
com um fato impecável, símbolo de poder e riqueza.
- onde vais? - perguntou-lhe rachel suavemente da cama.
ele ficou tenso e olhou-a pelo espelho e depois declarou:
- trabalhar. para onde é que haveria de ser?

jogos de poder
by sarah holland

10 abril 2009

Um dia ele faz-te a parte

- sabes o que digo, quando os nossos amigos vêm com a conversa tipica, tipo: ah e tal o teu marido qualquer dia faz-te a parte.
- o que dizes tu?
- espero que a gaja seja boa porque eu também a quero comer
- bouuuuuuuua!!!!!!!!!!! Essa tá mesmo muito boa.
- ficam mudos. Nunca mais me picam. É remédio santo
- és muito à frente
- pois, mas eu já digo isso há 10 anos, imagina tu
- alguma vez comeste ou foste comida por uma gaja?
- não, nunca. Quando acontecer logo te digo.
- mas tens tesão por mulheres, certo?
- claro que sim. Como todas as mulheres. Só que nem todas o admitem.
- e fantasias com isso?
- não penso muito niso. Quando surgir a oportunidade aproveito e pronto: quero comer e ser comida por uma mulher. Se é para partir a louça, parte-se a louça toda.
.

09 abril 2009

O cheiro do tesão

- uma mulher com tesão tem cheiro e tem sabor.
- pois eh …
- sinto cheiro, um cheiro que só aparece quando estou com tesão
- tesão tem cheiro de baunilha
- não eh bem baunilha eh baunilha com cachaça.
.

08 abril 2009

Coisas simples

Poderia dizer-te que me deixas louco de tesão e de desejo
Poderia dizer-te que me tocas como nenhuma mulher me tocou

Mas hoje apetece-me falar-te das coisas simples da vida

.

04 abril 2009

Cabo das Tormentas

Em
Frente
A
....................Enfrenta
Boa
Hoje
A
Dor
....................Bojador
És
Mágica
Gata
....................Esmaga
O
Cão
Cabrão
Mental
..............................................................O Cabo que te aTormenta
.

03 abril 2009

Não hei-de morrer sem experimentar: fazer de prostituta

Depois da fantasia da violação, é esta seguramente a fantasia feminina mais comum. As mulheres são naturalmente coquetes e galanteadoras sempre prontas a seduzir o macho. Isto está indelevelmente gravado no seu código genético: desde os tempos imemoriais do homem-caçador e da mulher recolectora.

As mulheres mais bem sucedidas junto dos homens-caçadores eram aquelas que tinham garantida a sua sobrevivência e a sobrevivência dos filhos. Mesmo na antiguidade, as cortesãs, as concubinas ou as escravas sexuais ocupavam, com frequência, uma posição relevante na sociedade. Não admira, por isso, que a maior parte das mulheres sonhe oferecer favores sexuais em troca de presentes, promoção social ou profissional.

E há quem ouse transpor para a realidade esta fantasia: ora vestindo-se e actuando como uma prostituta, em encontros em motéis com os maridos e namorados, ora pedindo aos seus parceiros de ocasião para as deixarem nos locais frequentados por prostitutas: querem experimentar a sensação de ser abordadas por clientes de prostitutas e de negociar com eles as condições da prestação do serviço.

Poucas são que ousam levar esta fantasia até às últimas consequências: serem profissionais do sexo por uma noite, utilizando os mesmos canais das prostitutas: a rua, o telemóvel ou o registo em sites de acompanhantes de luxo (escort girls).
.

02 abril 2009

Só me apetece servir (*)

Hoje, estou assim

Sete anos de pastor Jacob servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prémio pretendia.

(luís vaz de camões)


(*) Não confundir com o Blog "Só me apetece cobrir"