30 outubro 2006

FOLHA DE OUTONO

Tu, folha de Outono, que da árvore te libertaste,
Que sem um lamento para o mundo voaste,
Como um pássaro que abandona o seu ninho....

Transporta-me na tua aventura,
Leva-me a conhecer as nuvens,
Faz-me sorrir, tira-me da terra da amargura.

Tu, folha de Outono, que planas nos braços do vento,
Acaricia a minha alma com tuas nervuras,
Aninha-me na suavidade do teu ser,
Faz-me vaguear no azul celeste.

E leva-me...
Leva-me para o reino da harmonia.

Tu, folha de Outono, que voas sem destino...
Leva-me...
Leva-me simplesmente!


Joaofalcato

28 outubro 2006

METROSSEXUAL

Definições

Metrossexual: aquele que está a um metro de se tornar homossexual

Sexo...muito...puro...e duro

(aqui está um post de uma mulher do sec. XXI. Mulheres daquelas de que falo no meu post «As pulsões da tomatada versus as pulsões da mamada»)
Com a devida vénia (e porque o seu conteúdo se identifica com os propósitos deste blog) aqui vai:


Minhas amigas e meus amigos, as minhas palavras de hoje são de apoio e total compreensão, para com as mulheres do Séc. XXI.
Após ter lido o desabafo da minha amiga trendy, parece-me claro que, hoje em dia, nós sabemos muito bem o que queremos ou não.
Preparem-se porque isto hoje vai ser raw...
Peço desde já desculpa aos mais sensíveis.
Mas quem me conhece sabe que quando é para falar claramente, eu falo.
Caros homens, existem alturas em que nós não estamos interessadas em episódios românticos à Floribella.
Por vezes, aquilo que nós precisamos é de uma bela e duradoura sessão de SEXO.
Puro. Duro. Intenso. Selvagem. Tipo atira-me à parede e chama-me lagartixa.
Num dia bom, até a palmada é apreciada.
NO STRINGS ATTACHED.
Até parece que houve uma epidemia de homens gaja.
Andam com medo de se envolver, ah e tal, somos amigos, e o camandro...
Da-se! Hello!
Meus amigos, menos drama e mais acção. Quando nos envolvemos mais profundamente, não duvidem que seremos as primeiras a demonstrá-lo e não haverá margem para dúvidas. Assim é uma mulher apaixonada.
Mulher com tusa é outro nível. Mulher ou homem, quando a vontade aperta, aperta com todos.
Além de que hoje em dia, não tem que ser o homem o predador e nós as presas.
Por vezes até é precisamente o inverso.
Qual o mal de um one-night-stand?
Não é necessário haver compromisso para haver diversão pura.
É a natureza. É natural.
Não somos insensíveis, ainda sonhamos com o príncipe encantado, e queremos a outra metade da laranja.
Mas isso não implica pôr de lado as outras frutas do pomar. Metades ou completas.
Fazer amor é fazer amor. Sentimento.
Mas esfregar! Esfregar é esfregar.
Confere!


posted by Deusa do Caramelo

Dias de Sorte



Veio-me à memória
Uma imagem:
Os meus boxers
Enfunados
Pela minha vela
Ao sentir
O teu soprar
Junto a mim.

27 outubro 2006

BRICOLAGE




FISTING

«Finger-fucking»

(literalmente "foder com as dedos").











FAÇA VOCÊ MESMO

O "fisting" é uma das formas mais íntimas de tocar um outro ser humano e que lhe pode porpocionar um enorme prazer.
Vai com calma, segurança e sobretudo com muita ternura.
Esta é, sem dúvida, uma maneira incrivelmente intensa de fazer amor.
Usa e abusa, repito, abusa de creme lubrificante.
Espalha-o nas mãos, no dorso dela, entre os dedos e na vagina.
Continua a colocar mais lubrificante à base de água (KY, Wet Light, Forplay, Astroglide, I-D) enquanto estás a introduzir os teus dedos na vagina dela.
Nunca é demais.
Vai devagar.
Começa com um dedo e prossegue com calma.
NÃO TENHAS PRESSA.
Tenta perceber as reacções dela.
Não percas nunca o contacto visual com ela.
Se ela alcançar o seu limite tu vais perceber.
Nesse momento não saias dela. Fica exatamente onde estás até que a contração termine e, depois, começa a sair devagar. Quando chegares aos cinco dedos, estarás perto.
Agora é o momento de ser mais do que nunca sensível e tomar cuidado.
Ela voará, através da dor ou do prazer.
Um movimento brusco, e descobrirás que aquele buraquinho não te quer mais.
Compreende e sai devagar.
Mas se ela quer continuar, então faz escorregar para dentro o resto, dobrando o polegar sob os dedos e, assim, a tua mão formará sozinha um punho.
Não apertes a mão!
É agora que começa o verdadeiro prazer.
Explora continuadamente aquela gruta cremosa.
Ela estará nos céus e, quando chegar o momento de sair, fá-o sem pressa, sem forçar.

Poesia a três mãos

sinuosa: pensar em ti
sinuosa: é para mim poesia
O_Amor: penso em ti
O_Amor: a todo o momento
sinuosa: para quê escrever-te?
sinuosa: descrever-te?
sinuosa: reescrever-te?
O_Amor: isso e poesia!!!!
sinuosa: claro que é
O_Amor: pensas em mim?
sinuosa: a minha pena é pensar em ti
sinuosa: a minha mágoa
sinuosa: a minha distância
sinuosa: és tu!
O_Amor: mas porquê??? eu sou um mero simplório...
sinuosa: ó rapaz
sinuosa: estamos a fazer um poema a quatro mãos!
sinuosa: acorda!
O_Amor: a três... uma delas está ocupada a massajar o membro...
sinuosa: imagina se tivéssemos mais uma mão disponível
sinuosa: o que não saíria daqui...
sinuosa: uma epopeia, no mínimo...
O_Amor: só posso dispensar uma...

26 outubro 2006

DESAFIOS

Olha, agora então é que não acontece nada de todo.” disse ele, sem se dar conta do peso pretensamente definitivo das palavras.
Limitei-me a concordar, menosprezando o desafio involuntário que acabara de me fazer.
Continuámos a conversar, misturando sexo teórico com revelações pessoais.
Mas, sentada num sofá ao lado do dele, ouvia-o e perguntava-me “será que nada o pode excitar agora?”, enquanto ele prosseguia, completamente alheado das minhas inquietudes interiores.
Este pensamento não me deixou mais… até que me apeteceu contrariar a segurança da afirmação.
Sorri sozinha, com as ideias a fervilhar à minha frente, e perguntei-lhe, em tom de inocência e provocação:
- Não tens calor?
- Está calor, está…
- Sabes o que me apetecia agora?
- Não, que te apetecia?
- Um copo de água bem gelada… também queres? Vou buscar.
- Não, obrigado, não quero.
Volto da cozinha e, sem que ele me veja aproximar, tiro um dos cubos de gelo da água e meto-o na boca.
Passo-o pelos lábios, que começam a derretê-lo com o calor.
Aproximo-me dele, por trás do sofá onde está tranquilamente à minha espera, e com ambas as mãos pousadas no seu pescoço, debruço-me, encosto a boca bem perto da orelha e sussurro-lhe:
- De certeza que não queres mesmo nada?
Sinto-lhe um arrepio e pergunto:
- Tenho a boca muito gelada?
Arrepiei-te?
- Arrepiaste.
- Por sentires o meu calor tão perto, por teres a minha respiração a acariciar-te cada centímetro de pele que toca,… ou incomoda-te não saber o que vou fazer de seguida?
- Não, não me incomoda nada… neste momento, podes fazer o que te apetecer.
É bom sentir-te assim, tão perto, tão Senhora de ti.
- Então vamos jogar um jogo, queres?
Fecha os olhos! Não os abras antes que de diga que o podes fazer, está bem?
O tom imperativo nem permitiu que me respondesse se aceitava ou não o que lhe propunha. Apetecia-me ser egoísta e, depois de o arrepiar, sabia perfeitamente que podia continuar.
Contornei o sofá e olhei-o, quieto, sentado apenas com umas calças de ganga vestidas, recostado, à espera do que não adivinhava.
Sorri e disse-lhe:
- Não abras os olhos… só te permito que sintas com a pele, que vás dando importância gradual aos sentidos, ao que cheiras, ao que ouves, ao que sentes e ao que te toca…
- Sim.Aproximo-me de ti e sentes-me muito perto do teu corpo, a subir pelo teu peito até atingir o pescoço com os lábios completamente rijos pelo gelo que acabo de prender na boca.
Adoro ouvir-te respirar intensamente, a prender o arrepio que acaba por sair.
Beijo-te a pele, encaixo-te o queixo entre os dentes ao de leve, ameaço beijar-te os lábios mas não lhes toco.
As nossas respirações abraçam-se por segundos, antes de te beijar a testa e voltar ao pescoço, mesmo por baixo da orelha.
Prossigo a viagem, rumo ao sul do teu corpo, perdendo tempo com a tua pele, molhando-te o peito por onde passo, entretendo-me com o umbigo, como uma miúda a quem deram um brinquedo novo…
Não podes saber para onde vou a seguir e, por isso, cada centímetro da tua pele reage ao toque, vibra com a surpresa.
“Posso continuar por onde quiser?” pergunto-te baixinho, com o corpo sobre o teu e boca colada ao ouvido.
“Podes…”, limitas-te a balbuciar, enquanto me abraças e sentes a ausência de roupa no meu corpo.
Deslizo por entre as tuas pernas, com o corpo colado sobre o teu, com as unhas a percorrer docemente o caminho feito até à barriga, deixando a língua percorrer a pele mesmo acima do cós das calças.
Sentes as minhas mãos pousarem no primeiro botão, no segundo, no terceiro, desabotoando um a um.
Julgas que vou continuar até te despir por completo.
Mas não.
Em vez disso, surpreendes-te com a minha boca pousada sobre as calças, escorregando por entre os botões afastados, a pressionar algo que encontro já pronto o suficiente para não ser preciso prolongar os começos.
- Ahhh
O suspiro indica-me que queres mais, que afinal consigo excitar-te ao ponto de quereres apressar o jogo, até quereres abrir os olhos, agarrar-me e possuir-me como sabes fazer.
Mas ainda é cedo… neste momento ajoelho-me dentro das tuas pernas, enquanto te abro as calças e meto as mãos pela tua roupa, tocando-te a pele ao de leve, agarrando firmemente e tirando para fora algo duro e entumecido, pronto para dar prazer.
Estás entre os meus dedos, que te percorrem por todo o comprimento, saboreando cada sensação. Sinto-te crescer nas minhas mãos, pedindo atenção, pedindo a minha boca. E é mesmo na boca que te quero neste momento.
Apoio as mãos nas tuas pernas e, de um trago só, engulo-te sem pedir licença.
O calor da minha boca, misturado com o frio do gelo, torna-se insuportavelmente excitante e não resistes a agarrar-me os cabelos, com os dedos presos como quem tenta conduzir sensações.
Mas o prazer é meu.
Sou eu quem se delicia com o teu sabor, com a descoberta da tua pele, da tua temperatura,... é a minha língua que saboreia e molha toda a tua tesão.
Esqueço-me do teu prazer.
A boca completamente molhada desliza como se conhecesse o teu caminho desde sempre, sugando e apertando-te entre os lábios completamente cerrados.
Quase me sinto a engolir-te.
Apetece-me comer-te; começo a sentir-me húmida, com uma vontade imensa de ter toda aquela potência entre as misnhas pernas.
“Deixa-me ver-te… quero ver-te enquanto me chupas” suplicas-me numa voz entrecortada com gemidos de prazer.
Continuo com a língua a medir-te desde cima até abaixo, a esgotar-te a resistência à tentação de me veres, de me tocares e de te enterrares em mim… tiro-te de mim e, com o teu dedo indicador preso na minha boca, subo até bem perto do teu pescoço e murmuro:
- Achas mesmo que, agora, não acontece nada?
Abre os olhos.
Fode-me!

Pé_Descalça

(Texto remetido por e-mail )

SEM PÉNIS E CHEIAS DE INVEJA



A interminável guerra dos sexos:

a causa das coisas.

22 outubro 2006

Roman Dinner


O_Trolha: rssssssssssss
O_Trolha: quantos já comeste hoje?
Eu_Fêmea: estou de papo cheio.
O_Trolha: ehhhhhhhhhhhh
O_Trolha: olha a congestão!
O_Trolha: vomita e volta a comer ... como os romanos.
O_Trolha: tu engoles tudo ou deitas fora?
Eu_Fêmea: engulo tudo. Como tu.
O_Trolha: ó filha, eu só lambo... não engulo
Eu_Fêmea: ai não que não engoles
Eu_Fêmea: remexe lá as tuas cagadelas a ver se não encontras pintelhos até dizer chega.

Fucky buddy

Chegaste
como quem chega,
ansiosa.

Beijaste-me
como quem beija,
em brasa.

Despiste-te
como quem se despe,
com pressa.

Fizemos amor
como quem faz amor,
loucamente.

Viemo-nos
como quem se vem,
intensamente.

Partiste
como quem parte,
sozinha.

21 outubro 2006

As pulsões da «tomatada» versus as pulsões da «mamada».

Ou da interminável guerra dos sexos.

Ou do conflito de gerações das mulheres dos anos 60 com as mulheres do sec. XXI.



Discurso típico de uma mulher dos anos 60: «Mamava-to todo mas ... tem de haver sentimento!».

Discurso típico de uma mulher do sec. XXI: «Mamava-to todo. Até chupo a língua ao dizê-lo!».

Chegará o tempo (não falta muito!) em que os homens dirão às mulheres: «Comia-te toda mas ... tem de haver sentimento!».



Mulheres e homens dos anos 60 e do sec. XXI (de mentalidade, claro!) , qual a vossa opinião?

20 outubro 2006

BRICOLAGE


(Figging é uma prática sexual
que envolve a inserção
de um "dedo" de gengibre no ânus ou na vagina,
provocando uma sensação de "fogo" dito de
prazer indescritível).





FAÇA VOCÊ MESMO

Um pedaço de 10-12 centímetros é cortado e descascado de um "dedo" de raiz de gengibre.
Há-de ter o cuidado de fazer um círculo na base para servir de anteparo de retenção para que a raiz não desapareça. (Risos)
O ideal é fazer a peça em forma de plug (em linguagem de trolha, piroca). A peça é introduzida cinco centímetros na vagina por mais ou menos 5 a 10 minutos.
Após 10 minutos a vagina produzirá secreções em grande quantidade e a sensação de "fogo" dará o tal prazer indescritível.
Pode-se esfregar um pouco de sumo do gengibre sobre o clítoris que certamente acenderá mais ainda a libido.
É bom salientar que os relatos das experiências com o gengibre são descritos como "calorentos" e não tanto de dor, após a sensação de "ardência" cessar.
A sensação descrita como "fogo" sexual ou genital vai diminuindo e após 1-2 horas cessa por completo (isto após a aplicação de no máximo 10 minutos).
A pessoa submetida à aplicação de gengibre irá implorar por sexo imediatamente após a retirada do gengibre.
Vale aqui prolongar o prazer com alguns preliminares comuns, já que o propósito é prolongar o prazer e deixar a «vítima» ansiosa.
E diminui-se o risco de maiores danos, tais como irritação da mucosa, tanto dela como da pele do pénis.
Recomenda-se que a primeira aplicação seja na vagina para haver adaptação às sensações e à ardência inicial.
Para a aplicação no ânus, utiliza-se os mesmos cuidados e técnica igual já descrita acima.
Lavagens de água gelada cortam o efeito e a sensação de queimadura de imediato.

19 outubro 2006

As mulheres usam piercings


As mulheres usam piercings,
fazem tatuagens,
submetem-se à lipoaspiração,
aplicam botox no rosto para disfarçar as rugas,
depilam-se com a pinça ou com cera quente (quase a ferver),
fazem jogging, aeróbica, yoga e abdominais.

E dizem que no cu não, porque dói!!!???

Vão prá puta que as pariu!!!

18 outubro 2006

Cadela no Cio


Quero um homem.
Canalha.
Filho da puta.
Sacana.
Quero entregar-me a um homem
Que saiba comer-me,
Foder-me,
Bater-me,
Fazer-me puta.

Encalhadas desesperadas

Se estiveres encalhada numa fila de trânsito e mudares para a outra faixa,
Continuarás encalhada.
Desencalha-te aqui
No SEXO VIRTUAL!

16 outubro 2006

CAM, SHE CRIED OUT

Apetece_Me diz: CÂMARA JÁ !!!!
O_Trolha diz: já ligo, tem calma. Como estás tu? Quente e a escorrer?
Apetece_Me diz: CORAGEM !!!!!!
O_Trolha diz: tas cheia de tesão!!! Eu quero q fiques assim com muito TESÃO.
Apetece_Me diz: AQUI NÃO TE CAEM OS PARENTES NA LAMA.
O_Trolha diz: não, claro q não
Apetece_Me diz: porque é que a palavra tesão é masculina?
O_Trolha diz: olha boa pergunta
Apetece_Me diz: julguei que era feminina.
O_Trolha diz: tb pode ser. Já tiraste as cuecas fora? Eu já desapertei as calças.
Apetece_Me diz: CÂMARA, CÂMARA, CÂMARA !!!!
O_Trolha diz: Uiii… iiiii…. iiiii …… TANTO TESAO, CARALHO!!!! Eu vou fazer-te sofrer. Ai vou, vou, meu Amor!
Apetece_Me diz: VAMOS HOMEM UN PETIT PEU DU COURAGE.
O_Trolha diz: quero q sofras com a ansiedade q te crio
Apetece_Me diz: convencido.....
O_Trolha diz: quero deixar-te, assim, com vontade, com tesão do MEU CARALHO ….
Apetece_Me diz: tu já n tens esse poder sobre mim
O_Trolha diz: e fazer-te esperar por ele
Apetece_Me diz: só volto a falar quando vir a tua imagem
O_Trolha diz: primeiro tens de suplicar por ele. QUERO Q SUPLIQUES POR ELE. SUPLIQUES POR VER O MEU CARALHO NA CAM
Apetece_Me diz: JE NE SUIS PAS LÁ !!!!!
O_Trolha diz: se não suplicares por ele não to mostro
Apetece_Me diz: então nada feito. Vou fazer óó
O_Trolha diz: deixo-te aí a sofrer cheia de tesão e não vais gozar ao vê-lo
Apetece_Me diz: és 1 convencido de merda.
O_Trolha diz: uiii….. uuiiiii…. uuuiiiii…. Tas aí toda incendiada. Imploras por ele ou não? Tens de suplicar q queres ver o meu caralho.
Apetece_Me diz: seu sacana faz strip para mim ou não faz!!!????
O_Trolha diz: faço.
Apetece_Me diz: se não fazes tu, faz outro
O_Trolha diz: mas primeiro tens de suplicar. Quero ver-te a suplicar para eu fazer isso. Suplica, anda lá.
Apetece_Me diz: olha o meu computador ainda não foi arranjado pode bloquear mas eu volto a ligá-lo.
O_Trolha diz: Ok. Então faz o q eu te mando. Obedece-me!
Apetece_Me diz: aqui quem manda sou eu, os papéis inverteram-se !
O_Trolha diz: hoje sou eu, outro dia podes ser tu
Apetece_Me diz: eu sou a dominadora
O_Trolha diz: não, hoje sou eu
Apetece_Me diz: não, sou eu
O_Trolha diz: outro dia deixo-te ser dominadora, mas hoje sou eu a dominar. Suplicas ou não?
Apetece_Me diz: mostras-te ou aceito outro convite.
O_Trolha diz: estás tão excitada q já não aguentas mais. Aceita outro qualquer. Estás a escorrer toda, eu sabia disso.
Apetece_Me diz: tás a ver como tu achas que sou 1 puta e que qualquer 1 me serve?
O_Trolha diz: eu apenas sei q te excito muito
Apetece_Me diz: tu n me conheces.
O_Trolha diz: foste tu q disseste q ias ser puta de um qualquer
Apetece_Me diz: eu posso dizer o que me vier à cabeça
O_Trolha diz: claro. Eu sei q sim
Apetece_Me diz: saber se é verdade ou não é problema teu
O_Trolha diz: implora q me queres ver a PIÇA! IMPLORA pela piça !!! Vamos !!!
Apetece_Me diz: SACANA DE MERDA MOSTRA ESSA MINI PIÇA JÁ !!!!
O_Trolha diz: quero q implores.
Apetece_Me diz: DE JOELHOS TE IMPLORO QUE MOSTRES ESSE MONUMENTO (EM MINIATURA) JÁ !!!
Apetece_Me diz: ACEITA MINHAS SÚPLICAS !
O_Trolha diz: assim não. Ainda não esta bem De joelhos esta bem. Mas o resto não.
Apetece_Me diz: homem mostra esse caralho enorme !!!!
O_Trolha diz: tem de ser esse caralho enorme e duro.
Apetece_Me diz: esse caralho enorme e duro, já !!!!
O_Trolha diz: suplica !!!!
Apetece_Me diz: de joelhos te suplico o teu enorme e duro caralho !!!!!
Apetece_Me diz: Quero ver esse caralho descomunal !!!!!
Apetece_Me diz: LIGA A CÂMARA, PORRA !!!!!
Apetece_Me diz: olha q eu chamo-te nomes
Apetece_Me diz: eu n sei muitos mas posso enviar-te 1 lista deles
Apetece_Me diz: CCCCAMARAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

15 outubro 2006

Tô me sentindo muito sozinho.

Sozinho

Às vezes no silêncio da noite,
Eu fico imaginando nós dois.
Eu fico ali sonhando acordado
Juntando o antes , o agora e o depois.

Porque você me deixa tão solto ?
Porque você não cola em mim ?
Tô me sentindo muito sozinho.

Não sou nem quero ser o seu dono.
É que um carinho ás vezes cai bem.
Eu tenho meus segredos e planos secretos
Só abro pra você mais ninguém.

Porque você me esquece e some ?
E se eu me interessar por alguém ?
E se ela de repente me ganha ?

Quando a gente gosta,
Claro que a gente cuida.
Fala que me ama
Só que é da boca prá fora.
Ou você me engana
Ou não esta madura.
Onde está você agora ?

(Caetano Veloso)

OPEN SPACE


Open mind .. open legs … all opened.


O_Trolha diz: o amor entre mulheres é um tema q me fascina …..
O_Trolha diz: vá lá saber-se porquê!
A_Berta diz: fascina mts homens ....
A_Berta diz: acho eu.
O_Trolha diz: eu tb acho q sim
O_Trolha diz: o maior fetiche dos homens é estar na cama com duas mulheres q interajam entre si
A_Berta diz: à espera do momento pra ele intervir...... ahahaha.
A_Berta diz: por acaso ando a pensar ler qq dia umas coisas sobre literatura lésbica ...
A_Berta diz: já li alguns gay …
A_Berta diz: e gostei
O_Trolha diz: viu o meu blog?
A_Berta diz: o seu blog é muito confuso.
O_Trolha diz: confuso como?
A_Berta diz: aborda muitos assuntos.
O_Trolha diz: somos eclécticos,
O_Trolha diz: dominamos várias variáveis
A_Berta diz: tou vendo
A_Berta diz: lol
O_Trolha diz: é um blog muito alternativo
O_Trolha diz: e pouco monocórdico
O_Trolha diz: :)))))))
A_Berta diz: tb estou vendo
A_Berta diz: muito falador
O_Trolha diz: e gosta do q vê?
A_Berta diz: gosto... pk nao hei de gostar?
O_Trolha diz: hummmmmmmm
O_Trolha diz: mulher aberta ...
O_Trolha diz: gosto de mulheres abertas.
A_Berta diz: se não gostasse é que era estranho.
O_Trolha diz: eheehehhehehehehh
O_Trolha diz: mulheres com open mind … queria eu dizer.
A_Berta diz: open mind...
A_Berta diz: open legs...
A_Berta diz: all opened
O_Trolha diz: ahahahahhahahahah
A_Berta diz: :P
O_Trolha diz: adorei essa
A_Berta diz: vou-me deitar.

Fim da sessão

14 outubro 2006

Delírios

XY: tu deliras muito
XY: só não deliras comigo, porra!
XY: comigo vai ser diferente
Elle: tu gostas de fufas e cenas de bondage
XY: quero que seja diferente comigo
Elle: não estás na minha onda ou eu não estou na tua, não!
XY: quero que tenhas uma experiência diferente
Elle: lol
XY: quem sabe se não vais gostar?
Elle: não te ponhas com merdas :)
XY: se não experimentas como sabes q não gostas?
Elle: sei que não gosto de ser açoitada
Elle: e basta-me saber esta coisa tão simples para saber tudo
XY: não é isso
Elle: no que a ti diz respeito!
XY: isso não se esgota aí
Elle: ??
XY: é uma coisa muito mais complexa que isso
XY: é dominação versus submissão
XY: mas tem muito de mental
XY: psicológico
XY: tratar-te como puta
XY: tratar-te como uma vadia
XY: como uma ordinária
XY: não gostavas de foder dessa forma?

Fases do amor físico

Fases do amor físico
De: A Imortalidade, de Kundera: O mostrador.

3- A fase da verdade obscena

Algum tempo mais tarde, C convidou-o para sua casa. Era uma mulher quinze anos mais velha do que ele. Antes da entrevista Rubens repetiu diante do seu amigo M todas as obscenidades sublimes (não, já não eram metáforas!) que se propunha a dizer à senhora C durante o coito. Foi um fracasso estranho: antes de ele conseguir a coragem necessária para as dizer, foi ela própria que a proferiu. De novo, Rubens ficou estupefacto. Não só a audácia da parceira ultrapassara a dele como coisa ainda mais estranha, ela usara literalmente as mesmas combinações de palavras que ele passara vários dias a apurar. Esta coincidência entusiasmou-o. Explicou-a através de uma espécie de telepatia erótica ou de um misterioso parentesco de alma. Foi assim que entrou progressivamente na terceira fase: a fase da verdade obscena.

Poesia Desnecessária

sublime
maciço
sólido
real
próximo
presente
quente
escaldante
corpo
movimento
água

pele


anda é sumido!!!

Poesia Concreta


Sublime,
Diáfana,
Etérea
Irreal,
Distante,
Ausente,
Fria,
Gélida,
Estátua,
Pedra,
Mármore.



LINDA, porra!!!!!
Azul

Chumbo
Pesado
Azul que magoa
Triste
Azul que chora
Azul que mata
Azul grito
Azul dum raio
Branco

As últimas páginas do livro, brancas.
Fossem brancas, não as lia
Contornava o seu fim.
O fim era absolutamente desinteressante.
Suspendia a vida
Criava o seu fim.

Cores

Desenhar o desejo com palavras
Desenhar palavras com linhas
Riscar as linhas com cores
Dar cor à distância
Trazer a distância
De longe, longe
Para  perto
De nós.
Fases do amor físico
De: A Imortalidade, de Kundera: O mostrador.

2- A fase das metáforas

Esta taciturnidade, foi-a perdendo a pouco e pouco com o tempo; achou-se extremamente audicioso no dia em que, pela primeira vez, designou em voz alta diante de uma rapariga certa parte do corpo dela. A audácia, para dizer a verdade, era menor do que ele pensava, porque a expressão utilizada era um diminutivo meigo ou uma perífrase poética. No entanto, sentia-se arrebatado pela própria coragem (surpreendido também por ver que a rapariga não lhe impunha o silêncio) e pôs-se a inventar as metáforas mais alambicadas para falar, por meio de um desvio poético, do acto sexual. Era a sua segunda fase: a fase das metáforas.

13 outubro 2006

shibari

Trolha: não me quer revelar uma fantasia ou fetiche seu?
Dorei: sabe...
O_Trolha: sem segundas intenções … está protegida pelo anonimato.
Dorei: não sou exibicionista.. nem voyeur
Dorei: respondido?
O_Trolha: não
Dorei: e … no dia em que eu fosse ... parava o suficiente para lhe contar uma fantasia
O_Trolha: não respondido
Dorei: se encontrasse a minha fantasia escarrapachada no seu blog…
Dorei: meu amigo… ia atrás de si como um cão de fila
O_Trolha: ai sim????
O_Trolha: posso tentar adivinhar?
Dorei: o quê?
O_Trolha: qual é a sua fantasia
Dorei: desde que seja rapidinho
O_Trolha: spanking?
Dorei: rrsss
Dorei: não
O_Trolha: ser amarrada com cordas ... e suspensa no ar?
Dorei: uiui …. uiii ….uiiii…
Dorei: até me babo só à menção de tal…
Dorei: que doidinha fico!
Dorei: uiuiuiuiuiuiui
Dorei diz: enfim!
O_Trolha: ai sim???????
O_Trolha: esse fetiche é muito vulgar no Japão
O_Trolha: aqui ainda é pouco vulgar
Dorei: Shibari?
O_Trolha: isso mesmo. Shibari.
O_Trolha: hummmmmmmmm
O_Trolha: vejo que conhece o assunto
Dorei: conheço sim
Dorei diz: É a minha posição preferida para dormir...
Dorei: não consigo adormecer sem ser assim
O_Trolha: hã??? adormece amarrada?
Dorei: SEMPRE!
Dorei: pronto… descobriu-me .... lol
O_Trolha: hummmmmmmm
O_Trolha: interessante
Dorei: se não for assim não durmo bem
Dorei: quando fico num hotel...
Dorei: suborno o gajo do room de serviço ...
Dorei: sem meia dúzia de voltas de corda bem apertada ... não tenho paz!
Dorei: amarra-me... deixa-me feita num feixe em cima da cama.
Dorei: o gajo do Tivoli é fantástico nisso
Dorei: o do Ibis nem por isso
O_Trolha: o que aqui se aprende!
O_Trolha: e não se excita sexualmente com isso?
Dorei: não
O_Trolha: julguei q isso estava associado ao prazer sexual.
Dorei: não
Dorei: é muito mais à frente … muito mais à frente.
Dorei: agora... boa noite trolha
O_Trolha: boa noite


Fim da Sessão

Aspiradores



Bosch é bom ? Não.


Boche é brom!

12 outubro 2006

BRICOLAGE


FAÇA VOCÊ MESMO

Propõe-lhe um jogo.
Pede-lhe que vista um vestido ou uma saia curta e se sente sozinha na esplanada de um café de perna cruzada.
Desafia-a a atrair os olhares masculinos circundantes a cruzar e a descruzar as pernas com as coxas à mostra.
Ficas numa mesa mais afastada, observando-a e avaliando o seu poder de atração e de sedução.
Vais gostar de perceber que os outros a desejam, mas que ela é tua e que só tu tens a felicidade de usufruir dos seus encantos.



177 façons d'emmener une femme au septième ciel, par Margot Saint-Loup.Tradução (livre): O_Trolha
Série: Fases do amor físico
De: A Imortalidade, de Kundera: O mostrador.

[A maneira interessante (onde se misturam acontecimentos prováveis, conclusões e humor) como Kundera analisa e descreve as diferentes perspectivas do amor físico que Rubens encontra e sente no decorrer da sua vida.]

1- A fase do mutismo atlético

Quando era muito jovem, não se atrevia a confessar a uma mulher as suas fantasias eróticas. Julgava-se obrigado a transformar toda a sua energia amorosa numa proeza física espantosa realizada sobre o corpo feminino. As suas parceiras, não menos jovens, eram aliás da mesma opinião. Lembrava-se vagamente de uma delas, designemo-la poe letra A, arqueara-se de súbito enquanto faziam amor, apoiando-se nos calcanhares e nos cotovelos, erguendo-se como uma ponte; como Rubens estava deitado por cima dela, perdera o equilíbrio e por pouco não caíra da cama. Este gesto desportivo foi para ele rico em significações passionais, pelas quais ficou reconhecido à amiga. Estava a viver então a sua primeira fase: a fase do mutismo atlético.

Cor

Still Life with Apples on a Pink Tablecloth - Matisse, Henri

11 outubro 2006

O Rei vai nu

Sensações/Certezas/Vontade de dizer/Não dizer

O rei vai nu.
(não há uma que se aproveite)
Lua

Ela encontrava sempre a razão de tudo. Era destemida, optimista, alegre. A lua brilhava porque era de noite, era da cor das nuvens porque era de dia. O amor era de fácil compreensão, a dor combatia-se, a tristeza era um pôr de sol, morrer era um fim e um princípio. O que entendia prendia-a, segurava-a, e sentia-se forte, pronta. E tudo seria simples. Tudo seria assim, se por vezes não lhe escapasse o seu ser tão breve e tão ténue como um pensamento que não se segura. Então sentia a dúvida, o desiquibíbrio de começar a desprender-se do solo. Que força era essa que a arrancava e a deixava suspensa, desamparada, em constante risco de queda? Que poder, que encanto, existia para além da sua alma? E subia, subia. Ficava distante, arredondada, translúcida, cor das nuvens. Ela era a lua.

10 outubro 2006

ELOGIO DA MASTURBAÇÃO

SINOPSE

Elogio da masturbação de Philippe Brenot

Brenot, psiquiatra, antropologo e professor de Sexologia, descortina aqui o tabu implícito da masturbação, reabilitando o mais natural, o mais normal, o mais necessário e o menos compreendido e estudado tema de nossa sexualidade.

(publicado em Portugal pela Campo das Letras).


ESPERO POR TI

Não tenho pressa.
Ouve os meus silêncios.
Eu espero por ti.

09 outubro 2006

VOYEURISMO


De acordo com os dados do Google Analytics , desde 19/09/2006, cerca de 900 «users» acederam a este blog tendo visualizado, em média, 6 páginas cada um.




Te olho
me molho

Leila Mícollis

VIVER

Porque os outros esconjuraram os seus fantasmas e tu não;
Porque os outros exorcizaram os seus medos e tu não;
Porque os outros saíram do armário e tu não;
Porque os outros abriram as janelas e tu não;

Eles vivem e tu não!


(homenagem à grande poetisa Sophia de Mello Breyner Andersen)

08 outubro 2006

Metamorfoses do dedo grande do pé

O_Trolha diz: que tens vestido?
Zabelocas diz: t-shirt e sem nada por baixo :)
Zabelocas diz: lol
Zabelocas diz: desapertada, quero eu dizer .
O_Trolha diz: uiiiiiiiiiiiii
O_Trolha diz: apenas uma t-shirt?
O_Trolha diz: assim, tens tudo à mão.
Zabelocas diz: loll
Zabelocas diz: ao pé, sff
O_Trolha diz: hã???
Zabelocas diz: sento-me sempre com um pé debaixo do rabiosque :)))
O_Trolha diz: uiiiiiiiiiiiii!!!
O_Trolha diz: cuidado com o dedo grande do pé!
O_Trolha diz: ele é muito malandro...
Zabelocas diz: é grande... tá tudo dito
Zabelocas diz: lol
O_Trolha diz: pois...
Zabelocas diz: pois ....
O_Trolha diz: vê lá se ele escorrega e entra onde não deve!!!!
Zabelocas diz: se entra é porque deve!!!
Zabelocas diz: :)
Zabelocas diz: lol

As metamorfoses do polegar

Kundera

Mais tarde, enquanto fazia amor com essa mãe que defendia o direito do seu filho à sucção, Rubens colocou o seu próprio polegar entre os lábios dela; virando lentamente a cabeça para a direita e para a esquerda, ela pôs-se a lamber-lho. Com os olhos fechados, imaginava-se possuída por dois homens.

Esta breve história assinala uma data importante para Rubens, pois levou-o a descobrir um meio de experimentar as mulheres: punha-lhes o polegar nos lábios e observava a reacção delas. As que o lambiam eram indubitavelmente atraídas pelo amor plural. As que o dedo deixava indiferentes eram irremediavelmente surdas perante as tentações perversas.

EU SEI

Eu sei
Que tu meu Amor,
Talvez hoje, talvez amanhã, talvez ontem, talvez nunca,
Vais compreender.

O MARICONSO

XY: fodes na real ou gostas mais de sexo virtual?
Elle: do q tu gostares, eu gosto
XY: ah sua putona !
Elle: ah seu cabrão cornudo!
XY: o que tu queres sei eu!
XY: um caralho de cavalo ....
XY: para te foder até às entranhas
Elle: és adivinho para toda a gente ou tens esse jeitinho especial só para mim?
XY: deves estar aí toda aberta já
XY: a escorrer-te toda
XY: com a cona aos saltos
XY: a sentir o pulsar do coração
Elle: aos saltos???
Elle: ah, assim está melhor
Elle: exacto
XY: a palpitar com o pulsar do coração
Elle: imaginas bem a coisa... quer dizer, a cona
XY: e os lábios abertos, retesados
XY: a escorrer o fluido do amor
XY: deves estar com ela louca, aos saltos
Elle: infelizmente não é bem o caso
Elle: hoje estou calma
Elle: lol
XY: abocanhavas qualquer caralho que te aparecesse na frente
XY: tu deves gostar de o mamar ...
XY: de o chupar bem chupado ...
XY: de passar a língua na cabeça do caralho maluco ...
XY: naquela rachinha ....
XY: passar a língua lá dentro...
Elle: yah
XY: com a pontinha da língua.
Elle: curto essas cenas a valer!
Elle: até e por acaso
XY: dentro da rachinha
XY: e pô-los aos saltos
XY: os gajos nem se aguentem com tanto prazer
Elle: :)))))))))
Elle: até guincham
Elle: lá isso é :)
XY: sua puta !
XY: ainda gozas sua ordinária !
XY: sua vaca !
XY: sua vadia !
XY: fode-te sua putona !
XY: fode-te sozinha com um vibrador de 25 cm !
Elle: lololol
Elle: e contigo a ver, não???
Elle: isso é que ia ser
Elle: vinhas-te sem te tocares
XY: era
XY: gostavas dessa cena ?
Elle: claro q era
XY: sua depravada!
Elle: gostava
XY: gostavas de ver a cena ?
XY: e vinhas-te toda também ...
Elle: numa cena dessas até alinhava
XY: isso ia ser um orgasmo avassalador.
XY: em que outras cenas alinhas tu ?
XY: um gajo a enrabar-te e eu a foder-te a cona ?
XY: alinhas ?
XY: se alinhares trata-se disso
XY: ou preferes três ?
XY: tu fazeres um broche a outro
Elle: tanto faz
XY: alinhas nessa ?
Elle: é menos provável, do q com a cena do vibrador
XY: preferes o vibrador ...
XY: dá-te mais tesão na cona
Elle: para já, no meu imaginário, sim :)
XY: pode-se arranjar essa cena
Elle: lol
Elle: mas que é q isso te interessa?
XY: tu moras onde ?
XY: eu alinho nessa cena
Elle: moro no Porto.
Elle: e tu???
XY: Lx
XY: é longe mas pode-se arranjar
XY: nunca vens a Lx ?
Elle: não
XY: eu sou viajante
XY: vou ao Porto também
XY: dá o teu TM
XY: para contacto
Elle: não dá
XY: não dá
XY: não entendo
XY: tu és uma gozona
XY: se calhar es um gajo
XY: deves ser um mariconso !
Elle: sou transexual, pois
Elle: tenho a minha coninha cirúrgica
Elle: as minhas maminhas de silicone
XY: eu vi logo
Elle: essas coisas
XY: putona como tu só mesmo os mariconsos
XY: uma mulher não respondia como tu
XY: eu vi logo que eras um mariconso
Elle: não te importas de dizer gay em vez de mariconso?
XY: olha vai-te foder e fode-te !
Elle: é q mariconso é termo lá da merdaleja
Elle: fica mal aqui neste sítio tão cheio de tecnologia como é a net
Fim da Sessão: Sat Dec 17 02:31:56 2005

07 outubro 2006

a Rã e o Beija-Flor

O mundo que me deslumbra
Não é o meu mundo
Não tem espaço para mim

O mundo que me deslumbra
Não tem charcos lamacentos
Não tem vermes e podres
Não cheira a lodo, não tem sombras
Não tem grasnares nem zunidos
Não tem dor nem morte

O mundo que me deslumbra
É de longas estradas de luz
É de pétalas e diamantes
É de brisas murmurantes
É etéreo e imortal
É de paixão e vida

No mundo que me deslumbra
Não poderia morrer

O mundo que me deslumbra
Não é o meu mundo

Diálogo Kafkiano

ASSERTIVIDADE

Se queres foder vamos foder
mas não me fodas o juízo.

To be or not to be ....

Amo-te!
A sério?
A brincar?
Vou deixar-te a pensar.

06 outubro 2006

ORGASMO CONTIDO

O_Trolha diz: estavas à minha espera?
Preciosa diz : sim. Estava à tua espera.
O_Trolha diz: fizeste o que te disse?
Preciosa diz: fiz.
O_Trolha diz: diz-me como te sentiste.
Preciosa diz: quando falei contigo ao telefone estava como me disseste e ainda estou: despida da cintura para baixo.
O_Trolha diz: e depois de te despires …. ficaste calma ou excitada?
Preciosa diz: fiquei excitada
O_Trolha diz: excitada como? diz
Preciosa diz: a desejar- te muito
O_Trolha diz: e... mais ...
Preciosa diz: estava à tua espera
O_Trolha diz: ficaste molhada ?
Preciosa diz: sim
Preciosa diz: enquanto falava contigo ao telefone acariciei-me
O_Trolha diz: diz-me em pormenor o que fizeste, quero saber os pormenores todos
Preciosa diz: passei a minha mão pelas minhas pernas, tentando sentir as tuas
O_Trolha diz: sim...
Preciosa diz: e acariciei o meu clítoris lembrando-me de como tu como fizeste na Nazaré
O_Trolha diz: sim....
Preciosa diz: ouvia a tua voz e sentia-te a meu lado
Preciosa diz: queria tanto ter podido tocar-te!
O_Trolha diz: vieste-te?
Preciosa diz: sim ao som da tua voz
O_Trolha diz: conta-me como foi o teu orgasmo
Preciosa diz: foi de certa maneira contido, pois não queria que te apercebesses do outro lado.

O guanixim

O_Electricista diz: tu não tens pneus....
sinuosa diz: tenho, amor
sinuosa diz: oh se tenho!
O_Electricista diz: são meras curvas sensuais
sinuosa diz: tens que os apalpar para acreditares, estou a ver :)
O_Electricista diz: o melhor seria eu a apalpar... mas dada a distência...
sinuosa diz: quando eu voltar aí vou virar-me do avesso para te ver
O_Electricista diz: do avesso não deves ser lá muito agradável de ver... mas está bem...
sinuosa diz: pronto, viro-me de costas...
O_Electricista diz: as mamas ficam para dentro.... o rabo também...
sinuosa diz: aposto que assim gostas muito mais :P
O_Electricista diz: de costas??? juras????
O_Electricista diz: (até fico com palpitações...)
sinuosa diz: desde q não entres em choque...
sinuosa diz: palpita para aí :)
O_Electricista diz: o choque seria outro.... frente contra traseiras... (era culpa minha...)
sinuosa diz: ah... pagavas a conta do bate chapa?
O_Electricista diz: não ficavas amolgada.... apenas te ressentias do choque... custar-te-ia a sentar duranrte 2 dias e depois passava...
sinuosa diz: estás mesmo con intenções de seres bruto...
sinuosa diz: ainda volto atrás nas minhas propostas, assim...
O_Electricista diz: não.... por trás pratica-se uma cópula muito aprazível...
sinuosa diz: como é q sabes????????
O_Electricista diz: as mão ficam livres para acariciar as mamas, as coxas...e o resto...
O_Electricista diz: eu não sou virgem
sinuosa diz: não...?
sinuosa diz: há quanto tempo?
O_Electricista diz: não...
O_Electricista diz: o meu primeiro contacto sexual foi aos 4 anos... com um guaxinim...
O_Electricista diz: jogos de sedução...
sinuosa diz: q é um guaxinim?
O_Electricista diz: é um animal que vive em árvores e tem uma espécie de máscara.. tipo zorro...
sinuosa diz: lol
sinuosa diz: e onde tinhas o bicho?
O_Electricista diz: se calhar tive relações com um qualquer vizinho mascarado de zorro no carnaval... por isso gostava tanto de recordar segundo a segundo a minha vida passada...
O_Electricista diz: mero discurso surrealista...

Saudade



O_Electricista: amor!
sinuosa: querido!
sinuosa: cada dia que passa te amo mais
sinuosa: não sei onde este amor irá parar
sinuosa: sou uma explosão eminente
O_Electricista: ataste um cinto de bombas à cintura???
sinuosa: não, não tenho um cinto de bombas na cintura
O_Electricista: que te leva a explodir, então????
O_Electricista: a tesão???
sinuosa: tenho uma bomba orgânica, viva, palpitante, que me dói quando te vejo
sinuosa: e está dentro do meu peito
O_Electricista: mas tu ainda não me viste...
sinuosa: ok
sinuosa: quando te sinto perto
O_Electricista: liga a web cam...
sinuosa: tens saudades de mim?
O_Electricista: imensas!!!
sinuosa diz: e se eu não estiver bonita?
O_Electricista: impossível!!!
O_Electricista: linda!!!!
sinuosa: quero ver-te, liga a web cam
O_Electricista: olá paixão...
sinuosa: minha carinha toda doce, doce :)
O_Electricista: meu mel... minha carícia emocional...
sinuosa: deixas-me sem jeito
O_Electricista: tu sofocas a inspiração...
sinuosa: devia era inspirar-te
sinuosa: afinal não queres fazer uns quadros?
O_Electricista: a emoção é tanta que fica tudo num turbilhão imenso de ideias... um verdadeiro engarrafamento emocional...
sinuosa: oh... faz assim
sinuosa: morde o dedo como se mordesses o meu....
sinuosa: tenho um baton vermelho vivo
O_Electricista: (assim excito-me...)
sinuosa: gostava de te marcar o rosto com ele
sinuosa: e depois lamber o baton com a língua
O_Electricista: até já se me estão a dar os calores..
sinuosa: e como não sai com facilidade
sinuosa: lamber-te-ia as marcas durante muito tempo
O_Electricista: todo esse tempo me saberia a pouco...
sinuosa: uma maneira de o tempo não saber a pouco, é ficar na memória
sinuosa: depois... fechar os olhos e revivê-lo

05 outubro 2006

A HORA DO LOBO

SONHO OU REALIDADE ?



Era uma noite de Agosto.Noite abafada de Agosto.
Por vezes, soprava suave e quente uma aragem seca que fazia esvoaçar as cortinas brancas das janelas, abertas de par em par.

A luz da lua cheia ofuscava as estrelas à sua volta. E de quando em vez penetrava na sala semi obscura através das cortinas desfraldadas.

Estava só, sentada frente ao computador, entretida naquela conversa fiada, feita de mentiras e meias verdades, dum chato qualquer.Mas a expressão dela era de tédio e aborrecimento.A conversa seguramente não a entusiasmava.

Pedro, o seu marido, saíra como de costume, para ir beber uns copos com os amigos. E era certo e seguro que, antes das 3 horas, 4 horas da manhã, não apareceria.

De repente, sem ela o pressentir, alguém que se aproximara silenciosamente, lhe tapa os olhos com as mãos.A sua reacção imediata foi procurar as mãos que lhe tapavam os olhos para tentar saber quem era o intruso. Mas, estranhamente, não sentiu o mais pequeno receio.As suas mãos eram delicadas, com os dedos esguios e as unhas cortadas rentes.

- Hum.....És o Pedro. Sei que és tu. Eu conheço-te pelo cheiro do perfume. Deixa-te de brincadeiras!
- Porque vieste tão cedo?

Mas ele nem uma palavra.Ela com as mãos apalpou-lhe a roupa. Ele trazia vestido umas calças de ganga, cinto largo e uma camisa de manga curta de algodão. Tal como o Pedro se vestira quando saíra de casa.

- Deixa-te de fitas. És o Pedro. Sei que és tu. Porque me fazes isso? Nunca me fizeste isto. Que te deu? Deve ser por estar lua cheia, queres ver!!!! ????

Num gesto brusco e repentino ele tirou-lhe as mãos do rosto e sem que ela tivesse tempo de o observar tapou-lhe os olhos com um pano preto de algodão macio.Ficou mergulhada na escuridão mais absoluta.

Mas não resistiu. Começou até a achar piada à situação.

- Está bem, queres brincar, brinca ....até estou a achar piada. Estou a adorar... Continua....amor, continua........

Ao dizer isto todo o seu corpo estremeceu ...... os seios começaram a ficar entumecidos e os bicos retesados..... O coração batia forte.... cada vez com pulsações mais fortes.O seu corpo começou a ficar quente e a sua cara rosada de prazer.Mas ela permaneceu imóvel. Sem dizer uma palavra. Numa espécie de sonho.

Estremeceu quando sentiu a sua mão tacteante, extremamente inábil e nervosa, sob a sua roupa.Ela sentiu o coração dele a bater com força e a sua respiração ofegante.

Então ele de forma delicada puxou para cima a camisa de noite de alças que vestia. Retirando-a completamente através da cabeça.Ela ficou apenas com as calcinhas de seda cor de fogo vestidas. Puxou-lhe lenta e cuidadosamente as calças de seda até aos pés, tocando-lhe o corpo quente e macio.A sensação de prazer dela era enorme.... quase que não se continha .... queria pedir-lhe que a possuísse ali mesmo.Mas manteve-se imóvel e calada como se estivesse adormecida.

Ele com os seus braços fortes e musculosos pegou nela ao colo e foi deitá-la no sofá da sala de couro coçado. Colocou a cabeça na ponta mais elevada do sofá, estendendo-a ao comprido de maneira a ela ficar numa posição confortável.

Começou a beijá-la suavemente e com uma ternura apaixonada, na cara, na testa, no cabelo, no pescoço.Ela permanecia imóvel, paralisada. Confusa ainda com a situação.Ele com a ponta dos seus dedos longos e delicados começou-lhe a fazer suaves massagens circulares nos seus seios firmes e hirtos, dando-lhe pequenas dentadinhas nas orelhas, no pescoço e nos mamilos erectos.

Ela instintivamente encolheu as pernas, contorcendo-se de prazer e esfregando-as uma na outra.Ele começou a massajar-lhe os pés. Comprimindo-os dentro da sua mão com o dedo polegar fazia-lhe massagens suaves nos dedos dos pés.Ela cada vez mais se contorcia de prazer.

Sentia-se toda molhada e com vontade de gritar. Mas conteve-se. Estava num desejo expectante.Ele acariciava-lhe suavemente as nádegas redondas e firmes procurando com esforço que ela abrisse as pernas de modo a tocar a sua vagina molhada de prazer.

Ela contorceu-se de novo, abrindo ligeiramente as pernas como que a convidá-lo a tocar-lhe.Sentia um formigueiro de desejo no clitóris palpitante. Tinha de tocar-lhe.Ele adivinhou os seus desejos e com a ponta do indicador começou a massajá-lo de forma muito leve de início, aumentando de intensidade quando ela começou a ter ligeiras convulsões.Ela não aguentou mais.

- Amor possui-me, põe-te em cima de mim, penetra-me toda. Não aguento mais este sofrimento. Enfia-mo todo dentro da rata! Fode-me com força!

Ele num movimento rápido baixou ligeiramente as calças e introduziu o seu caralho bem teso como faca quente em manteiga derretida. E com movimentos firmes e ritmados punha-la cada vez mais louca de prazer.

- Fode com mais força, mete esse caralho bem no fundo do meu corpo, atravessa-me toda. Eu sou a tua escrava, eu sou a tua puta, bate-me, trata-me mal. Mais ..mais ...mais.......... Assim, assim, com mais força, com mais força !Ah........Ah.............Ai.........Ai......Ai .... Mais........ Mais...... Força........ Mais força......... Mais...... Amor..... Amôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôr!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

(Estou toda molhada, molhada....toda....molhada de ti...)

Ele, num gesto rápido, puxou as calças para cima, saltou do sofá, e esgueirou-se pela janela que a cortina mal tapava, saltando para a rua a 1,5 metros de altura.

E ela ficou ali absorta durante alguns minutos até que decidiu tirar a venda dos olhos.

Olhou para todos os lados e não viu ninguém. Chamou pelo Pedro. Mas do Pedro nada. Procurou-o pela casa toda. E nada.Foi sentar-se novamente no sofá e assim permaneceu longos minutos...até que adormeceu.

Acordou com o barulho de uma chaves a abrir a porta.

(continua)


Sonho ou realidade? Comenta aqui

Palavras

Minha vida

As suas palavras são a força da natureza.
São a terra o fogo o ar a água.
As suas palavras fodem-me de paixão.
As suas palavras são a minha vida.

A vida

A Vida

As suas palavras são a força da natureza.
São a terra o fogo o ar a água.
As suas palavras fodem de paixão.
As suas palavras são A Vida.
Crítica literária

sinuosa: que revista é essa?
O_Trolha: uma revista semanal com muita tiragem
O_Trolha: é das que têm mais tiragem
sinuosa: não conheço...
sinuosa: mas não gosto do que ela escreve no blog
O_Trolha: pois...
sinuosa: já vi e não gosto
sinuosa: no entanto entendo que tu gostes
sinuosa: faz o teu género de prosa :)
O_Trolha: é muito cor de rosa
O_Trolha: muito certinho e bonitinho
sinuosa: é...
sinuosa: enjoativo
sinuosa: sem cinzas :)
O_Trolha: mas agora também tem textos com escravos e tudo
O_Trolha: está a entrar no bom caminho
O_Trolha: lol
sinuosa: ahahahah
sinuosa: doido
O_Trolha: ehehheeh
O_Trolha: olha lê um dos últimos contos dela
sinuosa: achas?
sinuosa: tsss
O_Trolha: blargh
O_Trolha: lol

04 outubro 2006

O mar

A Mar, o nome do amor do mar.

Rosa e Cinza

Rosa e cinza

Mordo-te a boca
No olhar o mar turva
Da garganta, a vaga
Afasta-te as mãos
A dor escorre
Mergulha
Em rosa
Cinza

Ferida

Ferida

Muito do nosso “penso” de pensar é como os outros pensos. Os das feridas. Protectores. Descartáveis. Deitamos fora e voltamos com um penso parecido.
Não podemos passar sem ele. Andamos sempre em ferida.

O Trolha quer ler-me a sina

O_Trolha a ler-me a sina


O_Trolha: ele quer impressionar-te
O_Trolha: é um triste
O_Trolha: e tu deixas-te impressionar por isso ....
sinuosa: ouve lá !
sinuosa: não achas q ele já me impressionou?
O_Trolha: eu sei o q te deixa eufórica
O_Trolha: fora de ti
O_Trolha: sem controlo
O_Trolha: e não é isso
O_Trolha: tu um dia vais encontrar o homem q te vai deixar assim .....
sinuosa: lol
O_Trolha: fora de controlo
O_Trolha: e aí vais sofrer e muito
O_Trolha: eu sei o q te deixa fora de controlo, Sinuosa !
sinuosa: achas q é este?
sinuosa: ai meu deusssss !!!!
O_Trolha: não é este, não
O_Trolha: ainda não o encontraste
O_Trolha: mas eu sei as características dele
O_Trolha: e vais andar a arrojar-te aos pés dele
O_Trolha: vais andar a mendigar o seu amor
sinuosa: lol
O_Trolha: tu um dia vais deparar-te com ele
O_Trolha: olha para o q e te digo
O_Trolha: e vai ser a tua desgraça
O_Trolha: vai fazer de ti gato sapato
O_Trolha: tu no fundo buscas isso mesmo
O_Trolha: essa tua inquietação interior toda vai desaguar aí
O_Trolha: a tua ânsia de procurar vai acabar aí
O_Trolha: e o teu fim será trágico.
Originalidades de todos nós

É mais importante para mim, fazer uma coisa de que me orgulhe do que uma de que não me arrependo.

03 outubro 2006

Merengue


Rapis: vim dum baile
Milene: ui ui
Milene: deves estar cansado, então
Rapis: tou
Rapis: e de pau feito
Milene: a sério?
Rapis: sim
Rapis: uma mulata
Milene: ai o caraças
Rapis: merengue
Milene: a sério?
Rapis: sim
Milene: q raio de baile foi esse?
Rapis: acho que ela se veio
Milene: q cena!!!!
Rapis: revirava os olhos e tudo
Milene: nem acredito no q estou a ler
Milene: agora tens q ir para a casa de banho tratar disso
Milene: estás fartinho de saber como é q essas coisas acabam

02 outubro 2006

Canção


Embora eu seja uma pobre puta,
meu coração inflama-se com o canto
enquanto a tarde é jovem ainda.
Meu coração inflama-se com o canto,
embora eu seja uma pobre puta.


Poema do Povo Pimas
América do Norte

O Homem Trolha

Em debate: O HOMEM TROLHA

Homem: revela o Trolha que há em ti.
Mulher: descobre o Trolha que há em cada homem.

Propõe-se discutir este tema em frente a um monitor de PC ligado à net na página do SEXO VIRTUAL e fazendo uso do teclado.

1- O que é o Homem Trolha
2- O Homem Trolha visto no contexto bio-psico-sócio-cultural
3- A evolução do Homem Trolha
- O passado: o Homem Trolha no tempo dos nossos avós
- O presente: oHomem Trolha nos nossos dias
- O futuro: o Homem Trolha em vias de extinção?
4- A sexualidade do Homem Trolha
- Como se revela
- O que esconde
5- Pesquisas e depoimentos

Inscrições na caixa de comentários deste post.
As vossas opiniões, caso se justifique serão publicadas no SEXO VIRTUAL.
Sejam participativos.

SEXO VIRTUAL

Penso em ti,
Na casa que não sei,
No quarto que não vi
Na confusão das roupas,
Espalhadas por aí…
Percorro, devagarinho, o teu corpo.

(Paula, obrigado!)

01 outubro 2006

OUTONO


Les feuilles mortes se ramassent à la pelle,
Les souvenirs et les regrets aussi
Et le vent du nord les emporte
Dans la nuit froide de l'oubli.

Tu vois, je n'ai pas oublié
La chanson que tu me chantais.
(Yves Montand)

Chupar a língua



O_Trolha diz: olha, morde aqui a ver se eu deixo!
Afrodite diz: ehehehehehe
O_Trolha diz: isso querias tu!
O_Trolha diz: mas eu não deixo.
Afrodite diz: e trincar, posso?
O_Trolha diz: não.
O_Trolha diz: só chupar ou mamar.
Afrodite diz: mamar.
O_Trolha diz: nada de trincar !!!!!!
Afrodite diz: quero mamarrrrrrrrrrrrrrrr !!!!
O_Trolha diz: uiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!a fominha deve ser muita !!!
Afrodite diz: até chupo a minha língua ao dizê-lo !!!!

Quando O_Trolha apareceu disfarçado de G_Spot (parte última, ufffffff!)


G_Spot: também busco aqui aquilo q não encontro no meu casamento
G_Spot: aventura e sedução
G_Spot: e julgo q ambos procuramos aqui aventura e sedução
Milene: ah, o G_Spot: assume??
G_Spot: Claro, a esta hora da madrugada assumo tudo
G_Spot: e estou preparado para tudo
Milene: q corajoso :)
G_Spot: muitos homens assumiriam também
G_Spot: e você assume ou não?
Milene: não :)
Milene: essas coisas eu não assumo
G_Spot: não assume q procura aqui aventura e sedução?
Milene: deixo para o outro adivinhar :)
G_Spot: ahhhhhhhhhhhhh
Milene: não, não assumo
G_Spot: a subtileza feminina
G_Spot: aposto q esta nossa conversa a despertou
G_Spot: e q fez subir o nível de adrenalina no sangue
Milene: despertou a subtileza ou a mim? :)
G_Spot: a despertou a si
Milene: nem por isso
Milene: estou no mesmo estado emocinal e de vigília q estava no princípio da nossa conversa...
Milene: porque disse isso?
G_Spot: também temos mantido esta conversa num nível elevado
Milene: lol
G_Spot: embora se note de parte a parte a intenção de cada um seduzir o outro
G_Spot: por isso eu pensei q o seu nível hormonal se tivesse alterado
G_Spot: nada mais fácil
Milene: eu não o estou a seduzir, conscientemente, não o assumo
Milene: assumo talvez
Milene: estar a exercitar os meus dotes de diálogo
G_Spot: verifico q é bem dotada para o diálogo. No restante acha-se uma mulher bem dotada ?
Milene: claro
G_Spot: quando se olha na casa de banho , toda nua, o q vê no espelho?
Milene: vejo-me toda nua :)
G_Spot: e gosta do q vê no espelho?
Milene: sei lá
Milene: às vezes sim, outras vezes não
Milene: e você?
G_Spot: eu gosto muito de me ver ao espelho todo nu
G_Spot: e imagino q uma mulher ao ver o meu corpo se deverá excitar
Milene: bom nível de auto-estima! :)
G_Spot: por acaso tenho
G_Spot: a minha auto estima está num patamar elevado
Milene: nota-se...
G_Spot: nota-se???
G_Spot: ainda bem q se nota
Milene: só se eu fosse ceguinha é q não via :)
G_Spot: nada fiz por isso ser publico e notório
G_Spot: mas se diz q se nota, óptimo
G_Spot: ainda ninguém por aqui comeu o G_Spot
Milene: nem uma dentadinha?
G_Spot: nem uma dentadinha
G_Spot: já vejo q lhe agucei o apetite
G_Spot: e quer dar uma dentadinha no Spot
Milene: lol
G_Spot: isso quer dizer sim
G_Spot: na linguagem subtil das mulheres
Milene: sinceramente, não
Milene: estive a brincar
Milene: eu gosto de brejeirices
Milene: e sou-o, sem ser ordinária, acho
G_Spot: a brejeirice faz parte do jogo amoroso e do jogo da sedução
Milene: concordo
G_Spot: noutra altura seremos o dois brejeiros
G_Spot: promessa de escuteiro

A Hora do Lobo

Faltam 6 dias para a lua cheia.

Nesse dia, acontecerá aqui a Hora do Lobo.

Assíduos leitores deste blog, estejam atentos.