28 dezembro 2006

FLORIBELLA


Minhas Calcinhas

Minhas calcinhas
bem as dispensaria
pois quando as tenho
estou em calmaria.

Melhor mesmo
é não tê-las
Seja com rendas
ou sem elas.

Na minha vaidade e luxúria
quero que meu homem
das rendas e transparências
fizesse tirinhas.

Rasgando-as
entre dentes e urros
numa plena demência
(..........................)

E que minhas calcinhas
sejam sempre
motivos de muita folia

Vanderli Medeiros

4 comentários:

Trolha disse...

Nem um comentariozinho?

A menos a dizer q o poema era lindo. Ou q as cuequinhas de renda da menina lhe asentavam bem.

Suas invejosas!!!!

Anónimo disse...

Não aceito, porque detesto cuecas com mariquices.
Isabela

luz branca disse...

O rabo é mesmo todo BOM!

Trolha disse...

Finalmente, uma MULHER assumida.
Só por isso, PARABÉNS.