29 março 2009

Amor proibido

No dia em que me AMARes, entrarás dentro de mim

Um dia, meu Amor,
Entrarei dentro de ti
Correrei nas tuas veias
Serei a seiva da tua Vida
A adrenalina da tua euforia
A droga da tua loucura.

Dissolve-me!
Absorve-me!
.


NR: Antes que alguém se lembre e me venha cobrar uma explicação, quero salientar o seguinte:
O verbo “entrar” significa “ir para dentro”, pelo que a expressão “entrar para dentro” repete a ideia já contida no verbo. Este erro tem o nome de pleonasmo, mas o pleonasmo também pode ser usado literariamente como uma figura de estilo, quando se pretende salientar uma ideia.

29 comentários:

vita disse...

Que esse dia chegue rápido;)

Bom domingo, beijo

Trolha disse...

Querida Vita,
Assim o espero.
Beijo e bom Domingo

C. disse...

Lindo!!! Divino...
Arrebatador J. !

Beijinho

Trolha disse...

Querida C.
Faz bem ao Ego ler palavras lindas e divinas como as que escreveste. Deixaste-me arrebatado.
Beijinho e bom Domingo

Sinhã disse...

estavas sentado a puxar qd isto te saiu? :-DDDD

(Vê lá mas é se te vais desculpar ao Amor de Perdição porque esse é que é importante.):-)

phantasia disse...

Quem queres tu que te ame?
hum...

Paula disse...

gostei!

Anónimo disse...

C. és uma mulher maravilhosa pelo que tenho apreciado.

Beijo, Juan

Paula disse...

pena que seja proibido. porquê? sabe melhor?

(...) disse...

Uma lição de "literatura"...

Não sei é porque chamas pleonasmo de erro... mas está bem...

Afrika disse...

Digamos que isso nao deve ser muito "cool"
Ora vejamos, entrar dentro, correr dentro, droga, adrenalina da euforia...dissolver, absorver... hummmm Digamos que isso tudo soa-me a vicio, obcecação! O Amor verdadeiro nada tem a ver com isso queremos que nos amem e nao que sejamos objecto de culto! Mas isto sou eu que nada entendo de Amor!

C. disse...

Serei Don Juan? Serei???
Não me parece...

LOL

Beijo

Trolha disse...

Sinhã,s,
Sem comentários é o meu comentário ao teu comentário

Trolha disse...

phantasia,
Se é um Amor proibido ... estou proibido de divulgar o nome da minha amada.
Beijo e noite santa

Trolha disse...

paula,
Gostei, sobretudo dessa parte do teu comentário. Gosto muito que gostem de mim. Os psicólogos têm uma teoria qualquer a explicar isso.
Beijo e noite desassossegada

Trolha disse...

(...)
Explica-me uma coisa: "Uma lição de literatura... ", estavas a pensar no poema ou na explicação?
Beijo inexplicável

Trolha disse...

Afrika minha (salvo seja!),
Disconcordo contigo, como diria o saudoso Jardel (jogador do SCP).
A fêmea é por natureza das coisas côncava e o macho convexo. Porquê?
Para o macho entrar na fêmea e se fundir com ela. Intrigada? Também eu.
Beijo

Afrika disse...

Joao, enfim! e eu a pensar que me ias dar uma resposta mais argumentativa, mais quimica e tu saiste com a fisica! Nao querendo desfazer a outra ciencia.

Anónimo disse...

Que bebida era essa que estava a falar contigo? Laranjada?
sinuosa

(...) disse...

Meu caro Trolha... eu comentei o post como um todo... fez-me lembrar quando eu andava no liceu e não percebia nada do que lia e estudava as obras pelos livrinhos comentados...

Talvez esteja a intrepretar mal ...mas será todo este "poema" uma metáfora? Estará a referir-se ao Amor em si?

E... não respondeste à minha pergunta...

Trolha disse...

Querida (...),
O poema é uma alegoria à Tellus Mater, Pachamama (cultura andina), a Mãe-Terra, que representa a fecundidade – ciclo de vida e morte.

Ela é a Fêmea penetrada pela charrua e pelo arado, fecundada pela chuva, o spérma, a semente do Céu.

Da união da Mae-Terra com o Céu, que a cobre e fecunda, nasce a vida.

Beijo e continuação de boa tarde de boa vida

Trolha disse...

Sinuosa,
Não percebi patavina do que escreveste: o que queres tu insinuar?
Beijo e um dia de trabalho cheio de trabalhos (a ver se a folia te passa)

(...) disse...

Bem me parecia... muito obrigada pelo esclarecimento...:)

(...) disse...

Mas continuas sem responder à minha pergunta...

Trolha disse...

Afrika minha (salvo seja),
Eu, à tua beira, fico sem argumentos. Queres melhor argumento que este para a minha notória falta de argumentos?
Beijo e uma tarde com muito vento e chuva (aí, que aqui está sol)

Trolha disse...

Querida (...),
Há entre nós algo pendente?
Beijo

Sinhã disse...

:-D boa. assim nem entra mosca nem sai pleonasmo.:-D

(...) disse...

Algo pendente sempre existe...

Gostaria no entanto de saber porque chamas erro a um pleonasmo...

Trolha disse...

Querida (...),
Para quê chover no molhado? É uma desnecessidade.
E quando vejo alguém a «descer pelas escadas acima» ou «subir pelas escadas abaixo» digo de mim para comigo: algo aqui está errado.
Beijo